O Tour, as tachinhas e o Fair Play

16:18 Net Esportes 2 Comments

O Tour de France, principalmente nos últimos anos, mantém a impressão de que não é tão difícil ou desafiador como vem sendo o Giro de Itália. Na primeira semana da edição de 2012, onde houve mais etapas planas e de média montanha, além de um contra-relógio, as coisas foram muito mais agitadas do que na segunda semana que teve três etapa de montanha. Mesmo assim o Tour de France mantém o seu carisma, a sua importância, o seu jeito de ser que atrai uma multidão apaixonada na beira das estradas, principalmente nas etapas em subida. Fantasias, bandeiras, uma euforia e um entusiasmo que às vezes pode fazer um ou outro exagerar e cometer um dos maiores absurdos que uma competição como essa poderia sofrer.

O menino e a sacolinha derrubam Lance Armstrong, em um dos casos mais famosos que o Tour de France já viveu. Alberto Contador é xingado e acusado de doping por alguém vestido de médico; Ele então reage dando um soco na cara do torcedor. São muitas pessoas por todos os lados, pessoas que acabam sendo atropeladas por motos de imprensa ou organizadores, ou mesmo pelos carros das equipes. É praticamente impossível controlar tudo e todos, sendo que o indispensável seria pelo menos contar com o bom senso de tanta gente. "Não corra atrás do ciclista", "Não xingue os competidores e ... "Não jogue tachinhas no chão". Tachinhas por todos os lados, furando o pneu de mais de 30 participantes do Tour na etapa 14. Incluindo o líder Bradley Wiggins e o campeão do ano passado Cadel Evans.

Bradley Wiggins já estava na descida, com sua equipe de apoio pronta para lhe entregar uma nova bicicleta em frações de segundos. Evans ainda terminava a subida, vendo seu companheiro de equipe Tejay van Garderen ir embora sem ajudá-lo e vendo sua equipe demorar para chegar, além de outros companheiros com o mesmo problema. Mas como na vida se existe malfeitores, existem também pessoas de bem. Wiggins, juntamente com outros membros da equipe Sky e o italiano Vincenzo Nibali, resolvem diminuir o ritmo e esperar por Cadel Evans, que precisou parar outras duas vezes para trocar novamente sua roda que novamente furou com as tachinhas. Felizmente o Fair Play prevaleceu no dia em que faltou bom senso para hipócritas infiltrados no meio de uma torcida que às vezes até atrapalha, mas que em sua maioria jamais está pronta para estragar uma competição tão importante e emblemática quanto o Tour de France. (Foto: Bryn Lennon/Getty Images)

2 comentários:

Luiz Paulo Knop disse...

To assustado com o Tour de France... não sou um especialista no assunto, não entendo nem como funciona a classificação, mas nos últimos anos, toda vez que abro algum site ou jornal pra ler algo sobre a prova, só se vê problema... é doping, agora tachinhas!!! Até onde isso vai?

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com

Net Esportes disse...

@Luiz Paulo Knop: Verdade Luiz, esse problema de doping é extremamente pior que tachinhas no chão ... mas ele vem sendo combatido de formas contudentes, inclusive tirando títulos mesmo depois de um longo tempo como foi o caso do Alberto Contador.