O lado mais interessante do Giro d'Italia

10:51 Net Esportes 4 Comments

Em termos de melhor volta ciclística do planeta é impossível superar o Tour de France, mas o possível é ver como existe um lado muito mais interessante no Giro d'Italia. Tudo por conta da forma como as etapas estão dispostas e organizadas, onde as mais difíceis e decisivas ficam para o final. Subida incrível e desgastante na sexta-feira. A montanha mais temida no sábado com a etapa rainha e no domingo um contra-relógio que ainda da oportunidades à um segundo colocado que não perdeu muito tempo em relação ao primeiro. Se ele ainda tem chances pode vencer. Na edição 2012 ele tinha e ele conseguiu o que queria.

O Tour de France continuará sempre sendo maior e melhor. A corrida e emblemática, histórica e o amarelo mais receptível do que o rosa. Quem vence na Volta da França terá seu nome mais lembrado do que um vencedor do Giro. Mas quem vence o Tour sempre o faz na penúltima, quem sabe na anti-penúltima etapa. Quem sabe na etapa dez se mantendo na ponta até o final. O último desafio se restringe à uma disputa por pontos, com o famoso desfile dos campeões até Paris. Já na Itália não tem passeio no último dia, o campeão por pontos pode ser até aquele que briga pelo título geral da competição. Em Roma não se brinca, a competição vai até o último segundo, com segundos de diferença definindo o grande vencedor.

Joaquim Rodríguez, da Espanha, foi brilhante, foi valente e foi guerreiro. Não é todos os dias que alguém deixa para trás nomes como Michele Scarponi, Ivan Basso e Damiano Cunego; Todos eles italianos de nascimento e correndo no seu próprio lar, com toda a fervorosa e apaixonante torcida apoioando intensamente em cada rua estreita ou estrada sem fim. Vitórias nas etapas 10 e 17. Liderança assumida, perdida e recuperada. O Giro d'Italia não é como o Tour de France, ele só termina mesmo no último dia e o esforço tem que ser mantido até o derradeiro final. Segundos são perdidos na etapa 19, mas recuperados no dia seguinte. Trinta perto de dezessete parecia excelente, mais outros dezesseis ainda eram necessários.

Esse é o lado interessante do Giro d'Italia. A definição concreta no último dia e na última etapa. Com um contra-relógio para ficar ainda mais emocionante e imprevisível, pelo menos visualmente falando. Os primeiros são os últimos a largarem. Rodríguez não pode perder mais do que trinta segundos em relação ao canadense Ryder Hesjedal, que já havia liderado suas vezes a competição, mas ele acaba perdendo 46 segundos. O tempo é suficiente para o mundo inteiro cercar Hesjedal antes mesmo que Rodríguez finalizasse a sua tomada de tempo. Afinal o ciclista havia acabado de se tornar o primeiro representante do Canadá campeão na Itália. Tudo acontecendo no bem no final, definido nos últimos momentos do Giro, com 16 segundos que mudaram a história. O Giro d'Italia pode não ser melhor que o Tour de France, mas certamente tem o seu lado mais interessante. (Foto: LUK BENIESLUK BENIES/AFP/GettyImages)

4 comentários:

Patrick Araújo disse...

O Giro d'Italia é considerada a segunda mais importante competição por etapas do ciclismo mundial, atrás apenas do Tour de France e aqui no Brasil a imprensa não fala nada sobre essa competição! Como pode neh?

Net Esportes disse...

@Patrick Araújo: É revoltante, mas eu já cansei de me revoltar com isso .... principalmente na TV só se fala no que traz retorno financeiro .... é uma triste e dura realidade no Brasil.

sol disse...

Voce que fez a matéria, deve gostar mesmo do tour de France, pois o Giro em sua opinião estara sempre em segundo plano, o que se tem ali na Italia é uma prova mais dura, diferente do Tour, são montanhas com inclinação maior, então não acho sua comparação em que uma prova é e sempre vai ser maior e melhor que a outra, se fosse isso Indurain e muitos outros não fariam essa prova, els levaram os dois canecos no mesmo ano.
Contador tentou esa façanha no ano passado mas não conseguiu.
Não acho que uma seja melhor que a outra, são voltas totalmente distintas.

Net Esportes disse...

@sol: Agradeço muito sua opinião. O detalhe é que tanto Giro quanto Tour e Vuelta da Espanha são grandes e serão sempre as três maiores Voltas do mundo. É natural tentar eleger o melhor dentre as três, e nesse caso coloco sempre o Tour na frente porque ele sempre foi mais valorizado até mesmo pelos ciclistas. Tem um charme a mais e um glamour incomparável. Acho que as datas das três voltas impedem que um competidor vença as três no mesmo ano, porém não duas delas como você mesmo citou. Sua é uma pena pois o Giro e a Vuelta seriam bem mais valorizado caso alguém conseguisse vencer os três .... muitos ciclistas não fazem o Giro pensando no Tour.

Veja meu texto novamente, eu coloco o Tour sepre à frente do Giro, mas valorizo demais o Giro, não só pelas etapas de montanhas mais duras, mas também por tudo ser definido no último dia com o contra-relógio e tudo mais. Esse é o lado interessante do Giro ... e realmente ajuda cada Volta ser destinta uma da outra como você falou também .... porém não evita uma ser melhor que a outra ou ter o seu lado mais interessante que a outra na minha opinião.

Valeu! obrigado mais uma vez!