Uma das maiores esquiadoras de sempre

10:13 Net Esportes 2 Comments

Lindsey VonnMuito longe de casa, das especulações sobre o destino de Peyton Manning ou ainda os agitados treinos de primavera do beisebol. Ela não causa alarde e nem vira mania mundial como Tim Tebow ou Jeremy Linn, mas a esquiadora americana Lindsey Vonn escreve a história sobre as montanhas de neve e se torna uma das maiores atletas de todos os tempos. Nem parece possível imaginar que o título geral da Copa do Mundo de Esquia Alpino do ano passado escapou por apenas três pontos. Como foi possível aquele triunfo apertado da alemã e amiga querida Maria Riesch? Hoje poderiam ser cinco títulos consecutivos, mas mesmo que sejam quatro não significa que não seja grande. Antes dela foram poucos que subiram tão alto quando foram ao topo do mundo.

Se Lindsey Vonn fosse derrotada nessa temporada como foi no ano passado, poderíamos entender melhor. A esquiadora se separou do marido Thomas Vonn, mas manteve o sobrenome de casada, afinal é conhecida no mundo todo por ele. Assim ela voltou a ser treinada pelo pai, Alan Kildow, que não aprovava seu relacionamento iniciado desde sua juventude. A mídia querendo arrumar um novo par para uma das musas do esqui, o assédio inevitável se tornando cada vez maior, mas Vonn se mantendo firme como uma rocha, focada em seu objetivo. Nada, nem mesmo Tina Maze e tão pouco Riesch. Ninguém conseguiu parar Lindsey que começou o ano ganhando em uma descida que jamais havia triunfado: O Giant Slalom. Apenas a quinta esquiadora a vencer em todas as disciplinas, com quem mais deveria ficar o título desse ano?

Gigante como o Slalom que voltou a conquistar nesta sexta-feira, maior ainda porque não parou por aí. Lindsey Vonn chegou a 52 vitórias na carreira, só existem duas esquiadoras com um número maior de vitórias do que ela na história. Vreni Schneider com 55 e Moser-Proell com 62. Para se ter uma idéia do tamanho da importância disso, basta ver que um dos esquiadores mais conhecidos no mundo, Hermann Maier, tem um total de 54 vitórias em sua carreira. Sem falar que Vonn faturou também o título no Downhill e no Combinado, podendo vencer o Super G e quem sabe ainda faturar o Giant Slalom. Com incríveis 1808 pontos, ela pode ainda romper a improvável marca dos 2000 pontos, sendo que o recorde é de Janica Kostelic que fez 1970 em 2006. Depois disso a meta será vencer a Copa do Mundo seis vezes, proeza de Annemarie Moser-Proell nos anos de 1970.

Quatro títulos de Copa do Mundo em cinco anos. Números incríveis, recordes e conquistas inéditas que pelo menos nenhum outro americano havia conseguido, nem no masculino. Além de Moser-Proel, só o esquiador Marc Girardelli tem mais títulos de Copa do Mundo do que Lindsey Vonn agora. Será que é tão dífícil afirmar que a esquiadora americana Linsey Vonn é uma das maiores de todos os tempos? Só porque ela não é apenas uma vaga lembrança na memória fraca de quem gosta de ver o passado e ignorar o presente. É tão difícil reconhecer o talento de Meryl Streep para lhe entregar o Oscar? Michael Jordan precisa jogar com 40º de febre para provar o quanto é bom? Tiger Woods tem mesmo que superar Jack Nicklaus em Majors para ser o melhor da história? Por que não aproveitamos o que estamos vendo agora mesmo, no presente, ao vivo e a cores? E esse presente é Lindsey Vonn, tão longe, tão distante e tão gigante. A Rainha da Neve, que ainda tem um longo caminho pela frente e pode ser ainda maior do que já é. (Foto: Jonathan Nackstrand/AFP/Getty Images)

2 comentários:

Patrick disse...

Poxa ela eh fera mesma...

Eu fico pensando uma coisa... Será que se no Brasil nevasse o esqui seria um esporte popular aqui? Talvez não por causa dos equipamentos caros e não ser tão prático assim de fazer...

Net Esportes disse...

@Patrick: Acho que não Patrick. Na América do Sul neva onde? no Chile ... Na Argentina ... eu nunca ouvi falar de um esquiador desses países. O Brasil de gente no snowboard e outras modalidades de inverno, esqui alpino é o top dos esportes de inverno, uma tradição européia de quase 100 anos .... os EUA nunca haviam ido tão longe. abs.