Raquetada na peteca

18:16 Net Esportes 3 Comments

Ela é feita com dezesseis penas de ganso e pode atingir uma velocidade de até 350 Khm/h, essa é a peteca usada em um esporte que existe a mais de dois mil anos, o badminton, muito popular em países asiáticos, mas que estará em ação até o próximo dia 8 na Inglaterra, onde o National Indoor Arena, em Birmingham, recebe o All England Open Badminton Championships, um dos torneios mais antigos deste esporte.

1899 com duplas e um ano depois já com as chaves de simples tanto no masculino quanto no feminino, nessa época saudosa os ingleses se vangloriavam por ganhar tudo, afinal dificilmente se via um concorrente de outro país, mas a alegria não durou muito, aos poucos irlandeses, poloneses e até os malaios começaram a aparecer, já a partir do início dos anos 80 os chineses surgiram com grande força e passaram a dominar quase 100% da disputa.

As esperanças inglesas são bem poucas, mas a necessidade e vontade de organizar a competição já visando os Jogos Olímpicos de 2012 é bem grande, já para a China, que nas Olimpíadas realizadas em seu país faturou oito das quinze medalhas possíveis deste esporte, tenta recuperar alguns títulos perdidos na última edição, sendo eles a chave feminina, as duplas femininas e também as duplas masculinas que não ganha desde 2005.

Interrompido pela primeira e segunda Guerra Mundial, o torneio chega à sua 99ª edição e tem patrocínio da Yonex, fabricante de material esportivo que segundo o site oficial da competição, sela uma parceria de 26 anos com essa disputa, considerada como um dos maiores relacionamentos do esporte mundial, assim se levarmos em conta um possível retorno financeiro garantido, o fato de se colocarem como o segundo esporte mais praticado do mundo pode ser algo bem provável mesmo. (Foto: Ian Kington/AFP)

3 comentários:

O badminton é um esporte muito veloz, essa peteca parece mais um carro de Fórmula 1. No Brasil, são poucos ainda os praticantes desse esporte.

Abraços!

Vinicius Grissi disse...

Um esporte que eu acho muito interessante, pela velocidade que o jogo exige. Porém, um jogo de pouca visibilidade, infelizmente, principalmente aqui no Brasil.

Daniel Leite disse...

A China consegue coisas incríveis. Além de elevar o mandarim ao patamar de língua mais falada do mundo, agora também pode colocar o badminton nas cabeças. Apesar da dor-de-cotovelo de muitos brasileiros, que condenam a presença do jogo da peteca e a ausência do futsal em Jogos Olímpicos, acho que devemos respeitar - e muito - as outras culturas, mais propensas a diferentes modalidades. Resta-nos torcer pela inclusão de mais esportes no quadro olímpico, como o próprio futsal. Mas que, para isso, não seja necessária a exclusão do badminton, do tiro esportivo...

Até mais!