Dança das cadeiras na Fórmula 1 de 2012

12:00 Net Esportes 1 Comments

A atual temporada da Fórmula 1 já pode ser reconhecida como aquela onde as coisas que não aconteciam a tanto tempo voltaram a acontecer. Na semana passada a Mercedes conseguiu uma vitória que não ocorria a milhões de anos, quando os dinossauros ainda andavam por aí. Já neste domingo, no GP do Bahrain, foi a vez da Lotus voltar ao pódio, fato que não ocorria desde 1988 quando Nelson Piquet foi terceiro na Austrália, e ainda com dois carros, uma façanha que não era alcançada pela equipe desde 1979 quando Carlos Reutemann e Mario Andretti ficaram em segundo e terceiro lugares respectivamente no GP da Espanha. Mas mesmo que tudo isso seja surpreendente, um fato alinda mais impressionante aconteceu, pois foram quatro pilotos de quatro equipes diferentes vencendo as quatro primeiras corridas do ano. A última vez que isso havia acontecido foi em 1983, quando Nelson Piquet da Brabham venceu no Brasil, John Watson com uma McLaren venceu nos EUA, Alain Prost de Renault foi o melhor correndo em casa na França e seu compatriota Patrick Tambay faturou o GP de San Marino correndo pela Ferrari. No final daquele ano o título ficou com o brasileiro, que só voltou a vencer outras duas vezes no final do campeonato. Será esse um bom sinal para Jenson Button?

Neste ano, Button não abandonou na segunda etapa como fizera Piquet em 1983, mas também não pontou. Já neste domingo na terra onde sunitas brigam com xiitas ele abandonou, tal como Piquet naquele ano onde assim como neste havia uma verdadeira dança das cadeiras na Fórmula 1. A única difença é que na terceira etapa daquele ano Piquet foi segundo e em 2012 Button ficou em quinto lugar. Além do fato que Button corre de McLaren e Piquet pilotava a Brabham, equipe que não existe mais. Então as acoincidências devem ficar restritas apenas no fato de quatro pilotos diferentes de quatro equipes diferentes terem vencido em quatro provas diferentes. É muito quatro para contar história, parece até o Mark Webber, que nas quatro provas do ano chegou na quarta posição. Isso mostra equilíbrio, o campeonato está equilibrado, e regularidade, que parececia ser privilégio da McLaren. Sem dúvida alguma um fator que deve ser levado em consideração, principalmente quando em meio a esse equilíbrio e regularidade se consegue uma vitória, como foi o caso de Sebastian Vettel, algo que ao contrário do que vinha acontecendo com todo mundo não fazia tempo que não acontecia, porém já estava deixando a equipe Red Bull com extrema saudade daquela rotina que os acompanhou por dois anos.

Vettel cruza a linha de chegada em primeiro com Kimi Räikkönen na sua cola e logo em seguida recebe uma ordem da equipe para encostar o carro. Havia um risco de acabar o combustível e não sobrar nada no tanque como rege o regulamento. Isso talvez seja a grande explicação para o atual bicampeão da Fórmula 1 ter conseguido largar na pole position em um ano onde parecia que a Red Bull não iria ser nem de longe aquela Red Bull que dominou 2011 e tirou coelho da cartola em 2010. Mas isso não explica o rendimento do carro no deserto ser bem melhor do que na poluição da China ou na chuva da Malásia, exceto talvez pela solidez de Webber que sempre esteve ali em quarto lugar. Mas Vettel foi segundo no Japão e quinto na corrida chinesa, sendo que seu 11º lugar na Malásia tenha sido apenas um resultado ruim em um dia atípico. Isso simplesmente faz a equipe Red Bull se tornar a mais regular do ano e com os resultados mais equilibrados, tudo porque Button ficou fora dos pontos duas vezes e Hamilton deixou de ser mais uma vez terceiro colocado, terminando apenas em oitavo, por dois erros da equipe, fundamentais para a equipe não ser mais a mais regular do ano e para Romain Grosjean e a Lotus agradecerem imensamente por conseguirem um resultado que não conseguiam desde 1979. Afinal essa é a tendência da Fórmula 1 em 2012.

Em três semanas, é provável que tudo mude novamente. As equipes vão melhorar seus carros, fazer novos testes e finalmente dar início à fase européia das corridas. Talvez a dança das cadeiras continue, talvez a Sauber ganhe uma corrida, ou a própria Lotus, quem sabe a Force India, mas é mais provável que quem já ganhou volte a vencer novamente e dê início a briga direta pelo título deste ano. Dificilmente será o caso da Ferrari, pois mesmo que melhore será uma grande vitória chegar ao pódio. Também não deve ser o caso da Mercedes, eles foram bem na China, mas terríveis nas outras corridas, principalmente Michael Schumacher. Agora a McLaren e a Red Bull sim. A equipe inglesa conta com pilotos competentes e está apenas dando azar com câmbios trocados e cometendo erros que não podem mais acontecer. Já os touros vermelhos criam asas e alcançam voos altos quando ninguém esperava mais, a paciência está lhe trazendo bons resultados e até vitórias surpreendentes, que inlusive lhe dão a liderança do campeonato de construtores e de pilotos com Vettel que abriu quatro pontos de vantagem para Hamilton. Tem tudo para ser uma briga entre duas equipes e quatro pilotos, mas com pelo menos outras três equipes e outros seis pilotos querendo entrar nessa briga. Assim está sendo esse ano de 2012 por enquanto, um ano equilibrado, onde o mais regular lidera, mas bagunçado e sem margem para previsões concretas, com qualquer um podendo vencer, caracterizando essa verdadeira dança das cadeiras. (Foto: Paul Gilham/Getty Images)

1 comentários:

Marcelonso disse...

Esse ano o campeonato por enquanto está tão bacana, que até a corrida no Bahrein foi boa de assistir, e olha que a pista é uma m.....ao cubo!

Vettel segue mostrando suas qualidades, mesmo sem um canhão na mão consegue vencer...

Já Uéééber segue fazendo seu trabalho de praxe, nem mais nem menos.

Tomara que essa vitória dos rubrotaurinos não seja uma prenúncio de um novo dominio.


abs