Queremos acreditar que agora será possível

19:50 Net Esportes 0 Comments

No céu as nuvens escuras já davam o tom sinistro de um belo filme de terror. O vento aumentava e os belos chapéus das formosas senhoritas quase não paravam mais em suas cabeças. A corrida preliminar já havia atrasado após a revolta do cavalo da posição número um, mas a prova principal não poderia ser adiada. Antes dela, no entanto, uma tempestade desabou no céu e encharcou a pista de areia. Seria um problema para o favorito? A tríplice coroa estaria correndo risco mais uma vez antes da hora? Nenhuma e nem outra. American Pharoah deu mais um show e mais uma vez nos deixou querendo acreditar que agora será mesmo possível.

Esse ano o Pimlico Race Course recebeu um recorde de público na 140º edição do Preakness Stakes. E em 140 anos de história apenas 12 cavalos venceram esta prova e as outras duas que compõe a tríplice coroa. A última vez foi em 1978 e cada vez mais fica difícil acreditar que um dia já foi possível do que pensar no porquê não é mais possível. Alguns dizem que já não se fazem cavalos rápidos como antigamente. Cavalos velozes e resistentes, afinal a última das três provas, em Nova York, é a que tem um percurso maior e que exige mais dos competidores anuais. Três grandes provas em cinco semanas, viajando de avião para lá e para cá e precisando ganhar.

American Pharoah largou mal, se recuperou e foi embora. Na reta oposta até a penúltima curva perdeu força, parecia que ia ficar para trás, mas ligou o turbo novamente. Entrou na reta final como um verdadeiro campeão, na areia encharcada dominou como um verdadeiro Triple Crow, abriu distância, parecia até o novo Secretariat. Mas o tempo de Pharoah foi o pior desde 1956. Cinco segundos a mais que o campeão de 1978. No Kentucky Derby ele havia sido três segundos mais lento. Será que ele venceu porque não haviam rivais mais rápidos? Será que isso mostra que ele pode ser resistente também? A resposta no Belmont Stakes, com American Pharoah fazendo história ou fracassando como os últimos treze que também venceram as duas primeiras e falharam na terceira.

0 comentários: