Sem bola murcha Patriots vence o Super Bowl

09:57 Net Esportes 2 Comments

Net Esportes, Super Bowl, Tom Brady, NFL, blog de esportes
No relógio restavam apenas seis segundos para o fim do primeiro tempo. Em qualquer jogo rotineiro de temporada regular, ou até mesmo nos playoffs, o normal seria anotar um field goal e dos prejuízos contabilizar o menor. Só que não se trata de uma partida qualquer, é o Super Bowl, a grande final do futebol americano, um dos maiores eventos esportivos do planeta. Aqui a Katy Perry "voa" e não tem como não se arrepiar com o firework. Aqui é melhor contabilizar dos lucros o maior e, por isso, Russell Wilson conecta Chris Matthews para anotar o touchdown a dois segundos do fim e deixar o jogo empatado em 14 a 14.

Até então o super Bowl 49 estava sendo um jogo tenso e equilibrado. Um primeiro quarto morno e impressionado com a lesão de Jeremy Lane. Um segundo quarto agitado, movimentado e apimentado com a ousadia dos então atuais campeões que não queriam ir para o show do intervalo em desvantagem. Já no segundo tempo o jogo acabou dividido, sendo o terceiro quarto todo do Seattle Seahawks, que pecou em não fazer dois TD´s e o último quarto dominado pelo New England Patriots, que trouxe para a janta o tradicional feijão com arroz e garantiu a liderança no placar com quatro pontos de vantagem.

A vantagem da equipe de Bill Belichick obrigava o time de Pete Carroll anotar obrigatoriamente um touchdown para vencer o jogo, pois um field goal não iria resolver nada. Não havia tempo para um field goal e a recuperação de um onside kick, e assim o jogo que até aquele momento estava normal, enfim se tornou emocionante e quase inacreditável. Wilson fez um passe longo e arriscado, a bola incrivelmente perambulava pelos braços e pernas de Jermaine Kearse e como um verdadeiro artista de circo finalizou a recepção milagrosa.

O filme de 2008 voltou como um flashback inevitável para o Patriots. No mesmo estádio de Glendale, Arizona, a mesma história se repetindo. A chance de mais um título indo por água abaixo novamente, as coisas não poderiam ser assim. E lá vai ele, Marshawn Lynch, a besta humana coloca o sonho do segundo título consecutivo a uma jarda da end zone. A história do fim do primeiro tempo se repete no final da segunda e derradeira etapa, mas desta vez Russel Wilson falha. Faltavam 20 segundos para serem ovacionados, só que o passe acabou sendo interceptado. O novato Malcolm Butler encarnou a vice-miss amazonas, arrancou a coroa do Seattle e colocou na cabeça de Tom Brady.

Desta vez sem bolas murchas, sem ver o rival concretizar todos os milagres no final da partida. Sorte no jogo e sorte no amor também, acabou a maldição da Gisele Bündchen. Tom Brady é o MVP do Super Bowl mais uma vez e, aos 37 anos, se consagra ainda mais na NFL. Novas marcas e novos recordes, seu ídolo Joe Montana fica para trás. A parceria histórica com o técnico Belichick e o quarto anel de sua carreira histórica e memorável que pode, certamente, ter ainda mais alguns capítulos vitoriosos pela frente. Desde que pelo menos alguns rivais do Super Bowl continuem não realizando os milagres finais que outros rivais fizeram em outros Super Bowls.

2 comentários:

Ron Groo disse...

em um jogo fantástico, diga-se.

Fiquei chocado ao ver o Seattle na condição de uma segunda pra TD, com um tempo pra pedir e optar por uma chamada de passe tendo o Lynch ali...
Tudo na linha de uma jarda.

Net Esportes,

Concordo integralmente com Ron Groo, inclusive escrevi sobre isso la no Blog. Fora isso, foi um jogão, o mais emocionante que já vi mesmo sem o Giants!

Detalhe: Torci para o Seahawks porque meu amigo torce para o Patriots.

Abraços.
Participe do Super Quiz:
Primeiro desafio