Bonito, mas muito injusto

08:54 Net Esportes 4 Comments

A cerimônia foi belíssima como realmente deveria ser, teve a ilustre presença do presidente da república, premiou diversos atletas em diversas modalidades e homenageou de um forma sempre muito bonita os melhores trabalhos feitos por atletas brasileiros neste ano, mas o Prêmio Brasil Olímpico acabou tendo um resultado injusto na eleição da melhor atleta do ano, a polêmica principal girou em torno da votação popular, sem limites para quantidade de votos por pessoa, sem qualquer critério e fazendo valer mais o emocional, do que o racional.

Sarah Menezes, de 19 anos, se tornou bicampeã mundial juvenil de judô, um feito louvável, grandioso, mostrando que ela tem um grande futuro pela frente, porém sua conquista não pode ser comparada a de Poliana Okimoto, a campeão da Copa do Mundo de Maratona Aquática que desbancou as principais nadadoras do planeta, conquistou a primeira medalha, sendo essa de bronze, para o Brasil em um Campeonato Mundial depois de 15 anos, marcou seu nome em toda a história do esporte brasileiro podendo até porque não ser considerada a maior nadadora brasileira de todos os tempos, era disparada a favorita ao Prêmio Brasil Olímpico deste ano.

O COI preferiu transferir a responsabilidade de eleger os melhores atletas do ano para o público, votações pela Internet ou telefone, sem limites de votos para cada pessoa que poderia ter sido controlado pelo número do CPF por exemplo, pareceu mais um desses Reality Shows da TV e teve todas as injustiças que eles sempre tem no final ao ser anunciado o vencedor, Sarah Menezes derrota Poliana Okimoto e é a melhor atleta de 2009, festa em Teresina, no Piauí, onde até o prefeito da cidade teria feito campanha para que ela recebesse votos, assim é covardia, assim é muita injustiça.

Ricardo Cintra, marido e treinador de Poliana Okimoto, reclama do sistema, recebe apoio do Torben Grael, velejador que também se sentiu injustiçado nas eleições de 2004 e até mesmo César Cielo se surpreende com o resultado do feminino, o nadador que levou o prêmio entre os homens, este sim justo e merecido, apostava todas suas fichas na companheira das águas, mas viu a jovem do tatâme ser coroada, uma jovem que todos esperam siga seu caminho firme e forte, e quem sabe vença o prêmio novamente com um título mundial profissional, assim como Poliana Okimoto, que tem tudo para continuar sendo a melhor do mundo, vencer até as Olimpíadas de 2012 e faturar o Prêmio Brasil Olímpico, para concertar uma injustiça que já foi feita. (Foto: Ismar Ingber/COB/Divulgação)

4 comentários:

Vinicius Grissi disse...

A festa foi bacana e teve como ponto alto o belo e engraçadissimo discurso do Lula.

Quanto à votação dos melhores do ano: o modelo é errado. Tinha que seguir como no ano passado, quando cada CPF votava uma vez. Caso contrário, votamos não no melhor, mas no mais popular.

Erro a ser reparado nas próximas edições.

André Augusto disse...

Realmente, polêmico o sistema de votação. Que seja repensado pelo COB em 2010.

Patrick Araújo disse...

Concordo com o Vínicius, esse sistema vai sempre favorecer o atleta mais popular, relamente o COB deve repensar esse sistema de votação!

Mais foi realmente uma bela festa!

Luiz Paulo Knop disse...

Concordo plenamente, mais uma grande furada do COB (entre tantas outras).
Poliana Okimoto foi disparada a mais importante atleta feminina do ano.