Mais um domingo em Augusta

10:24 Net Esportes 0 Comments

Claro que não é um domingo qualquer, é um belo dia de sol, com temperatura agradável, excelente para ir até o Augusta National Golf Club, para jogar golfe talvez, ou para simplesmente testemunhar mais um dia histórico em um dos torneios mais emblemáticos e importantes de todo o planeta. Sim, houve uma pausa entre 1943 e 1945 por causa da Segunda Guerra Mundial infelizmente, mas o Masters de Augusta sobreviveu, é hoje um dos quatro Majors do ano no golfe e continua sendo especial e marcante em cada uma de suas edições. Em 2011 não tinha come ser diferente, todos queriam muito vencer, cada um por um motivo diferente, mas só um deles tem o direito de vestir o paletó verde, no momento mais aguardado em mais um domingo em Augusta.

Se existe algo que impressiona em uma competição de golfe, certamente é a pura necessidade de concentração máxima que um jogador deve ter durante todos os quatro dias de disputa. Não se trata apenas de jogar bem no domingo, ele precisa ter um bom início na quinta-feira, evitar o corte na sexta-feira e principalmente fazer uma boa volta no sábado triste, nublado e com muitos ventos para chegar no último dia com chances de ser campeão. Às vezes quase que tudo isso acontece, neste caso em especial quase que tudo isso aconteceu para um novato, quase aconteceu para Rory McIlroy da Irlanda do Norte. O jovem jogador de apenas 21 anos de idade que fez todos se lembrarem do Tiger Woods de 1997 em Augusta. A história parecia estar se repetindo, mas o domingo tinha outra história para contar.

Rory McIlroy só foi campeão duas vezes até hoje em sua carreira, mas se tornou profissional em 2007 e é muito conhecido no mundo do golfe. Conseguiu ser T3 em torneios Majors por três vezes, e quando fez uma primeira volta no Masters desse ano com nada a menos que sete tacadas abaixo do par inevitavelmente chamou todas as atenções do planeta para si. Mais do que isso, McIlroy se manteve firme como uma rocha no decorrer da competição, conseguiu 69 tacadas na sexta-feira e mesmo piorando um pouco no sábado, onde fez apenas duas tacadas abaixo do par, se mantinha na liderança geral com um total de 12 tacadas abaixo do par. Ao lado do experiente argentino Ángel Cabrera, foi o último a começar sua volta no domingo em Augusta, o dia que certamente ele vai querer esquecer para sempre.

Todos olhavam para McIlroy e se lembravam dos bons tempos de Tiger Woods, e o jogador americano que não ganha torneios a mais de um ano por sua vez também chamava a atenção como se estivesse voltando aos seus melhores dias. O ex-número um do mundo conseguiu uma volta espetacular de 66 tacadas na sexta-feira, só que no sábado o vento lhe atrapalhou, o drama de errar putts que não erraria em outra época voltou com tudo. Com 74 tacadas ele caía para apenas cinco abaixo do par e parecia estar dando adeus a mais uma chance de dar a volta por cima. No domingo Tiger Woods finalmente fez um eagle, conseguiu chegar a -10 na competição, mostrou que ainda pode ser o velho Tiger, porém provou que uma volta ruim pode lhe custar o título, uma volta ruim no sábado que nem de perto foi tão ruim quanto a volta de Rory McIlroy no domingo.

Confiança ele tinha, mas ao invés da concentração máxima ele preferiu a descontracção para evitar a tensão vendo um jogo de rugby na TV antes de ir para o Augusta National Golf Club. Bogey no primeiro buraco, bogey no quinto buraco. O domingo em Augusta não está sendo um bom domingo para o irlandês, e ele só pode piorar quando o jogador chega no buraco dez. A banca, a floresta, a árvore no meio do seu caminho, McIlroy sucumbe, McIlroy entra em total colapso, McIlroy faz double bogey, faz bogey e faz double bogey novamente. Rory McIlroy deixa escapar uma vantagem na liderança que não acontecia desde de Ken Venturi em 1956. O domingo foi triste para um jogador jovem que ainda pode se recuperar no futuro, o domingo foi de esperança para Tiger Woods que ficou empatado em quarto lugar, o domingo ainda foi de alegria plena para outro jogador, mais uma vez o domingo em Augusta é melhor para um jogador do qual até então ninguém havia ouvido falar.

Como Trevor Immelman de 2008 principalmente por ser sul-africano. Mas ele também é o Ángel Cabrera de 2009 ou o Zach Johnson de 2007 e o Mike Weir de 2003. Eles surgem do nada, acabam com as esperanças de haver um multiplo empate incrível de vários jogadores com -10, eles aparecem fazendo eagle logo no primeiro dia e logo no começo da última volta. Eles acabam com os sonhos de jogadores como Adam Scott, Jason Day, Luke Donald e até Geoff Ogilvy que cresceram na reta final. Eles conseguem fazer o incrível acontecer nos últimos quatro buracos, com quatro birdie´s consecutivos e uma volta final de 66 tacadas. A chance de Tiger Woods voltar acabou de uma vez, ninguém se lembra mais de Rory McIlroy que afundou com oito acima. O mundo agora passa a conhecer Charl Schwartzel, o mais novo campeão do Masters, o jogador que fez mais uma domingo em Augusta se tornar especial e inesquecível, provando que para ser campeão tem que ser bom todos os dias, principalmente no último deles. (Foto: John Biever/SI)

0 comentários: