Astes liberadas

14:35 Net Esportes 9 Comments

A participação de um atleta paraolímpico nas Olimpíadas de Pequim, competindo com os atletas sem problemas físicos, poderia ser considerada uma grande desvantagem e até mesmo um absurdo, mas não é assim que pensa o velocista sul-africano Oscar Pistorius. Com as duas pernas amputadas e usando uma prótese, o atleta que havia sido proíbido de ir à China pela IAAF, teve o aval da Corte Arbitral do Esporte e poderá tentar a vaga.

A proibição definida em Janeiro desse ano afirmava que Pistorius levaria vantagem sobre os atletas sem prótese, já que o material chamado 'Cheetah Flex-Foot' tem o formato de uma aste em J e as lâminas de carbono supostamente causariam um efeito propulsor, os estudos são do professor alemão Gert-Peter Brueggemann, mas a Corte Arbitral não viu as afirmações como evidência suficiente e liberou o atleta para buscar seu objetivo.

Oscar Pistorius tentará se classificar na prova dos 400m rasos, o seu tempo de 46s56 é um recorde mundial paraolímpico, porém está acima do índice B da distância que é de 45s95, a África do Sul já tem um atleta com índice B, Sibusiso Sishi, com 45s84, o índice A dos 400m é de 45s55. Caso não consiga a vaga, Pistorius poderá ser convocado para o revezamento 4x400m.

Se um atleta paraolímpico leva uma vantagem enorme sobre seus concorrentes e seus tempos estão próximos dos atletas olímpicos, é mais do que justo deixar ele tentar competir junto dos melhores, no fundo as próteses de carbono devem dar uma pequena ajuda, mas se a natação permitirá o maiô dos recordes, porque o atletismo quer impedir um paraolímpico, que teve as duas pernas amputadas aos 11 meses depois de nascer sem as duas fíbulas, de realizar o maior sonho de sua vida? (Foto Arquivo: Alberto Pizzoli/AFP)

- PEQUIM 2008

9 comentários:

Johnny disse...

Quando eu ouvi a chamada da matéria sobre esse cara, no Esporte Espetacular, meses atrás, pensei que ele quisesse competir nos jogos paraolimpicos usando uma protése diferenciada dos outros, mas o cara quer é participar dos jogos olimpicos mesmo. Que foda. Duvida que ele consiga, mas gostaria que conseguisse.

Arthur Virgílio disse...

Essa polêmica ainda vaid ar muito pano pra manga. Torço para que ele consiga o índice, mas acho difícil.

Rafael Puime disse...

Torço pra que ele consiga!!
É como vc falou, já que pode o maiô, pode as próteses!!
Sorte pra ele!
Grande Abraço!

Parmitaum disse...

Atletas paraolimpicos merecem muito mais a medalha que ganham pois o esforco e forc ade vontade é muito mais dificil, também torco para que ele consiga a vaga, seria mais humano.

Incrível mesmo a determinação desse sujeito. Tomara que consiga o índice, porém, só a atitude de tentar já o coloca na história do esporte.

abs

Daniel Leite disse...

Muito legal a decisão. Ele tem todo o direito de buscar a vaga. Se consegui-la, ótimo para a superação de algumas barreiras existentes nas cabeças de uns. Não será fácil, mas o importante é que o direito de competição foi preservado.

Até mais!

Loucos por F-1 disse...

Concordo plenamente que ele pode participar das olimpíadas. Seria um erro proibi-lo de competir mesmo usando proteses.

Abraços!

Leandro Montianele

Priscilla Bar disse...

Ai nao sei...dessa vez vou ficar em cima do muro...

Entendo a vontade do cara de correr nas Olimpíadas, mas acho que essa mola é uma clara vantagem para ele. Não sei se essa liberação vai continuar por muito tempo...

Grande abraço!

Gustavo Coelho