Esqueceram que é Grand Slam

15:43 Net Esportes 0 Comments

John Isner. Quase cinco horas de jogo. Isso te lembra alguma coisa? Eu lembro naturalmente do torneio de Wimbledon, eu lembro do jogo mais longo na história do tênis que durou três dias. Desta vez não era na grama e não havia o Nicolas Mahut do outro lado. Desta vez foi na Austrália, na terra do canguru, em uma quadra bem mais próxima e mais cheia de torcedores. O jogo foi bem mais cheio também, cheio de polêmicas, envolvendo o derrotado, o argentino David Nalbandian. Ele foi prejudicado pela arbitrgagem, foi uma vítima de pessoas que supostamente parecem querer chamar a atenção dos holfotes e literalmente se esquecem do principal, se esquecem que se trata de um torneio Grand Slam.

Uma vez, durante o US Open, a americana Serena Williams se revoltou com a juiza de linha. Um chilique incrível da jogadora que esse ano na Austrália tem apenas reclamado dos insetos, pedindo para não jogar mais no período noturno. Se ela prefere suportar o calor do dia o problema é dela, mas que ela não estava certa naquele ano durante o torneio em Nova York isso ela não estava mesmo, e mereceu a multa por suas atitudes inaceitáveis. Às vezes, no entando, o jogador está certo, e nesse caso cabe ao juiz perceber que está errado e procurar o melhor meio para resolver o problema. Hoje em dia existe o recurso eletrônico, o replay da jogada, os chamados desafios que os jogadores tem o direito de pedir. Em um torneio Grand Slam é impossível aceitar e engolir um erro de juiz.

Os sensores, quando são usados, geralmente trabalham apenas na área de saque. A rede tem um sensor que eliminou o juiz dos dedos na rede, isso foi um avanço enorme. Mas talvez o recurso dos sensores seja muito caro, mais do que o recurso da TV e do replay. O único problema no recurso do replay talvez seja o tempo que ele demora para ser revisto, se toda hora alguém quiser ver então todo jogo vai parecer um jogo do Isner, longo e demorado. Assim cada jogador tem um número limite de pedidos por set, David Nalbandian ainda tinha um no quinto set do jogo contra John Isner, mas o juiz disse que ele demorou demais para pedir e negou rever um jogada quando a partida estava empatada em 8 a 8 e era um break point ainda por cima!

Como um árbitro de cadeira não revê uma jogada polêmica em um torneio de Grand Slam? Sem contar que o juiz de linha cantou bola fora e o replay na TV mostrava que a bola foi mesmo fora. David Nalbandian se revolta completamente, tanto quanto a Serena se revoltou no US Open, mas ela não tinha razão e o argentino tinha. Nalbandian se descontrolou tanto que não conseguiu mais se controlar, perdendo o jogo com 10 a 8 no quinto set em favor do rival Isner. A batalha durou 4h41min. David Nalbandian não jogou o seu melhor tênis e talvez não tivesse vencido mesmo que não houvesse erro do árbitro, talvez ainda estivessem jogando até agora, afinal era John Isner do outro lado, mas houve um erro e o pior de tudo foi o juiz não assumir o equivoco e não querer rever a jogada de forma alguma. Isso é um absrudo enorme se tratando de Grand Slam, um árbitro que erra assim e toma atitudes como essa no mínimo deve ser banido de um torneio como esse. (Foto: AP)

0 comentários: