A roda, a borracha, os pneus

09:03 Net Esportes 3 Comments

Uma das seis máquinas simples inventada pelo homem veio através dos povos que habitavam a antiga Mesopotâmia, atual Iraque, acerca de 5.500 anos atrás, a roda. Muito tempo depois, com o surgimento dos automóveis em substituição às carruagens puxadas por cavalos, apareceu Charles Goodyear para criar o pneumático, o composto de borracha com negro de fumo conhecido hoje em dia popularmente como pneu. Sem este artefato circular a vida automotiva jamais seria a mesma, a Fórmula 1 jamais seria a mesma. E assim a temporada 2011 que prometia muito com o KERS e a asa traseira móvel está vendo mesmo uma verdadeiro show à parte dos pneus de borracha que envolvem as rodas que giram sem parar pelos mais variados circuitos do planeta. Tudo porque a Pirelli voltou e determinou como deveria ser a disputa a partir de agora.

Pobre Charles Goodyear que morreu em 1 de julho de 1860 muita tristeza, ele deve estar se contorcendo todo no túmulo ao saber como usam e abusam de sua criação. Isso não aconteceria se um de seus princípios de aumentar cada vez mais a durabilidade dos pneus fosse seguido, justamente o contrário do que está acontecendo esse ano na Fórmula 1. Giovanni Battista Pirelli provavelmente comemora em algum lugar a esta altura, pois a sua empresa italiana fundada em Milão no ano de 1872 voltou para a categoria máxima do automobilismo para dar o que falar, eles simplesmente criaram um pneu com tempo programado para se desgastar, para ficar totalmente destruído, sem poder ser mais usado e obrigando uma troca nos boxes. Sendo que esse tempo de duração parece ser muito menor do que se imaginava antes do início das corridas.

A idéia, como sempre, era trazer mais emoção à Fórmula 1. As corridas estão monótonas, não tem ultrapassagem e o agito acontece só em dias de chuva. Porém o que leva a Pirelli imaginar que desgastar os pneus e exigir três ou quatro paradas nos boxes significa mais ultrapassagens e mais emoção? O reabastecimento acabou e diminuiu o número de paradas nos boxes, mais trocas de pneus exige mais gastos e vão contra os princípios de economia da FIA que quase estipulou limite de despezas e exige menos trocas de motor ao longo do ano. Além de que os pilotos prejudicados com o desgaste excessivo dos pneus estão dando benefício aos que não tem um carro bom, isso não significa emoção, significa falta de sorte, azar com um furo na borracha de péssima qualidade, além de riscos de acidente, uma hora ficar com o volante na mão poderá trazer problemas maiores do que os que teve Vitaly Petrov.

Da segunda até a sétima posição no GP da Malásia estavam os mesmos carros das mesmas equipes que estavam nessas mesmas posições no GP da Austrália, a diferença é que eles fizeram uma pequena dança das cadeiras. Isso talvez signifique a tal emoção que os penus Pirelli queriam, mesmo que o fato de Hamilton estar em oitavo e não em segundo como da outra vez tenha sido por causa de um problema no pneu forçado por um erro grotesco de Fernando Alonso que ainda lhe rendeu uma punição. Só que essa tal emoção, esse tal desgaste nos pneus, essa expectativa por ultrapassagens não atinge o alemão que ignrou tudo na primeira prova do ano e ignora tudo novamente agora em Sepang. Sebastian Vettel e sua Red Bull com asas deram um jeito de fazer valer mais os princípios de Charles Goodyear, ou pelo menos conseguir driblar o pensamento dos "novos" Giovanni Battista Pirelli. Enquanto a borracha durar ele simplesmente vai voar, e por enquanto nem mesmo Mark Webber pode lhe fazer parar. (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

3 comentários:

Marcelonso disse...

Vettel fez a diferença na classificação e continuou a fazer na corrida.

Também não gostei desses pneus malucos,são de péssima qualidade. Isso vai acabar arranhando a imagem da Pirelli.

No mais uma prova meia boca, mas que valeu a pena assitir

abs

Ron Groo disse...

A roda, os pneus, a borracha, a asa móvel, o kers... é a mariokartização da F1.

Se jogarem tartarugas uns nos outros eu paro de ver.

Net Esportes disse...

@Marcelonso: Incrível como a Pirelli nem pensou por esse lado ....

@GRoo: Imagina só Groo, o carro da frente apertando um botão para jogar óleo no de trás !!!! ta demais tanta invenção mesmo ......