Tênis feminino agitado

12:11 Net Esportes 5 Comments

Estaria Maria Sharapova com um novo namorado? Estaria a número um do Mundo Jelena Jankovic fora do primeiro Grand Slam do ano? são dúvidas pra lá e e mais dúvidas pra cá, mas não restam dúvidas para a russa Elena Dementieva, campeã do torneio de Auckland após derrotar a compatriota e xará Elena Vesnina, alegria que outra russa, Anna Chakvetadze, não teve.

Tão bela e delicada, deu pena vê-la cair na quadra depois de tentar alcançar a bola, mas enquanto Anna chora, Gisela Dulko comemora, a tenista argentina que é profissional desde 2001 não possui nenhum título na carreira, mas a vitória neste sábado ajudou a América vencer o "Desafio Mundial", contando com uma 'pequena' colaboração de Venus Williams.

Mas se a Argentina segue sonhando em ver uma nova Gabriela Sabatini, a Bielorrússia já pode ver a primeira Victoria Azarenka, uma jovem de apenas 19 anos que após cinco finais na sua carreira finalmente levantou o troféu, em Brisbane, derrotando a francesa Marion Bartoli na final, em um dia muitíssimo agitado no tênis feminino que está apenas começando o ano. (Foto: Ezra Shaw/Getty Images)

5 comentários:

Loucos por F-1 disse...

O mundo está cheio de grandes jogadoras de tênis. Grande revelações estão surgindo rapidamente.

Até agora nada do Brasil lançar uma tenista de peso para o mundo. Vamos continuar aguardando.

Abraços!

Leandro Montianele

DuDu Magalhães disse...

Não sou muito fã de tênis, mas percebo o quanto temos bons jogadores.

Legal termos boas jogadoras nesse esporte. Esses dias vi o "Guga" na sua partida de despedida, se não estou enganado ele foi o maior tenista brasileiro...

Viviane Righi disse...

Que esta seja a primeira de muitas vitórias. Afinal, acho que todo atleta merece ser reconhecido pelo que faz.

Abraços!

ED CAVALCANTE disse...

eSPERO QUE ELA CONSIGA. AMÉRICA DO SUL TÁ CARENTE DE BOAS TENISTAS COM BOAS COLOCAÇÕES NO RANKING.NÃO ENTENDO BEM DO ASSUNTO, MAS ACHO QUE NO MASCULINO TEM UM CHILENO QUE VEM FAZENDO BOAS TEMPORADAS,NÉ?

Daniel Leite disse...

É impressionante a quantidade de tenistas russas que surgem ainda muito jovens. Obviamente, é uma condição inerente ao tênis feminino, mas não deixa de causar impacto... Quando não é russa, é bielorrussa, como no caso de Azarenka.

Até mais!