Como acompanhar o imperdível mundial de surfe pelo celular

16:45 Net Esportes 0 Comments

Chegando na sua 5ª etapa, o Mundial de Surfe 2015 desembarca nas ilhas Fiji, na Oceania. A competição já é aguardada, principalmente entre os brasileiros, que lideram o ranking, e têm Gabriel Medina como um de seus representantes, buscando sua redenção nas competições após a conquista do título inédito no ano passado. A etapa atual foi adiada e os atletas ainda aguardam as condições favoráveis do mar para iniciarem as disputas, mas a previsão é de boas ondas a partir desta sexta-feira (12).

O prazo máximo para o término da fase é dia 19, e a expectativa é grande. São oito brasileiros na competição e o líder do ranking mundial é Adriano de Souza. Na lista também estão Filipe Toledo, em segundo lugar, e o célebre Medina, que busca chegar às finais em Fiji, onde conquistou o título no ano passado.

Nas últimas quatro etapas realizadas, Medina mostrou um desempenho abaixo do esperado e está em 19º na colocação geral. Para quem deseja acompanhar a competição e os belos visuais de Fiji, vale a pena utilizar a internet a favor e conferir os dias restantes. A melhoralternativa tem sido os smartphones, com streaming online e cobertura de todas as fases no site da entidade máxima do surfe mundial, a WSL.

Com uma boa definição e um aparelho de qualidade é possível assistir à competição melhor do que os próprios espectadores. A vantagem do smartphone se expande para quem não poderá ficar em casa e deseja acompanhar todos os detalhes. As coberturas online estão mais sofisticadas a cada temporada. Nesse ano, os profissionais da imprensa prometem chegar ainda mais perto dos ídolos e das próprias ondas. Em vez de apenas visualizarem de fora, eles irão até o meio do Oceano Pacífico e farão comentários dos barcos parados no canal, além de cobertura ao vivo em cima de pranchas. Ainda dá tempo de investir em um bom aparelho, como esse, para conferir de camarote, tudo pela internet.

A temporada de surfe também é uma ótima chance para conferir a evolução e o espaço conquistado pelas mulheres nas competições. O ano de 2014 foi icônico por ser o primeiro a ter mulheres competindo no Cloudbreak do mundial de Fiji. Elas surfaram as maiores ondas do mundo e mostraram que seu lugar deve ser garantido em qualquer competição. Os destaques ficam por conta de Sally Fitzgibbons, Tyler Wright e Tatiana Weston-Webb.

0 comentários: