Obrigado por fazerem parte do esporte

09:47 Net Esportes 4 Comments

Obrigado John Isner e obrigado Paul-Henri Mathieu. Heróis. Obrigado por fazerem parte do esporte e obrigado por mais um dia histórico e inesquecível no mundo do tênis. Obrigado por estarem na quadra central de Roland Garros, obrigado por pisarem em um saibro de cor original e não um saibro azul smurf. Obrigado ATP por não permitir tie-break um quinto set de um torneio Grand Slam, para que o melhor realmente saia vitorioso em um duelo tão equilibrado. Obrigado mesmo Isner e Mathieu, por não se entregarem jamais e por lutarem bravamente durante quase seis horas de jogo. Heróis.

Obrigado John Isner por sua valentia e determinação. Não foi por acaso que você proporcionou em 2010 o jogo mais longo da história do tênis em todos os tempos. Não foi por acaso que você se esforçou tanto para vencer na grama sagrada de Wimbledon após 11h05m em três dias intermináveis. Obrigado por fazer 41 aces contra Mathieu na Philippe Chatrier e conseguir um número extremamente expressivo de 107 winners. Obrigado por salvar cinco match-points e evitar que tudo acabasse antes de pelo menos se aproximar do recorde em Paris. Obrigado por pelo menos ameaçar fazer um jogo tão duradouro quanto as 6h35m que Fabrice Santoro e Arnaud Clement proporcionaram em 2004.

Obrigado Paul-Henri Mathieu por se recuperar da lesão que teve no ano passado e também por aceitar o convite da organização e jogar em Roland Garros esse ano. Obrigado pelo sentimento de revanche que move a vontade de vencer no esporte, afinal quem estava no jogo mais longo da história do tênis contra o americano Isner era Nicolas Mahut, seu compatriota francês que gostaria muito de ter jogado diante de sua torcida como pôde fazer Mathieu. Obrigado também Mathieu por ter conseguido fechar o jogo em 18 a 14 no quinto set, antes que o último raio de luz do dia fosse embora, antes que tudo fosse adiado para o dia seguinte como aconteceu em Wimbledon e talvez como Isner gostaria que tivesse acontecido.

Obrigado mesmo por vocês terem escrito mais um caítulo épico na história do esporte. O tipo de situação que não acontece todos os dias. Um acontecimento que fica marcado para sempre e jamais poderá ser apagado ou esquecido. Nesses momentos não existem derrotados ou perdedores, John Isner é tão vencedor quanto Paul-Henri Mathieu, tão vencedor quanto fora também Nicolas Mahut. Todos eles fazem parte do esporte, todos eles fazem o esporte acontecer a cada dia, com seus recordes, com suas determinações, com sua luta para continuar sempre seguindo em frente. Tudo até o próximo dia que alguém entrar em quadra para não querer sair nunca mais, para querer continuar jogando eternamente. Muito Obrigado mesmo. (Foto: AP)

4 comentários:

Marcelonso disse...

Sempre que posso, procuro assistir partidas de tenis. Mas quando de trata de Roland Garros é diferente...

Existe um clima único por lá, por isso sempre temos belos jogos, como foi esse.


abs

Net Esportes disse...

@Marcelonso: Seria Roland Garros o melhor dos Grand Slams ? No outro post eu estava debatendo sobre o Tour de France ser a melhor Volta ciclística ..... O que será que tem na França?

Sem falar nas 24 horas de Le Mans. E ainda cancelaram o GP na Fórmula 1, que coisa!

Marcelonso disse...

Pois é, na França tudo é diferente...

Tô com vontade de ir pra França novamente...é a enésima vez que me dá essa vontade...


abs

Patrick disse...

Tudo na França eh diferente, naum sei pq... rsrsrsrs

Ah Paris! Ah Paris!