Os Reis e as Rainhas

15:05 Net Esportes 2 Comments

Ninguém pode negar a grande importância de uma medalha de ouro para o Zimbabwe no Mundial de Esportes Aquáticos, tudo graças a vitória de Kirsty Coventry nos 200m costas, assim como o excelente desempenho da Tunísia, que levou duas de prata e uma de ouro graças a somente um nadador, Oussama Mellouli, além de Japão, Dinamarca, Suécia e até África do Sul que também foram dourados ao menos uma vez, porém além de grandes heróis, a competição em Roma teve também grandes Reis e grandes Rainhas, que conseguiram brilhantes dobradinhas.

Ele abriu mão de duas provas onde ainda mantém o recorde mundial, não teve a chance de se classificar nos 100m livres, ficou 'apenas' em segundo nos 200m livres mas continua sendo o maior de todos na natação, Michael Phelps é um dos Reis de Roma pois além das três provas de revezamento, ele fez uma grande e bonita dobradinha, onde levou a medalha de ouro nos 200m borboleta e também nos 100m borboleta, sendo a segunda muito comemorada pois havia sido extremamente provocado nos bastidores pelo rival Milorad Čavić, que ficou com a prata.

Apesar de ser o único que esteve nos três revezamentos dos EUA, Phelps não é o único norte-americano Rei neste campeonato Mundial, seu compatriota Ryan Lochte também merece ser coroado pois faturou não só os 200m medley como também os 400m medley, justamente por conta da ausência de Michael Phelps. E o fato de Phelps não ter ganho tudo o que disputou desta vez ainda acabou contribuindo para a coroação de um jovem e desconhecido alemão, Paul Biedermann, que teve seus momentos de glória quando levou os 200m e os 400m nado livre.

Mas o Foro Itálico não viu apenas homens brilhando, as mulheres também fizeram bonito e tiveram suas grandes e belas Rainhas, Federica Pellegrini levou o público local ao delírio com vitórias nos 200m e 400m livres, e a alemã Britta Steffen despejou todo o seu brilho com triunfos nos 100m e 50m livres. E mesmo já com tanta gente nos tronos do Império Romano, ainda sobrou lugar para mais um, sobrou lugar para o brasileiro César Cielo, um César que enfim se tornou Imperador de Roma, um César que brilhou como nunca na piscina italiana, e venceu os 100m e também os 50m livres de maneira espetacular e histórica. (Foto: Quinn Rooney/Getty Images)

2 comentários:

Sr.F disse...

Que bom ver mais países em condição de disputa, espero que não seja temporário, como no caso do Brasil onde a cada 10 anos surge um bom nadador mais pelo esforço e talento próprio do que pela ajuda do Estado - que não faz nada nessa área -.

Parabéns a todos reis e raiha deste mundial


www.oblogdosrf.blogspot.com

Vinicius Grissi disse...

Phelps e Cielo, com certeza, são os dois grandes destaques do momento na natação mundial.