As loiras de Wimbledon

09:27 Net Esportes 4 Comments

Além de longos cabelos loiros e sempre amarrados no estilo 'rabo de cavalo' trançado, pelo menos três das quatro semifinalistas do torneio de Wimbledon tem mais um detalhe em comum nas suas cabeças, uma faixa branca cujo objetivo além de dar um pouco mais de estilo ao visual de uma jogadora de tênis, serve também que evitar que o suor fique escorrendo nos olhos e causando um incomodo enorme na hora de colocar em prática o seu esporte favorito. Já a quarta candidata ao título desse ano na sagrada grama de Londres também é loira, porém seu cabelo não é trançado como o das outras jogadoras e ela também não usa a famosa faixa, preferindo um tipo de viseira com aba fornecida pelo mesmo fabricante das faixas, onde o símbolo neste caso é dourado contra o preto de duas das outras e um azul claro da quarta. Apenas detalhes, pequenas diferenças entre as quatro loiras de Wimbledon 2011.

Pode até serem apenas detalhes, mas a loira com mais diferenças entre as quatro é justamente a que tem mais experiência, e a única que já foi campeão no All England Club. Finalmente Maria Sharapova voltou a jogar na quadra central onde esteve na primeira rodada, e lá ela parece se sentir em casa, perdeu apenas dois games, sendo que em sua estréia havia perdido apenas três. A musa russa está definitivamente voltando aos velhos tempos, parecendo uma adolescente em quadra bem parecida com ela mesma de 2004, quando foi campeã deste mesmo Grand Slam aos 17 anos de idade. Seus gritos estão mais estridentes, principalmente pela acústica causada pelo teto da quadra fechado para proteger a todos da famosa chuva que parece cair todos os dias na capital da Inglaterra. Depois da semifinal de Roland Garros, Sharapova chega na semifinal de Wimbledon onde não chegava desde 2006, quem poderá segurá-la agora?

Não tem mais Serena Willimas, nem Venus, Williams e nem uma outra loira que poderia ou até deveria estar nessa fase com certeza, a número um do mundo Caroline Wozniacki. As favoritas não resistiram e quem se superou foi a alemã Sabine Lisicki, primeira representante de seu país a chegar nessa fase do torneio de Wimbledon desde a excepcional Seteff Graf. Lisicki vibra com cada ponto de uma forma extremamente contagiante, exibindo praticamente todos os dentes de sua boca, assim como sorri alegremente com algumas de suas vitórias, em especial a das quartas-de-final contra a francesa Marion Bartoli em três sets. Resta saber agora se essa jovem loira será capaz de superar a loira mais conhecida, pois quem conseguir seguir em frente terá mais uma loira na decisão, pois a outra semifinal está reservada para outro duelo bem parecido com esse.

De um lado estará Victoria Azarenka, em busca de seu primeiro título de Grand Slam e chegando na semifinal de Wimbledon pela primeira vez na sua carreira. Do outro vem Petra Kvitová, que parece até sua sósia, quem sabe uma irmã ou prima distante, mas elas não nasceram nem no mesmo país, com a diferença de que Kvitová também foi finalista no ano passado. Lisicki, Azarenka e Kvitová, três loiras com cabelo preso e trançado contra Sharapova, outra loira com cabelo diferente e que não usa faixa como as outras três, que além de todas essas semelhanças ainda conseguem ter mais em comum, pois todas elas tem apenas 21 anos de idade, contra 24 de Sharapova. Nesta quinta-feira acontecem as duas partidas e no sábado a grande decisão, onde somente uma loira poderá seguir sorrindo, a loira diferente ou uma das três loiras tão parecidas visualmente, porém nenhuma delas tão linda como Maria Sharapova. (Por: Net Esportes Fotos: Getty Images)

4 comentários:

Sabe o que as quatro tem em comum?

A Beleza! hahahaha

elas são lindas...

Ron Groo disse...

Cê pode até me chamar de louco, mas sabe que prefiro as irmãs Williams... Sei lá... hehehehe

Net Esportes disse...

@Publicidade Esportiva: A Sharapova e a Azarenka sem dúvida alguma, lindíssimas .....

@Ron Groo: Não que eu prefira tb Groo, mas sempre achei a Serena, pelo menos, interessante de certa forma ....

Pena que Caroline Wozniacki não foi longe em Wimbledom este ano.