Antes só um e agora, mais três

09:18 Net Esportes 3 Comments

A Bélgica nunca havia visto uma tenista brilhar a nível mundial, e quando isso aconteceu foi em dose dupla. Na final de Wimbledon em 2001 estava Justine Henin, que acabou perdendo o título, algumas semanas antes na decisão de Roland Garros quem fazia a final era sua compatriota Kim Clijsters, que foi derrotada pela americana Jennifer Capriati. Na época parecia que o desempenho de ambas havia sido mero acaso, e teria sido se ambas não provassem que tinha um imenso talento voltando a decidir títulos de Grand Slam. As duas sempre jogaram muito, só que Henin triunfou mais, inclusive quando enfrentou a Clijsters nas decisões dos torneios mais importantes do ano, levando a melhor em Roland Garros de 2003, US Open de 2003 e Aberto da Austrália de 2004, tornando a vida de sua amia uma verdadeiro drama.

Quatro finais de Grand Slam, quatro derrotas. A belga de nome mais curto brilhava mais e Kim Clijsters não tinha muitas oportunidades de provar o seu talento. Os títulos importantes vinham, como o bicampeonato no WTA Tour Championships, além de outros torneios menores, hoje são mais de 40 troféus. O posto de número um do mundo foi alcançado em 2003, o reconhecimento por ter ido mais longe do que jamais pensou, tudo era importante, mas vencer um torneio de Grand Slam é sempre mais importante. Clijsters não desistiu de seu sonho, continuou lutando e no ano de 2005 finalmente teve sua chance de ser feliz no US Open, enfrentando a francesa Mary Pierce na grande decisão, vencendo de forma contundente por 6-3 e 6-1. Até onde mais poderia ir a jogadora número dois da Bélgica? Ela poderia ser melhor que Henin? Quatro derrotas em semifinais diziam que não.

O ano de 2006 ela quer esquecer, e nem pôde jogar no US Open. No Aberto de Austrália de 2007 caiu diante da russa Maria Sharapova, novamente na semifinal. Em sua cabeça talvez o sentimento que hoje tem a dinamarquesa Caroline Wozniacki, ou mesmo a russa Dinara Safina, o de não poder vencer em torneios de Grand Slam, sendo que a única diferença é que já havia vencido pelo menos uma vez, sorte que Henin não chegou na final naquela oportunidade. Assim Kim Clijsters fez o que ninguém queria que ela fizesse, encerrou a carreira, se aposentou, resolveu viver a vida, ter uma filha e nunca mais pensar em títulos de Grand Slam, apenas um é muito pouco, ou é mais que qualquer uma vai ter em toda a vida. Só que na vida desta belga ainda faltavam mais alguns capítulos, ainda faltavam mais alguns títulos de Grand Slam.

Kim Clijsters volta a jogar a o tênis agradece. O retorno triunfal é histórico, mais um título do US Open em 2009, e repetição da glória no ano seguinte. Agora Clijsters pode dizer que é gritante, é tricampeã do Grand Slam de Nova York. Em contra partida ela vê sua compatriota que tantas vezes já triunfou percorrer o mesmo caminho, se aposentar e voltar, só que sem alcançar os títulos novamente e tendo que parar novamente por causa de uma lesão. Clijsters não quer o mesmo fim trágico, e já diz que 2011 será seu último ano, mesmo que ainda tenha apenas 27 anos. E esse ano pode ser o maior de sua carreira, pois começou com um título que jamais havia vencido, começou com mais um Grand Slam em seu currículo, a taça que perdeu em 2004 e que não deixou escapar dessa vez diante da chinesa Na Li. Kim Clijsters fatura o título do Aberto da Austrália, se aproxima novamente do posto de número e quem sabe não leva o US open no fim do não mais uma vez, para sair por cima, para sair sem a tristeza com a qual saiu na outra vez.

3 comentários:

Sinto saudades do tempo em que o Brasil foi surpreendido pelo fenômeno Guga. Acho que faltou um pouco de incentivo para que os jovens que aderiram ao esporte, pudessem dar continuidade, e hoje, o tênis é um ilustre desconhecido do público brasileiro.

Vinii Martins disse...

Saudades da época em que eu jogava tênis... ._.

Sinto saudades do nosso fenomenal tenista Guga, sinto que falta incentivo para que esse esporte se torne mais popular em nosso país !
Acessem meu blog http://esportivese.blogspot.com/