Lendas das Olimpíadas - Paris 1900

15:52 Net Esportes 3 Comments

Imagine considerar os Jogos Olímpicos um verdadeiro fracasso? Mas acredite ou não isso aconteceu na segunda edição das Olimpíadas, que foram disputadas em Paris no ano de 1900, ironicamente bem na terra do seu idealizador, o Barão Pierre de Coubertin. Questões políticas integraram os jogos à grande feira mundial, fazendo com que sua duração fosse além dos quatro meses de disputas. Infelizmente foi uma competição tão insignificante na época e tão sem prestígio que chegou a ser batizada de Concurso Internacional de Exercícios Físicos e de Esportes. Concurso? Que bizarro, que triste, que decpeção. Ainda bem que tudo melhorou, e com o passar do tempo o que era descartável se tornou lendário, e com muitas lendas que fizeram história.

As lembranças da primeira olimpíada do século passado não são muito boas, mas como tudo que tem um lado ruim, sempre existe um lado bom. As mulheres, ao contrário do que havia acontecido em Atenas 1896, tiveram a chance de competir. Uma dessas mulheres foi a tenista Charlotte Cooper, uma inglesa que provavelmente causava inveja no mundo fashion daquela época, caso ele realmente houvesse. Seus trajes estavam extremamente adequados à chamada vestimenta vitoriana. Charlotte usava um vestido longo que ia até os seus tornozelos, a sua camisa tinha mangas compridas, independente da temperatura que estivesse fazendo, e ainda fazia parte do uniforme uma gravata toda listrada. Se alguém pensou que toda essa roupa prejudicasse seu jogo se enganou, ela ganhava e ganhava quase tudo.

Mais do que vencer, Charlotte Cooper ainda fazia algo mais surpreendente do que praticar esportes com tantas roupas, saias longas e manga comprida. Charlotte ainda ia para as disputas pedalando sua bicicleta. Um dos locais que mais adorava ir, principalmente por ser britânica e morar em Londres, era justamente o complexo de tênis de Wimbledon. Quem joga em sua cidade natal costuma dizer que está jogando em casa, e Charlotte muito provavelmente tinha nas gramas sagradas de Wimbledon o seu verdadeiro lar. A mulher incrível e com estilo faturou a prestigiada competição nada a menos do que cinco vezes, tendo ainda ficado com outros cinco vice-campeonatos. Em meio a tantas glórias ainda teve tempo para fazer história nas Olimpíadas, se tornando uma das grandes lendas do esporte.

Ironicamente em 1900 ela perdeu para sua compatriota Blanche Bingley Hillyard pela terceira vez na final do torneio de Wimbledon. Nessa época ainda não existia o torneio de Roland Garros, porém não faltou um motivo para ela ir até Paris. Lá havia aquela pratica de exercícios físicos não muito importante, lá estava acontecendo o evento esportivo mais importante do mundo, mesmo que eles não soubessem disso. Charlotte Cooper talvez soubesse, porque ela venceu a chave de simples e se tornou a primeira mulher da história a faturar uma medalha de ouro olímpica. Se não bastasse ela ainda levou o campeonato de duplas mistas jogando ao lado de Reginald Doherty. Charlotte morreu na Escócia em 1966, com 96 anos de idade e a mesma elegância que mostrava dentro de quadra, que lhe davam vitória, glórias, títulos e a tornaram uma das maiores lendas do esporte e das Olimpíadas. (Foto: Arquivo)

3 comentários:

Marcelonso disse...

Que bela história dessa mulher. É sempre muito interessante descobrir pérolas como essa por aqui.


abs

Realmente eh uma bonita história, eh sempre bom aprender e descobrir o que aconteceu no passado....

Luiz Paulo Knop disse...

Curto demais essas histórias! Teve uma parte que você fala que é interessante demais, quando diz que ela praticava esporte com aquele monte de roupa... imagina o quanto que esse pessoal perdia de performance na época!!!