Histórias da F-1 III

11:40 Net Esportes 5 Comments

Por muito pouco ele não faturou o título do primeiro Mundial de Fórmula 1, mas em 1951 na segunda edição do campeonato finalmente chegou a vez de Juan Manuel Fangio, o argentino que é considerado um dos melhores de todos os tempos conseguiu reinar naquela que hoje é a maior categoria do automobilismo no Mundo, mas não foi nada fácil.

O então campeão da primeira edição Giusppe Nino Farina venceu a terceira corrida das oito programadas mas já não era a pedra no sapato de Fangio, pois tanto a Ferrari quanto seu principal piloto Alberto Ascari cresceram, e começaram a dar muito trabalho para a equipe Alfa Romeo, assim seu técnico Gioacchino Colombo vendo as dificuldades não hesitou em usar alguma malandragem.

A disputa estava acirrada, Fangio havia vencido na Suiça e na França, Ascari foi o melhor na duas etapas que antecederam a derradeira, Alemanha e Itália, assim a decisão do título ficou para o GP da Espanha, Colombo anunciou para todos que a Alfa vinha com dois tanques de combustível extras e que seu principal piloto não faria paradas para reabastecimento, a Ferrari se desesperou e na tentativa de ganhar mais velocidade diminuiu o tamanho das rodas de seu carro.

O resultado foi um fiasco para Alberto Ascari, peneu furado e adeus ao título, Fangio venceu a corrida com seu compatriota José Froilán González, que corrida pela Ferrari, em segundo, revelando após a corrida que os tais tanques extras estavam vazios, o que justificou as duas paras no boxe que fizera, dando mais um título para a Alfa Romeo, que em crise abandonou a disputa no ano seguinte, mas saiu por cima, com os dois primeiros campeonatos da Fórmula 1. (Foto: Arquivo)

5 comentários:

Caio disse...

ótimo post, muito interessantes essas histórias do esporte, muita coisa excepcional já aconteceu e muita gnte não sabe disso... ótimo blog!
abraço

Fábio Andrade disse...

Fangio foi campeão pela primeira vez em 1951. Em 52 deu Ascari, com a Ferrari.

De toda forma, o cara é mestre. Outros tempos, desafios diferentes dos atuais, mas a mesma determinação. Não é novidade, mas não dá pra correr: Fangio é gênio!!

Leandrus disse...

Fangio deve ter sido o primeiro dos pilotos geniais que apareceram na F-1. Uma pena que a Argentina, depois dele e de Reutemann, não conseguiu produzir nenhum piloto decente para a F-1.

Vinicius Grissi disse...

É impressionante como até hoje o Fangio é considerado um dos maiores pilotos da categoria. Ótimo post!

Daniel Leite disse...

Os argentinos e a Alfa Romeo, infelizmente, pararam na década de 50. Agora, surgem a Espanha (com Alonso) e o pessoal da Red Bull. É a típica rotatividade da F-1.

Até mais!