Reclamou quem nem deveria

18:05 Net Esportes 3 Comments

Me lembro do dia em que ocorreu o GP do Japão de 1991 como se fosse ontem, bem mais do que posso lembrar dos mais ricos detalhes que aconteceram no GP Brasil de ontem. Naquele dia 20 de outubro um acontecimento inesperado marcou a chegada da corrida disputada no circuito de Suzuka, onde o piloto brasileiro Ayrton Senna abriu passagem para seu companheiro de equipe e amigo Gerhard Berger pouco antes da lnha final na última volta. Na primeira impressão parecia um gesto genoroso de um bondoso piloto que naquela altura já havia garantido o título da temporada, mas era na verdade uma ordem da equipe McLaren, do chefão Ron Dennis, a vinte anos atrás e já causando tanta polêmica quanto qualquer ordem de equipe para que um piloto deixe seu companheiro passar causa até os dias de hoje.

O caso de Senna e Berger não tem nada em comum com o ocrrido no GP Brasil de 2011 entre Sebastian Vettel e Mark Webber. A ordem da McLaren que sempre rejeitou o jogo de equipe foi apenas para ver o austríaco vencer pela primeira vez no time, uma forma de agradecer o piloto pelo trabalho realizado nos últimos dois anos defendendo a equipe, período em que jamais cedeu sua posição para Ayrton. Mas tanto Berger quanto Senna ficaram incomodados com a situação, jamais conversaram sobre o assunto e o vencedor daquele dia não fez a menor questão de agradecer seu companheiro pela 'caridade' desnecessária. A polêmica acabou sendo grande, porém interna, certamente um exagero perto dos casos da Ferrari que envolveram Michael Schumacher, Rubens Barrichello, Felipe Massa e Fernando Alonso.

Supondo que Senna fosse bondoso e tivesse dado a vitória para seu amigo, além de lembrar o dia em que Kimi Räikkönen foi campeão da Fórmula 1 depois de 'ganhar' a vitória que seria de Felipe Massa justamente no GP Brasil de Fórmula 1, qual seria o problema em Vettel ceder a primeira posição em Interlagos para o seu companheiro Mark Webber, que não havia vencido nenhuma corrida no ano e lutava pelo vice-campeonato? Passar o companheiro em um jogo de equipe maquiado através das paradas nos boxes é válido para a Ferrari, que já vez a troca de posições duas vezes de forma descarava na pista, mas para eles os outros não tem esse 'direito' que acabou sendo proibido pela FIA após as atitudes deles mesmos da Ferrari, que certamente serão os primeiros a reclamar se alguém fizer mesmo que na última prova.

Vettel não pode ceder a vitória por caridade, não pode por ordem da equipe que quer o vice campeonato ou até mesmo o terceiro lugar. E ainda por cima na última corrida faz isso ser um absurdo tão grande que a palavra equipe e companheiro de equipe perdem completamente a lógica. E mais do que acreditar que a Red Bull, sempre um defensora do não jogo de equipe, e que tenha feito o tal jogo, é duvidar que o carro de Vettel tenha tido reais problemas com o câmbio, perdido rendimento e por essa razão o piloto acabou sendo obrigado a diminuir o ritmo e dar passagem ao companheiro. As suspeitas foram levantadas pela mídia e principalmente pela Ferrari, a grande prejudicada do dia que viu seu piloto amargar a quarta colocação na corrida e no campeonato.

A Red Bull, por sempre renegar o jogo de equipe, já teve seu prêmio com o título no ano passado. A Red Bull pode mudar de opinião se quiser, principalmente se for a última corrida do ano. Por tudo que fez até hoje é difícil duvidar que Vettel não tenha tido o mínimo problema no carro que fosse, mesmo que fosse algo que não o obrigasse diminuir tanto a ponto de ser ultrapassado por apenas um carro. Ele tem o direito de ajudar um companheiro de equipe em uma última corrida no ano, a Red Bull tem que ter esse direito de lutar por um vice campeonato ou mesmo um terceiro lugar. O pior de tudo nesse história toda é ver quem mais reclama, a Ferrari, logicamente por ter sido a mais prejudicada em São Paulo, mas bizarro por ser a equipe mais trambiqueira e que mais fez o jogo de equipe até hoje. São justamente os que menos deveriam ficar reclamando e acusando. (Foto: Getty Images)

3 comentários:

André Candreva disse...

Amigos,

uma excelente observação do que de fato ocorreu ontem em Interlagos envolvendo os pilotos da RBR...

abs...

Marcelonso disse...

Surgiu a noticia que o problema era real, que Vettel ficou até a noite em Interlagos para acompanhar a abertura do cambio e por ai vai...

Ainda que não seja totalmente verdade, a atitude não tem nada de condenavel, até porque está liberado pelo regulamento.

O fato é que a vida de Webber foi facilitada, mas e dai? O dia era de festa para os rubrotaurinos.
abs

Net Esportes disse...

@André: Muito obrigado.

@Marcelonso: Concordo plenamente!