Seria Rigar Fedarar? Não, ela é a Sirina Willia!

08:54 Net Esportes 3 Comments

Na eminência de sua consagração, ela solta um grito de pura emoção. Depois que o barro vermelho fora jogado de lado a lado. Depois que a esfera amarela encerrou seu encontro feroz com as cordas entrelaçadas. Nas lembranças do saudoso Chatrier, justamente o nome do palco francês que em 2001 já havia visto essa mesma história acontecer. Naquela época tudo era diferente, desde o cabelo até a adversária, a quem só iria conhecer bem em 2004. Os ano se passaram rápido e o futuro se fez presente. Aqui e agora a chance de uma segunda conquista mais do que significativa não poderia escapar, nem para ela e tão pouco para a musa russa de olhar encantador que estava do outro lado da rede. A mesma de quem não perde a nove anos. A mesma que ela superou na Austrália em 2007, nas Olimpíadas de Londres em 2012 e mais uma vez agora em Roland Garros 2013.

São 20 finais de Grand Slam. São 16 conquistas dos maiores torneios de tênis do planeta. Roger Federer já disputou a incrível marca de 24 finais de Grand Slam, mas suas glórias são também iguais a 16. Ambos nasceram no ano de 1981, um em agosto e o outro em setembro. Eles não são parentes e nem mesmo conterrâneos, mas suas carreiras no tênis caminham em paralelo, onde ambos jamais ficarão frente a frente. Assim no feminino ela poderia ser considerada a "Rigar Fedarar", mas não, ela é a "Sirina Willia" mesmo. A irmã da Venus, a nervosinha de Nova York, a raçuda da terra do canguru e a rainha da grama inglesa de Wimbledon. Foram muitos anos sem o gostinho da glória na terra batida de Paris. O saibro é sempre um barro na sola do sapato dos maiores vencedores. Não é mesmo Pete Sampras? Não é mesmo Roger Federer? Porque o americano nunca lá triunfou, e o suíço só o fez uma vez.

Então ela é a Serena Williams mesmo. Ela é a jogadora que a muitos anos resolveu não dar mais qualquer chance para a gatinha loirinha e seus gritos estridentes e sinfônicos. Ela é a jogadora que já caiu em decisões de Major´s, diante da irmã esquecida, da australiana em sua própria casa e até mesmo diante de Sharapova, em uma época que faz tanto tempo quanto fazia tempo que havia comemorado uma conquista tão grande na quadra Philippe Chatrier. E com 31 anos, um jogo sólido e uma fúria incontrolável que abastece sua imensa vontade de de ser a maior, quem sabe não venham muito mais conquistas por aí. Quem sabe ela deixe de ser comparada com Federer e passe a ser uma ameaça para Steffi Graf e Margaret Court. 22 ou 24 títulos de Grand Slam, a grande meta e o grande sonho que "Sirina Willia" quer alcançar um dia.

3 comentários:

Ron Groo disse...

Cara, eu entendo muito pouco de tênis e sinceramente não tenho paciência para este jogo gritado e gemido de hoje em dia.
Não me lembro de Bjorn Boerg, Agassi, Lendl fazendo estes irritante "ahs, uhs, ins...".

Mas assim, de boa... Eu pegava a Serena hehehehehehe

Net Esportes disse...

Final de Wimbledon 1980:

https://www.youtube.com/watch?v=L-BwXwUzMLo

Você só escuta a raquete batendo na bolinha e o som da torcida!

Teria sido o Guga o pioneiro nos gritos?

Ron Groo disse...

Olha... Não sei se foi o Guga, mas que eu preferia assim como neste vídeo, não tenho dúvidas.