A primeira derrota de Vettel

11:02 Net Esportes 4 Comments

China, Canadá e Inglaterra; em três oportunidades nesta temporada o piloto alemão Sebastian Vettel não foi o vencedor da corrida como em outras seis ocasiões. O detalhe, no entanto, é que nessas três vezes que o piloto da Red Bull não venceu houve erros por parte de sua equipe e por parte dele mesmo, que mesmo assim renderam um prejuízo bem pequeno já que ficou sempre na segunda colocação. O GP da Alemanha então chegou, correr em casa é sempre um momento especial, uma chance para se recuperar como havia se recuperado no GP da Turquia e no GP da Europa. Segundo ele mesmo não havia pressão nenhuma, mesmo que nunca tivesse ganhado em Nürburgring ou em Hockenheimring, e sem pressão ninguém erra, nem em uma parada na última volta, mas enfim pela primeira vez o melhor piloto da temporada finalmente perdeu sem que houvessem erros.

No meio da floresta, frio em pleno verão, a Red Bull pode facilmente usar a desculpa da temperatura baixa como justifica de seu desempenho ruim na corrida. O mapeamento do motor, difusor soprado, o recurso proíbido pela FIA voltou e nos treinos as coisas quase continuaram como sempre, pois a Red Bull seguiu fazendo a pole position, só que desta vez foi Webber em primeiro, e com o líder do campeonato em terceiro, fazendo cara de poucos amigos um dia antes da corrida, dando indícios de que o fim de semana não seria nada bom. Quem ocupou a segunda colocação na Alemanha foi Lewis Hamilton, a McLaren era na verdade a equipe mais prejudicada com a proibição da FIA na última corrida, só porque estavam em casa, só para dar um gostinho de alegria para a Ferrari pelo menos uma vez no ano.

A Ferrari não decaiu porque o difusor voltou, Alonso andou muito bem, poderia até ter vencido, mas a chance da temperatura baixa ter mesmo dificultado a vida da Red Bull e não ser apenas uma desculpa é muito grande. A Ferrari colocou Alonso no pódio, na frente de Webber, mas conseguiu fazer Felipe Massa ficar atrás de Vettel na última volta depois de um erro durante a troca de pneus que não aconteceu durante toda a corrida, muitos vão dizer que é sempre com o brasileiro, que é sempre de propósito. As trocas de pneus, três paradas nos boxes para cada um dos principais pilotos, foi mais uma vez a grande protagonista da corrida. Quem fez as melhores escolhas ficou na frente, quem soube parar na hora certa e principalmente quem soube fazer uma troca rápida conseguiu ficar à frente, simples assim.

O talento da Lewis Hamilton não se questiona, sua largada foi expcional. A vontade de Alonso não se discute, seu arrojo lhe garantiu a segunda colocação na prova. Mark Webber poderia ter salvado o dia da Red Bull, mas essa tarefa ficou com Vettel que depois de perder por três erros perdeu de verdade, mas contando no final com uma verdadeira sorte de campeão que lhe rendeu mais dois pontos na luta pelo título antecipado. Mesmo assim o crédito da vitória da Hamilton vai para os pequenos detalhes, o fato de ter parado antes da Ferrari na segunda rodada de pits e principalmente na última, quando todos (incluindo principalmente Vettel e Massa) achavam que retardar o uso dos pneus duros fosse melhor porque eles eram até dois segundos mais lentos que os macios; só que isso considerando os macios novos e não desgastados como estavam no final da corrida.

Dez corridas foram disputadas, nove ainda restam para o final. O campeonato passou da metade e ainda restam muitos pontos para serem disputados. Sebastian Vettel, a grande sensação da temporada, o grande líder do campeonato, venceu apenas uma vez nas últimas quatro corridas, pela primeira vez no ano ficou duas corridas seguidas sem vencer, ficando também fora da primeira fila na largada após 14 corridas e fora do pódio depois de 12 provas. Poderia sim ser o momento de acender uma luz amarela de alerta, ficar um pouco preocupado, mas isso é puro exagero. Essa foi a primeira derrota de fato para o alemão, sua vantagem na liderança é enorme, o piloto pode facilmente ser campeão sem vencer mais nenhuma corrida e pode ainda se recuperar já na próxima semana quando se disputa o GP da Hungria, onde a Red Bull dominou no ano passado com Vettel em primeiro e Webber em segundo, onde as coisas podem voltar ao normal na Fórmula 1. (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

4 comentários:

Marcelonso disse...

Dessa vez Hamilton derrotou a Red Bull no braço, numa bela corrida.

Espero que o equilibrio permaneça na categoria, ao menos assim temos chance de assistir briga lá na frente.

Mas uma coisa é certa, a vantagem que Vettel construiu na 1ª metade lhe garante uma imensa tranquilidade nas provas restantes..


abs

Net Esportes disse...

@Marcelonso: Eu acho que saria uma catástrofe gigantesca o Vettel perder o título, mesmo que haja esse equilíbrio, um equilíbrio que por enquanto eu acho que não existe.

abs

Fábio Flora disse...

Faria muito bem ao campeonato uma reação da Ferrari e da McLaren. Parece até que ela já está acontecendo. Só não sabemos se será suficiente para tirar a enorme vantagem da RBR.

Abraços e sucesso!

Net Esportes disse...

@Fábio Flora: Todos anseiam por esse equilíbrio porque é mais interessante, rende mais audiência, mais dinheiro ... porém a F-1 permite um domínio de uma equipe só, a Ferrari de Schumcaher e tantos outros exemplos, portanto a Red Bull fez por merecer ser a melhor, ganhar por antecipação, se não conseguir isso seria uma catástrofe. Eles merecem, o Vettel merece. Quem é fã de F-1 não vai parar de ver se o campeonato acabar com três ou quatro provas antes do fim.