Mas onde foi parar a mágica?

14:13 Net Esportes 2 Comments

Sem dúvida alguém como Houdini poderia fazer sem problemas, ou até mesmo Doug Henning e porque não David Copperfield, este último um pouco mais famoso pelos programas de televisão e espectáculos na Broadway. O ilusionismo, ou a tão famosa mágica, encanta pessoas do mundo inteiro, as deixa incrédulas, encantadas, abismadas em ver algo que sua mente não pode compreender como é possível estar acontecendo. No esporte também é muito comum vermos um pouco de mágica, acontecimentos inacreditáveis, encantos que só grandes estrelas do esporte podem proporcionar. E um desses famosos mágicos do esporte não é pupilo de Houdini ou Copperfield, é um jogador de golfe, um atleta que esteve além de seu tempo, fez milagres, mas afundou tanto que sua magia simplesmente sumiu.

Tiger Woods nunca teve uma varinha, e nem mesmo uma cartola para fazer surgir do nada um coelho. Ele tinha apenas um taco de golfe e uma bolinha, era o suficiente para fazer mágica durante todos os anos que seu reinado durou. A esposa Elin Nordegren não o perdoou, pediu divórcio e levou consigo os filhos do casal. A maioria dos patrocinadores também deixou o esportista que tantas vezes ganhou o título de o mais bem pago da temporada. A maioria acreditava que o jogador americano jamais iria se recuperar dos problemas pessoais, jamais iria voltar a jogar como sempre jogou, jamais iria fazer mágica novamente como tantas vezes fez. Eles tinha um pouco de razão em seus pensamentos que a princípio pareciam equivocados, porém a seca de títulos em 2010 e o início sem magia de 2011 estão mostrando que estavam mesmo certos.

O torneio Farmers Insurance Open é organizado sempre uma semana antes do Super Bowl, só para tentar ser de alguma forma um pouco mais emblemático. Tiger Woods começa sua volta pontualmente às nove horas da manhã, e ao seu lado está Rocco Mediate. Aos que lembram do duelo clássico entre ambos no US Open de 2008 um aviso: A mágica daquele evento inesquecível não existe mais, o que aconteceu naquele dia jamais poderá ser explicado, nem por Houdini, e nem por alguém que ainda esteja vivo e na ativa, como Criss Angel, o ilusionista. É difícil acreditar que a mágica de Tiger Woods tenha acabado simplesmente assim, "só" por causa do escândalo sexual ou por ter ficado algum tempo sem treinar e sem jogar. É claro que não é "apenas" isso, a separação, a não proximidade plena dos filhos, a opinião pública podem também acabar com qualquer magia de um atleta.

O ano de 2011 está apenas começando, talvez ainda seja um pouco cedo para dizer que o Tiger Woods desse ano seja o mesmo do ano passado, aquele que não ganhou nada, aquele que teve o pior desempenho de toda a sua carreira. Mesmo porque na primeira volta do torneio pouco importante ele conseguiu 69 tacadas, com três birdies e nenhum bogey, excelente para muitos, pouco para uma lenda viva, para um multicampeão como sempre foi Tiger Woods. Antes de tudo acontecer, era fácil dizer que Tiger Woods simplesmente era o maior da história mesmo ainda estando na ativa, estando perto de bater o recorde de títulos de Major conseguido por Jack Nicklaus. Agora isso não é mais possível, agora ele falha o fairway nos buracos de par cinco, agora ele não consegue mais fazer mágica, esse tempo ficou para trás, onde ele foi parar?

2 comentários:

Silvio Peters disse...

É complicado pois a vida pessoal dele virou de ponta-cabeça.

E todo mundo sabe que se a vida pessoal não vai bem, a cabeça não vai bem também. E cabeça é muito importante num jogo de plena concentração como é o golf.

Mas acho que ele se recupera! Pode demorar um pouquinho mas ele voltará com tudo!

Net Esportes disse...

@Silvio: Eu achava que essa 'volta' seria ainda no ano passado, mas as coisas só pioraram ..... mesmo assim eu também acredito que ele ainda voltará a ser grande.