Histórias da F-1 VI

16:13 Net Esportes 4 Comments

Alberto Ascari era atual bicampeão, não fez nada a mais que um 25º lugar, e o grande Nino Farina então, que não chegou nem perto de repetir o título do ano de estréia da Fórmula 1, não teve pra Ferrari nem pra qualquer outra equipe, nem pra qualquer outro piloto, em 1954 só brilhou a estrela de um corredor pelas pistas da categoria máxima do automobilismo, Juan Manuel Fangio venceu quase tudo, foi campeão pela segunda vez na carreira e deu início a uma hegemonia que duraria anos.

A Mercedes estréia na Fórmula 1, um começo tão massacrante que só seria superado por uma equipe novata agora em 2009, quando a Brawn GP começou ganhando tudo, mas a diferença foi que a equipe não conseguiu montar um carro para começar o campeonato em janeiro, assim o piloto que eles queriam, Fangio, teve que disputar as primeiras corridas com um Maserati, pra ele talvez isso fosse o de menos, o melhor era estar começando com uma vitória, e melhor ainda correndo no seu país, o triunfo na Argentina que não veio um ano antes enfim era conquistado.

Ningém vai para as 500 milhas de Indianápolis e quando retornam às disputas que valem pontos já estamos em junho, mas a Mercedes ainda não está pronta, Maserati de novo e vitória de novo, Fangio não da chances para os adversários, Fangio recebe seu novo carro no mês seguinte e mantém a escrita, vence mais uma. Na Inglaterra ele vê seu compatriota González cruzar em primeiro, mas nas três seguintes volta a ser melhor, volta a vencer de formas espetaculares, assim ficar em terceiro na última já não faz mais diferença, a vantagem na tabela é enorme.

O ano de 1954 ficará pra sempre na memória de Fangio e seus torcedores, desde a vitória inicial sob uma chuva torrencial na Argentina, o triunfo com a Mercedes logo na primeira corrida e ainda fazendo a pole-positio, até a confirmação do título e o início de uma supremacia que iria durar até 1957, a Mercedes estava feliz mas só poderia contar com o piloto por apenas mais um ano, mesmo assim ficou o registro de uma estréia arrasadora que conseguiu durar por muitos e muitos anos, mas não pra sempre, pois as histórias são lembradas enquanto as marcas são superadas. (Foto: Arquivo)

4 comentários:

Leandrus disse...

Mas essa estreia, guardada as suas devidas proporções, foi ainda mais impactante do que a da Brawn nesse ano. Um desempenho sensacional de Fangio com a Mercedes que deve ser admirado por qualquer um. E acho muito dificil alguem conseguir isso como piloto e sua equipe fizeram em 1954.

Ron Groo disse...

Antes de alguém fazer algo, Fangio fez tudo.

Eu tenho um respeito sagrado pela sua figura.

Vinicius Grissi disse...

Vale um "Histórias da F-1" essa pipocada do Schumacher hein?! Quem diria...

Thiago Madureira disse...

Não conhecia esta bela história de um dos maiores pilotos do mundo.

Abraços...