Dia de opostos sobre duas rodas

11:01 Net Esportes 4 Comments

May 01, 2010 - Jerez De La Frontera, ANDALUC A, Spain - epa02138784 Japanese Moto2 pilot Shoya Tomizawa kisses his helmet after placing first at the qualifying session held at the Jerez race track in Jerez de la Frontera, southern Spain, on 01 May 2010 ahead of the Spanish Motorcycle Grand Prix to be held in Jerez on 02 May 2010.
Em seu capacete "hora marcada" a contagem regressiva para a recuperação total. Valentino Rossi sofreu um grave acidente no início do ano e fraturou o perna, ficou fora por três etapas na MotoGP e desde a corrida na Alemanha vem se recuperando e se alternando entre o pódio, a quarta e a quinta colocação. Pelo menos o italiano ainda está vivo e pode ter a chance de voltar à sua melhor forma que já lhe rendeu mais de 100 vitórias e nove títulos mundiais divididos por todas as categorias da Motovelocidade. A terceira posição no GP de San Marino faz o público local ir ao delírio e invadir a pista para ovacionar Rossi após o fim da corrida, muito mais do que o vencedor Dani Pedrosa que mal comemorou o seu triunfo, o dia sobre duas rodas teve dois opostos porque não era mesmo um dia de festa, era um dia de tristeza e luto.

Valentino Rossi não tem culpa pela alegria dos torcedores, mesmo porque é bem possível que em tão pouco tempo os torcedores não soubessem do fato mais lamentável deste domingo que poderia conter toda essa festa com o piloto italiano. Já Pedrosa que cerrou os punhos quando cruzou a linha de chegada talvez tivesse alguma idéia pelas informações do rádio e mais do que isso sabia o que havia acontecido mais cedo, na Moto2, que é a categoria de acesso à MotoGP. Acidente espetacular, algo até comum em corridas de motos, como aquele que fez Rossi ficar fora da disputa em três etapas. Só que às vezes os pilotos ficam estirados na pista sem reação, às vezes outras motos acertam os pilotos e às vezes esses acidentes podem causar lesões extremamente graves, fraturas múltiplas, hemorragia interna e na pior das hipóteses até a morte.

Jovem, promissor e cheio de vontade. Seu nome era Shoya Tomizawa, japonês de apenas 19 anos de idade. Ele começou sua carreira muito pequenino quando tinha cerca de três anos de vida, nasceu para isso e no ano de 2006 já estava na categoria 125cc correndo pela Honda. Mais tarde passou para a categoria 250cc onde ficou até o ano passado e nesta temporada estreou com vitória na Moto2 correndo pela Suter. A vitória no Qatar e o segundo lugar na Espanha só mostravam o quanto ele era talentoso e o quanto ele poderia render no futuro. Porém esse futuro jamais existirá para ele, o acidente é gravíssimo em San Marino e depois de ser levado ao hospital ele não resiste. Se não bastasse tantas desgraças o pessoal do resgate ainda conseguiu deixar a maca cair quando conduzia o piloto para a ambulância ainda na pista, esse fato no entanto não foi tão relevante, seu estado já era o pior possível.
Suter Moto2 rider Shoya Tomizawa of Japan is carried on a stretcher following a crash during the San Marino motorcycling Grand Prix at the Misano circuit September 5, 2010. Tomizawa died after suffering a shocking crash during the Sunday's San Marino Grand Prix. He was travelling at full speed when he fell off before a corner and was hit violently by the bikes of Alex De Angelis and Scott Redding, who both also tumbled but looked relatively unhurt. REUTERS/Stringer (ITALY - Tags: SPORT MOTOR RACING)
A última vez que a principal categoria sobre as duas rodas havia visto uma morte foi em 2003, quando o também japonês Daijro Kato não resistiu a um acidente em Suzuka. Já na semana passada Peter Lenz perdeu sua vida em uma campeonato base amaricano e nesta corrida em Missano, San Marino, a tragédia já havia se feito presente quando em 1993 Wayne Rainey, tricampeão nas 500cc (1990, 91 e 92) caiu e foi atingido por outra moto que o deixou paraplégico encerrando sua carreira. Os perigos inevitavelmente fazem parte desse esporte e todos que se dispõe a disputá-lo sabem muito bem disso, como Valentino Rossi que por sorte está conseguindo se recuperar e faz a festa da galera e como Shoya Tomizawa, que encerra sua carreira e sua vida mais cedo do que qualquer um poderia imaginar, deixando o mundo sobre duas rodas extremamente triste em um dia que poderia ter sido muito feliz. (Fotos: ZumaPress e Reuters via PicApp)

4 comentários:

OGROLÂNDIA disse...

esportes de velocidade sempre envolvem riscos. mesmo sabendo disso, não tem como evitar de ficar chocado quando acontece um tragédia como essa.

Todo esportista sofre acidentes: o que não sofrer não pode nunca se considerar "atleta".

Abraço! ;)

http://anpulheta.blogspot.com

FilipeJMS disse...

Triste, é dificil comemorar alguma coisa (inclusive a própria vitória no GP) quando uma tragédia dessas acontece!
O acidente foi forte mesmo!

Eu fiquei chocado quando li a notícia e assisti ao acidente... É uma cena mto forte, até o narrador da prova não sabe o que dizer.... Apesar de não entender nada do que ele fala, pelo tom de voz dele.

Realmente é lamentavel! Só resta mandar mensagens de apoio a parentes e amigos...