Esporte de luto e estarrecido

10:21 Net Esportes 9 Comments

O esporte vê grandes atletas deixarem a vida constantemente, e quem sabe percorrerem o caminho da eterninadade, não faz muito tempo morreu Ted Uhlaender, um ex-jogador de beisebol, e no começo deste mês quem partiu foi o jogador de basquete brasileiro Adilson Nascimento, fatos tristes que fazem parte da vida, mas às vezes parece que alguns atletas vão embora na hora errada, vítimas de um falecimento trágico.

Quase sempre de luto em homenagem àqueles que fizeram história, o esporte fica estarrecido diante de dois casos surpreendentes ocorridos nessa semana, o atletismo diz adeus à um jovem promissor que foi vítima de um acidente de carro, o vôlei de praia se despede de um de seus maiores ídolos, espantado com a própria atitude do atleta que aparentemente tería cometido suicídio enquanto visitava um amigo.

Mike Whitmarsh, foi medalhista de prata nas Olimpíadas de Atenas 1996, a primeira que teve em seu programa esportivo o vôlei de praia, na ocasião fazendo dupla Mike Dodd foram derrotados pelos compatriotas Karch Kiraly e Kent Steffes. Mike, de 46 anos de idade, foi encontrado na garagem da casa do amigo, provavelmente vítima da inalação de monóxido de carbono saído do escapamento de um carro, motivos para um suicídio ainda não foram detectados.

Mike tinha esposa e filhos, ganhou bastante dinheiro e mesmo morrendo precocemente e de forma trágica deve ter aproveitado o tempo que viveu, mas o mesmo não se pode dizer do corredor Kiprono Mutai, que até outro dia estava lado a lado com Vanderlei Cordeiro de Lima, um de seus ídolos, na Maratona de São Paulo onde foi vencedor, conseguiu ainda um 3º lugar na São Silvestre. Mutai morreu na sua cidade natal, a pequena vila de Kapsait, em um acidente de carro, o promissor atleta de apenas 22 anos foi embora cedo, o esporte fica triste, de luto e estarrecido. (Foto: Arquivo)

9 comentários:

Thiago Almeida disse...

Pessoas ilustres marcam a história do esporte. Infelizmente, nada é ninguém é para sempre. O atletas everiam ser mais valorizados,em um muno onde o esporte é fundamental na vida de qualquer um!

PARABÉNS PELO BLOG! adorei o layout! abraço!

Charles Cole disse...

eh triste qdo atletas morrem cedo, eles representam ídolos, exemplos e histórias de vida para aqueles que acompanham... 22 anos eh cedo d+ para qlqr pessoa, ainda mais um esportista... de qualquer forma, parabéns pelo blog!

abraços
http://filme-pipoca.blogspot.com/

Ron Groo disse...

Li sobre Kipromo hoje pela manhã, foi um acidente de carro né?
Realmente, muito triste estas perdas.

Celma Araújo disse...

Muito Triste,
Felizmente deixaram marcas de grandes vitórias

Renato Piccinin disse...

Pode acrescentar a essa lista a polonesa Kamila Skolimowska, lançadora de martelo. Morreu ontem aos 26 anos com problemas cardiácos depois de um treino. Que coisa! Abs.

Daniel Leite disse...

Ótimas considerações para péssimos fatos. São acidentes e incidentes lamentáveis, com os quais nós temos de acostumar.

O Brasil fica especialmente aborrecido com o falecimento de Kiprono Mutai, que se declarava um intenso admirador do nosso país.

Até mais.

Ricky_cord disse...

Em Portugal esta semana também morreu uma atleta polaca que foi campeã olimpica do Martelo em Sidney

Nay Farias #818 disse...

Primeiro gostaria de parabeniza-los pelo blog, está muito legal mesmo! Depois queria deixar uma sugestão de post... MOTOCROSS. temos grandes pilotos correndo tanto no campeonato brasileiro, como no americano, inclusive o #37 é brasileiro ( Antônio Jorge Balbi Jr) que está de volta ao Brasil por falta de patrocínio. Teremos também um estreante esse ano no campeonato americano Lucas Moraes. Fica ai minha dica! Um abraço!

Mistério doido esse da morte... especialmente pra quem fica. Mas acho q pior qdo ela vem, como disse, de forma precoce 'na hora errada'. O Renato lembrou da Skolimowska, aos 17 anos a mais nova campeã olímpica da história (Sydney'2000). E pra engrossar essa lista triste me vem outro nome a lembrança. Esse um mito vivo no seu esporte. Gyorgy Kolonics que deu a sua Hungria 14 títulos mundiais e dois olimpicos. Possivelmente o maior canoista em atividade. O coração dele parou, depois de um treino, faltando poucos dias para o início de Beijing'2008. Onde certamente ele iria buscar sua quinta medalha olímpica.
Dá pra entender? Melhor nem tentar...