O clima que determina tudo

08:56 Net Esportes 1 Comments

Alpine Skiing
Se já não bastasse a necessidade indispensável de ter um clima extremamente rigoroso da estação do ano mais fria, onde esse frio intenso e também a neve são mais do que necessárias para que se possa praticar os esporte de uma Olimpíada de Inverno, ainda surge do nada algumas mudanaças climáticas que ocorrem bem no meio da competição, uma chuva que se aproxima, uma nevasca e até fortes ventos que vem de qualquer lado que o nariz aponte, às vezes é importante largar depois de tudo isso mas na maioria das vezes o essencial é largar antes, pois nessas horas o clima determina tudo.

Um dia não é possível e então eles adiam a prova para outra oportunidade, chega o momento e todos decidem que com esse tempo não vai dar, Lindsey Vonn comemora pois se recupera de uma lesão, mas os outros competidores não conseguem segurar muito a ansiedade e querem logo descer a montanha de neve, querem começar logo o Esqui Alpino, uma das modalidades mais empolgantes dos Jogos de Vancouver 2010, a segunda-feira chega e finalmente chega o momento tão aguardado, teremos Downhill masculino no final desta manhã que começou belíssima no Canadá, hoje o clima colaborou.

Os atletas começam a descer em altíssima velocidade, tudo estava bem até que o céu começa a escurecer, vem chuva por aí, a organização se apressa, começa a largar um atleta antes que o outro termine a sua descida, não se importa nem com as cinco quedas que ocorrerão somente nesta prova, mas era tarde demais, todos terminavam com quatro, cinco e até seis segundos mais lentos do que o primeiro colocado, que bem antes, quando o clima ainda não havia determinado sua vitória, já havia feito o suficiente para não sofrer com a mudança dele, e garantiu uma medalha de ouro inédita em toda a sua carreira.
Alpine Skiing Men's Downhill - Day 4
Nem Didier Cuche, um excelente esquiador, nem o favorito Michael Walchhofer e nem mesmo o especialista Carlo Janka, eles viram o norte-americano Bode Miller fazer o melhor tempo mas logo ser superado por Aksel Svindal, porém nenhum dos dois venceu a montanha e o clima instável de Whistler Creekside, tarefa que só foi cumprida por Didier Defago, o suiço que surpreendeu a todos com sua performance absurdamente espetacular e empolgante, que lhe garantiu o mais importante resultado de sua vida, visto que na Copa do Mundo só havia obtido três vitórias até hoje, assim ele mais do que ninguém deve estar adorando e muito todas essas reviravoltas no tempo canadense. (Fotos: ZumaPress e Clive Rose/Getty Images via PicApp)

1 comentários:

Gabriel Campi disse...

É, essas Olimpiadas de Inverno não são moleza, não. Ainda mais para os brasileiros.
Muito legal teu blog, cara. Valeu pelo comentário no meu blog. Aliás, se você gostou do meu blog, pode me seguir, blz. Já to seguindo o teu. O endereço do meu está aí:

www.blogfutebolnaveia.blogspot.com

Abraços.