Histórias do Futebol VII

11:45 Net Esportes 1 Comments

King And Pele
Em janeiro de 1958 os soviéticos lançaram uma segunda versão do satélite Sputnik, e isso possibilitou que a Copa do Mundo daquele ano pudesse ser transmitida pela TV mais uma vez, ninguém exitou em televisionar várias partidas inclusive as da anfitriã Suécia, que acabou levando apenas 63% das pessoas aos estádios, no entanto estes que dispensaram as telinhas para ver tudo de perto foram privilegiados, testemunharam o artilheiro francês Just Fontaine que marcou 13 gols, e testemunharam o primeiro mundial do maior jogador de todos os tempos, Pelé.

Os dirigentes do Brasil teríam esquecido de mandar a numeração para a FIFA, a entidade então teve que distribuir os números e dizem que por acaso a camisa 10 foi para Pelé, o hoje rei do futebol quase nem foi para a Suécia em 1958, havia sofrido uma distensão nos ligamentos, queria deixar o grupo mas Paulo Machado de Carvalho não deixou, para sorte do Brasil, que tinha o sagaz técnico Feola, muito esperto divulgou a todos que faria um treino no período da tarde, mas treinou de manhã, com Pelé e Garrincha no time titular, e acertou em cheio.

Antes de ter Pelé titular o Brasil já havia vencido a Áustria e proporcionado o primeiro 0 a 0 da história das Copas contra a Inglaterra, isso porque finalmente fizeram um regulamento decente na fase de grupos que aceitava o empate, mas o jogo com a União Soviética era primordial, valia o primeiro lugar na grupo 4, e o Brasil venceu por 2 a 0 tendo o direito de fazer o jogo das oitavas-de-final contra País de Gales, a partida terminou 1 a 0 com um gol de Pelé, os fracassos de 1950 e 1954 iam ficando para trás, mas na semifinal a temida França vinha pela frente.

A França havia feito 7 a 3 no Paraguai, ganhou de 4 a 0 da Irlanda, a França tinha Fontaine, o matador, um jogador que não se cansava de fazer gols, mas o Brasil tinha mais, o Brasil tinha Pelé, tinha Vavá e tinha Didi, o Brasil não tomou conhecimento dos franceses, ganhou por 5 a 2 e foi pra final contra a Suécia, os donos da casa ganharam da Alemanha e ganharam o direito de jogar com camisa amarela na grande decisão diante da sua torcida, restando ao Brasil ser obrigado a jogar com a camisa azul, pela primeira vez na história, ela traria sorte ou azar?
Disputed Goal
Paulo Machado de Carvalho apareceu mais uma vez em cena e discursou como um filósofo animado e crente de que nada poderia impedir a glória desta vez dizendo - "Nós vamos vencer, vamos jogar com a cor do manto de Nossa Senhora Aparecida", a Suécia abriu o placar com três minutos de jogo, mas o Brasil conseguiu a incrível virada e venceu mais uma vez com o placar de 5 a 2, Pelá e Vavá novamente e até Zagallo fazendo gol na decisão, o capitão Bellini ergueu a taça com os braços esticados por cima da cabeça em um jesto imitado até hoje por qualquer campeão, o Brasil se tornava ali campeão do Mundo, o Brasil era campeão da Copa do Mundo pela primeira vez na história. (Foto: Keystone/Hulton Archive/Getty Images via PicApp)

1 comentários:

Patrick Araújo disse...

Sensacional a história do futebol, realmente estava um peso muito grande na nossa seleção por naumter ganhado anteriormente as ediçoes da Copa...

Mais o Pelé e o Garrincha são jogadores de outro mundo e deram o titulo pra gente...

Abraçosssssss