Dezenove anos e muito mais

10:09 Net Esportes 7 Comments

Quando o Brasil vai enfrentar a Argentina a mídia costuma criar a maior expectativa, dizem que é a maior rivalidade do futebol mundial, induzem o torcedor a despertar um ódio enorme pelo país vizinho, mesmo que não exista motivo para tanto exagero exceto algumas provocações nada pertinentes do principal jornal esportivo dos hermanos. Ganhar uma vez, perder outra, chega a ser normal quando se enfrentam duas Seleções de tanta tradição, com títulos da Copa do Mundo. Essa raiva pelos argentinos que o torcedor brasileiro cultiva e leva até para fora dos gramados poderia ser revertida ou direcionada para outros horizontes, como a Europa, por exemplo, mais especificamente um país europeu, a França, que realmente atormenta o Brasil.

De 1930 até 1978 estava até tudo normal, quando a França conseguiu vencer pela primeira vez o Brasil em um amistoso, perdendo outro em seguida no ano de 1981. O problema entre as duas Seleções começou mesmo em 1986, na Copa do Mundo, onde os Le Bleus venceram nos pênaltis. O troco do Brasil pela derrota injusta veio apenas em 1992, em mais um amistoso, vencido pela Seleção Canarinho por 2 a 0, com gols de Raí e Luís Henrique. O detalhe foi que esta seria a última vitória do Brasil contra a França, sendo que pior do que isso foi amargar resultados terríveis ao longo dos últimos 19 anos, como os 3 a 0 na final da Copa do Mundo de 1998 disputada justamente na França e a eliminação na Copa do Mundo de 2006 quando Henry aniquilou o tal quarteto fantástico do Brasil.

Dezenove anos é muito tempo, ficar tanto tempo sem ganhar de um verdadeiro carrasco desses em Copas do Mundo chega a dar uma raiva que pode ser incontrolável. Talvez algum jogador fique com um ódio dos franceses maior do que o ódio que se viu forçado a ter pela Argentina. O difícil é acreditar que Hernanes seja esse jogador, mas o chute que ele dá em Benzema aos 38min do primeiro tempo refletem uma raiva e um ódio incontrolável que uma Seleção pode despertar sobre a outra, principalmente quando perdeu para ela três vezes em Copas do Mundo, incluindo uma final, e também quando se está amargando um jejum de dezenove anos. Para o árbitro Wolfgang Stark não importa se é amistoso ou não, golpe de karatê, voadora, chute quase no rosto do adversário é para cartão vermelho, expulsão, é para mudar a história do jogo.

Muitos dizem que se Hernanes não fosse expulso as coisas poderiam ser diferentes. Outros preferem acreditar que a mística da camisa 10 francesa prevalece contra o Brasil. Zidane nas tribunas de honra do Stade de France vê ambas as Seleções entrarem em campo com novos uniformes, o difícil era saber qual dos dois era o mais feio, qual foi a criança de cinco anos que fez os números na camisa do Brasil? O ex-dono da camisa 10 azul vê o atual dono da emblemática camisa com o número eternizado por Pelé definir o jogo, fazer o gol que define o vencedor e manter viva a supremacia que os franceses tem sobre os brasileiros. A França que teve uma campanha pífia na Copa do Mundo de 2010 se renovou e apostou no técnico Laurent Blanc, melhorou e contra o Brasil cresceu mais do que os torcedores que lotaram o estádio poderiam esperar.

A próxima Copa do Mundo é só em 2014, falta muito ainda. A Seleção Brasileira não vai precisar disputar as eliminatórias. Assim a mídia brasileira, o narrador da única TV aberta que transmite o jogo e muitos outros comentaristas preferem não criticar o atual técnico o Brasil, mesmo que o tabu contra a França tenha sido mantido, mesmo que essa seja a segunda derrota seguida em cinco jogos, mesmo que tenha vencido apenas três jogos fáceis contra Ucrânia, Irã e Estados Unidos, e perdido diante de dois gigantes do futebol, a França e antes pelo mesmo placar para a Argentina. Se o Brasil não melhorar os mesmo que hoje defendem irão mudar de opinião, principalmente se o Brasil não ganhar a Copa América que começa em julho, principalmente se o Brasil não ganhar da Holanda em amistoso que acontece em junho. Já ta na hora de começar a mostrar serviço, o tempo passa rápido, 19 anos podem se tornar 38 em um piscar de olhos.

7 comentários:

Cau Au Au disse...

Olá, galera do Net Esporte!
Sou curiosa no esporte e vez por outra dou uma espiadinha no blog de vcs para me manter atualizada, já que tratam do esporte de uma forma geral e não especificamente de uma modalidade. Vou me tornar seguidora de vcs e continuar bisbilhotando, rsrsrsrs.
Obrigada pela visita e abraços.
cauauau.blogspot.com

Net Esportes disse...

Obrigado Cau. Ficamos muito felizes por isso !!!!! abraço

Admsports disse...

Olá,
Brasil começou até jogando bem, porém a infantilidade e a inspiração Karateca do Hernanes fez com que o Brasil se perdesse no meio campo e acabar derrotado, mas o que mais me intriga é que o nosso problema não é a França...É A ARGÉLIA!

Mais um tabui que n fo quebrado...

Culpados!?

Hernanes que deu uma solada sem noção no Benzema, desnecessário akilo, rídiculo. Nisso perdemos o jodador mais inteligente no meio....

Não tinhamos um meia talentoso...

Mano Menezes foi covarde, colocar o Hulk e o André só no finalzinho...

Foi merecida a derrota...

Gol de Mão disse...

Realmente a França é a maior dor de cabeça do Brasil atualmente. E concordo com o admsports quando fala dos argelinos, eles ajudaram e muito a seleção francesa, que a cada tia torna-se menos francesa. Diga-se de passagem, foi por pouco que o Marfinense Drogba não vestiu a camisa azul...

Parabéns pelo Post
Equipe Blog Gol de Mão
www.bloggoldemao.blogspot.com

Rafael Filho disse...

engraçado que com a França é diferente, não temos essa rivalidade e esse ódio que temos pelos argentinos, é só uma frustração,rs.

Ingrid Caroline disse...

amoooooooooooooooooooo futebol !