Histórias da F-1 IV

10:23 Net Esportes 3 Comments

A incapacidade de financiar um novo projeto, um novo carro, tiraram a Alfa Romeo da disputa na temporada de 1952 da Fórmula 1, depois de conquistarem dois títulos eles abriram caminho para a Ferrari, que ainda contou com a ausência inesperada do então atual campeão Juan Manuel Fangio, o argentino havia sofrido um grave acidente durante uma corrida em Monza naquele mesmo ano.

Sem Fangio, e mesmo com o campeão do primeiro campeonato em 1950, Nino Farina, as coisas se tornaram mais fáceis para o vice-campeão de 1951 Alberto Ascari, o piloto italiano não participou da primeira prova na Suiça e abandonou a segunda corrida, as 500 milhas de Indianápolis, mas depois disso dominou 100% do restante da competição.

Bélgica, França, Inglaterra, Alemanha, Holanda e seu lar, a Itália, foram seis vitórias nas seis últimas etapas, além de fazer a volta mais rápida em todas elas, na época se ganhava um ponto por isso. Ascari terminou o campeonato com boa vantagem sobre Farina, seu companheiro de equipe que ficou em segundo lugar, na terceira posição outro piloto da Ferrari, Piero Taruffi, vencedor da primeira de oito etapas que a temporada teve naquele ano.

O número de corridas era bem pequeno mas o de pilotos compensava, 104 no total sendo que 22 marcaram pontos e 71 completaram corridas, dentre os quais o brasileiro Gino Bianco que foi 66º e Chico Landi, o 36º, havia pilotos até da Fórmula 2, sendo o inglês Mike Hawthorn o melhor colocado na honroso 5ª posição, porém bem atrás de Ascari, que com sua potente Ferrari não dava chances para ninguém na época. (Foto: Arquivo)

3 comentários:

Marton Olympio disse...

Bom sabe que o início era assim.
Apesar de, muito particularmente, acher que corrida de carros e esporte equidistam no princípio do homem, e não máquinas, superarem seus limites.

Mas, quem sabe não estou sendo chato?

abraços

http://martonolympio.blogspot.com/

Leandrus disse...

Caramba, eu não sabia que tantos pilotos haviam competido, rs. Eu adoro F-1, mas confesso que não me interesso muito pela era romântica da categoria: procuro saber muito mais do final dos anos 70 até hoje.

Ateh!

Vinicius Grissi disse...

Este "carrinho" da foto é o mais estiloso. Podiam voltar a ser assim! kkkkkkkk