Desta vez ele não ficou na brita

16:05 Net Esportes 5 Comments

McLaren Formula One driver Lewis Hamilton of Britain celebrates winning the Belgian F1 Grand Prix in Spa Francorchamps August 29, 2010. REUTERS/Stefan Wermuth (BELGIUM - Tags: SPORT MOTOR RACING)
Mais de 65 corridas na carreira com mais de dez vitórias, mais de 30 pódios e até título Mundial em quatro anos na Fórmula 1. Tudo isso não significa que daqui para frente será possível encarar as coisas com mais naturalidade na categoria máxima do automobilismo, e é por isso que Lewis Hamilton se sente em "êxtase e "abençoado" por ter sido o primeiro colocado em mais uma corrida, só que não uma corrida qualquer mesmo que nenhuma corrida dessa disputa seja apenas mais uma, e sim no tão singular circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica. A pista da temida e famosa curva Eau Rouge, onde os carros passam a mais de 300 km/h, além também da já não tão conhecida curva Rivage, onde o inglês quase ficou na 35ª volta depois de ir parar na caixa de britas, uma cena que acabou lembrando muito o GP da China de 2007, exceto pelo detalhe que desta vez o carro não ficou parado.

No pódio Hamilton põe as mãos na cabeça, as escorrega pela face com os olhos fechados e parece estar respirando fundo com um alívio imenso. O motivo de ter ido passear na brita no GP da China de 2007 foi o mesmo que o fez repetir a cena sem o mesmo final nesse GP da Bélgica de 2010. O mesmo motivo que antes do final da primeira volta fazia muitos carros errarem o traçado, tudo por conta do chão molhado, tudo por causa de uma chuva fraca que caiu após a largada e que já havia caído de maneira forte no treino de sexta-feira e de maneira surpresa no treino oficial realizado sábado. Foi por ela que Mark Webber saiu na pole-position, mas não foi por ela que o australiano perdeu a ponta logo no começo. A garoa inicial causou lambaças e tirou Rubens Barrichello da corrida, nem deu tempo do brasileiro comemorar o seu recorde de 300 corridas disputadas em toda a carreira.

Em 1993 Lewis Hamilton nem sonhava em estar na Fórmula 1 mas Barrichello já chegava por lá, o piloto que já passou por diversas equipes hoje está na Williams e quando correu pela Ferrari viveu junto com a temporada do ano passado as suas melhores oportunidades de conseguir alcançar os feitos de Ayrton Senna e chegar ao título de campeão Mundial na Fórmula 1. Isso acabou não acontecendo porque seu companheiro era Michael Schumacher, o preferido da equipe e também porque ele sempre deu algum azar em vários momentos, como na corrida histórica de hoje onde o carro seguiu reto na curva por causa da pista molhada e foi bater logo no carro de Fernando Alonso. Felipe Massa agradeceu e terminou em quarto lugar, porém um outro piloto além de Hamilton e Webber poderia agradecer também, se não fosse tão afoito.
McLaren Formula One driver Lewis Hamilton of Britain celebrates on the podium after winning the Belgian F1 Grand Prix in Spa Francorchamps August 29, 2010. REUTERS/Thierry Roge  (BELGIUM - Tags: SPORT MOTOR RACING)
No ano em que a vitória vale mais Hamilton leva os 25 pontos e reassume a liderança do campeonato com 182 pontos, Mark Webber diminui os prejuízos da péssima largada e com o segundo lugar se segura na classificação geral caindo apenas para segundo. As palmas do dia vão para Robert Kubica que ficou em terceiro e as vaias vão para o afoito Sebastian Vettel, o alemão que é sim ousado, determinado, tem fome de vitória e uma vontade ímpar de literalmente passar por cima dos rivais, sendo que o grande problema é que ele literalmente faz isso, como no GP da Turquia no incidente com o próprio companheiro na equipe Red Bull e agora na Bélgica, quando tirou da corrida Jenson Button bem antes da chuva voltar um pouco mais forte e ameaçar um pouco o resultado, jogar Hamilton para a brita e vê-lo voltar para vencer de forma muito emocionante para ele. Afinal ao mesmo tempo que parece ser apenas mais uma de tantas corridas todos sabem que a vitória deve ser tratada sempre como algo muito especial e único, principalmente quando se está sob chuva e ainda tão próximo das gigantescas árvores de Spa-Francorchamps. (Fotos: Stefan Wermuth/Reuters e Thierry Roge/Reuters via PicApp)

5 comentários:

Fabiano disse...

na minha modesta opinião, hj o inglês é o melhor piloto da categoria. eu nem acompanho muito esse esporte das armações, primeiro pq é pouco confiável e segundo pq os brasileiros não se fazem respeitar.

Marcelonso disse...

É verdade,Luizinho é de longe o melhor em atividade hoje.Cresceu muito ao longo desses quase 4 anos e um titulo.
Ele já merece mais uma estrelinha!

abraço

Anônimo disse...

... e M.C., aparece: Gostei ! Educadamente, voce fez uma comparação com o Segundão 300, " o embuste sem fim " ! Genial Hamilton poderá ser bicampeão este ano e explico. Saiu uma nota dizendo que a Red Bull não irá privilegiar o aussie caipira. Já vi um destes filmes antes... Um, eu me lembro muito bem porque sou piquetista. 1986 ! Prost campeão, se não me engano... Bi..., com a Mclaren e com Keke( pai do Nico - a cara do Leonardo Di Caprio !), campeão mundial em 1982, ajudando o francês e trabalhando como segundo piloto( algo como Button, ontem, até o Vettel LêléDaCuca acertá-lo...). A Williams com o melhor carro disparado ! No Construtores, a lavada da Williams na McLaren daquele ano: 141 pontos a 96 ! Final da história: Piquet e Mansell chupando os respectivos dedinhos ! Pode acontecer isso aí novamente...

Net Esportes disse...

Obrigado pela aparição anônimo M.C. ..... também aposto no Hamilton esse ano e 1986 sem dúvida foi um ano memorável, uma época em que os penus necessitavam ser trocados mais do que hoje em dia ....

FilipeJMS disse...

Uma pena o GP 300 do Rubinho ter acabado na primeiraa curva! Antes da temporada começar eu apostava em Alonso para a conquista do título, mas já vi que deve ficar entre Hamilton e os pilotos da Red Bull!