É o fim da era Phil Jackson

13:37 Net Esportes 3 Comments

Simplesmente o maior treinador de toda a história da NBA. Não por acaso Phil Jackson merecia uma despedida do maior basquete do mundo no mínimo muito mais digna do que acabou sendo, uma derrota acachapante, um verdadeiro massacre, uma varrida em uma série melhor de sete jogos que jamais havia acontecido antes. Ninguém poderia prever que isso iria acontecer logo com o Los Angeles Lakers liderado por Kobe Brynat, o todo poderoso Lakers que levou o título nos dois últimos anos, um deles frente ao maior rival Boston Celtics. Ninguém sequer imaginou que o Dallas Mavericks teria todos esse poder de fogo, que poderia anular completamente o ataque do oponente e que poderia proporcionar esse final de carreira melancólico para o melhor técnico de todos os tempos na NBA.

Após ganhar o anel de campeão no ano passado, nada a menos do que o 11º de sua carreira, Phil Jackson não dava sinais de que iria continuar no comando da equipe, de que iria para mais uma temporada no Los Angeles Lakers. O tempo passou rápido e a decisão veio mais rápida ainda, uma temporada a mais, o último ano como treinador como havia afirmado e como acabou confirmando ontem mesmo na entrevista coletiva que deu após a triste derrota. Poderia ter sido muito melhor do que foi, mesmo que o Lakers tenha tido altos e baixos durante a temporada regular, mesmo que o Lakers nem de longe fosse um dos favoritos ao título, mas era o Los Angeles Lakers tantas vezes campeão da NBA, era o Lakers de Kobe Bryant, de Pau Gasol, era o Lakers de Phil Jackson, o técnico que sempre ganhava três títulos de forma consecutiva.

A sina começou nos anos 90, quando assinou com o Chicago Bulls em 1989 e deu início à parceria mais do que vencedora com o maior de todos Michael Jordan. Três títulos seguidos entre 1991 e 1993 e depois outros três títulos seguidos entre 1996 e 1998. A saga frente aos touros vermelhos de Chicago havia chegado ao fim, mas ela voltaria na terra onde o sol brilha mais forte, no time amarelo da Califórnia, formando novamente uma parceria que por algum tempo foi imbatível, a parceria com Kobe Bryant, a parceria que entre os anos de 2000 e 2002 lhe rendeu a terceira série de três vitórias consecutivas. O três parece ser o seu número da sorte e ganhar três vezes seguidas era a sua rotina, não poderia ser diferente depois que ganhou os títulos de 2009 e 2010, ele tinha que vencer em 2011 também, mas não venceu.

O Lakers de Jackson já havia sido derrotado em uma final de NBA, foi em 2004 quando a equipe acabou surpreendida pelo Detroit Pistons. Com o Chicago Bulls isso jamais havia ocorrido, mas com o Lakers aconteceu duas vezes, a outra foi em 2008 quando o Boston Celtics se tornou campeão. Essa talvez seja a explicação para que a quarta série de três títulos consecutivos não tenha ocorrido novamente, o primeiro dos três deveria ter sido em 2008 e não em 2009, e o último em 2010 e não em 2011. O ano de 2011 era para ser o ano em que Phil Jackson já estivesse aposentado, com mais uma trinca de títulos no bolso, só que infelizmente não foi assim, para tristeza de todos os angelinos e de todos os seus fãs pelo mundo, para lamento de todos os admiradores do Lakers e alegria de quem o odeia, o pior golpe acabou vindo, uma derrota dolorida e sem dúvida alguma vexatória.

Kobe Brynat estava triste, todos os jogadores do Lakers estavam de cabeça baixa, tristes por terem sido humilhados pela equipe que é liderada pelo excelente Dirk Nowitzki e que tem também o veterano Jason Kidd. Mas Phil Jackson estava relativamente tranquilo, até com bom humor na entrevista que deu, aquela que todos apontam como a sua última entrevista como técnico da NBA. A perda de Phil Jackson, que hoje está com 65 anos de idade, é péssima para o Lakers e também muito ruim para a própria NBA, pois está indo embora aquele que pode ser facilmente apontado como o maior técnico de todos os tempos, principalmente pelos números que conseguiu, 11 anéis de campeão como treinador e mais dois como jogador, é mais do que seus dedos da mão podem usar. Não tem como agora pelo menos ficar imaginando ou sonhando que logo logo ele resolva voltar, qualquer equipe terá esse sonho sem dúvida alguma. (Foto: Ronald Martinez/Getty Images)

3 comentários:

Ron Groo disse...

Vou te falar... Este negócio de marcar data de saida é perigoso.
Ele saiu simplesmente com a maior derrota que sofreu em toda sua história na liga...

Foi triste ver uma carreira tão vitoriosa (a mais penso eu) se encerrar com um sacode neguinho tão grande.

Triste. Sob todos os aspectos... Triste.

Net Esportes disse...

@Ron Groo: Como técnico é a carreira mais vitoriosa sim Groo ... e eu tb não boto muita fé não, talvez ele fique um ano fora, bate aquela saudade e ele volta .... quem sabe no Uath Jazz !!! Eu queria ver ele no Bulls ou no Knicks.

Ron Groo disse...

No Bulls eu aceito, no Knicks nem pensar... No Jazz só se dessem a ele um time. Hoje não tem.