Ele não consegue parar

08:55 Net Esportes 3 Comments

Um dia ele terá que parar, um dia ele terá que se aposentar definitivamente, mas por enquanto a história segue a mesma, ele anuncia o fim da carreira e depois muda de idéia, este é o quarterback Brett Favre, detentor de inúmeros recordes na NFL, figura lendária do Futebol Americano que transformou os últimos anos em um verdadeiro show de sair de cena e de voltar à cena, de encerrar a carreira e recomeçá-la na temporada seguinte, sempre em uma nova equipe.

Draftado pela Atlanta Falcons em 1991, Favre deu início há uma jornada sem fim quando foi para o Green Bay Packers no ano seguinte, começou ali uma saga que duraria até os dias de hoje, jamais deixou de atuar em uma partida, nem na época do falecimento de seu pai, Em 2008 achou que era hora de parar, se emocionou no adeus mas quando a nova temporada se aproximou ele alterou seus pensamentos, queria voltar, e renegado pelo time em que fez história acabou indo parar no New York Jets.

O primeiro retorno de Favre não rendeu muitos frutos para sua nova equipe, quem se deu melhor foi o Miami Dolphins que herdou o quarterback do Jets, fora dos playoffs e com problemas físicos, o jogador anuncia fim de carreira mais uma vez, e acaba tendo até que fazer cirurgia no ombro, mas quando chega o mês de agosto e o início da pré-temporada deve bater uma saudade imensa de arremessar a bola oval novamente, Favre não se contém, e está de volta ao jogo.

No início do dia é só especulação, no final dele já é possível ver o veterano de quase 40 anos de idade treinando em sua nova equipe, o Minnesota Vikings, mais uma vez com a camisa de número 4, mais uma vez com o mesmo entusiasmo de sempre, com a mesma vontade de vencer que o levou mais longe do que poderia imaginar, tão longe que ele não consegue parar de jeito nenhum, os objetivos são de levar o maior rival de sua velha equipe ao título do Super Bowl, algo que não acontece por lá desde 1969, único ano em que o Vikings triunfou na NFL. (Foto: Amos-Smith/Minnesota Vikings)

3 comentários:

Fabíola disse...

Bom, não conheço esportista. Mas, com certeza, a julgar pelo que voc~e fala sobre ele em seu texto, ele joga porque gosta mesmo! Talvez, seja daqueles que se sente até deprimido quando lhe é tirado o que gosta. Quando ese cara, realmente, não tiver mais condições de jogar, acho que será um grande trauma para ele..

Vinicius Grissi disse...

O Túlio Maravilha do futebol americano?

Guttwein disse...

Cara, ja pensou os Vikings faturando a NFL com a chegada dele?? Viraria ODIN na terra!! rsrsrs
O danado tem 40 anos,,, mas sua vitalidade deixa muito molecão lá na lama (literalmente) ahahAHhHA!!!