A rotina de superar lesões

08:31 Net Esportes 3 Comments

Alpine Skiing
O drama de Turim 2006 havia voltado e seu histórico não era nada animador, a garrafa de champagne e a língua mordida quando fazia sua descida na Copa do Mundo, a esquiadora norte-americana Lindsey Vonn tem uma grande histórico de lesões e problemas que poderíam atrapalhar seu desempenho, mas ao mesmo tempo possui um grande poder de reação que a faz superar todas essas dificuldades, a grande esperança dos Estados Unidos para Vancouver 2010 colocou em dúvida seu favoritismo, mas o confirmou após mais uma belíssima volta por cima dessa grande rainha do Esqui Alpino.

Apontada para vencer pelo menos duas provas nas Olimpíadas do Canadá, Vonn via seus status ser ainda maior quando muitos ainda esperam que ele leve três medalhas de ouro, fotos ousadas usando biquiní na Swimsuit da Sports Illustrated e uma foto polêmica na capa da versão normal da revista, o assunto ainda está em pauta nas entrevistas coletivas da atleta porém ela sabe contornar esses problemas como ninguém, sempre ao lado de seu marido Thomas Vonn, e talvez prevendo que não só passaria pelos repórteres como também passaria pelas adversárias na pista, e logo na sua descida favorita.

O tempo Whistler Creekside ajudou e muito Lindsey Vonn, ela diz não ter gostado de ver a prova ser adiada tantas vez mas no fundo deve ter adorado, conseguiu melhorar e melhorar muito sua lesão na canela, mais uma lesão que tinha que superar na sua carreira e na sua vida, a pista está veloz e perigosa, muitas estão caindo como Anja Paerson na reta de chegada, ou ainda Edith Miklos, que teve inclusive ser retirada de helicóptero, mas Vonn resistiu aos perigos e fez uma prova magnífica, uma prova perfeita, um tempo extraordinário de 1min44s19, suficientes para não ser superada por mais ninguém até o final da disputa.
Sports News - February 18, 2010
Ao cruzar a linha de chegada Vonn solta um berro e vibra intensamente de alegria, ela vai às lágrimas sem conseguir evitar a emoção de ganhar a sua primeira medalha de ouro nas Olimpíadas, a comemoração é válida mas o drama de esperar as outras adversárias competir é enorme, porém a principal rival Maria Riesch não consegue um bom desempenho e fica fora até do pódio, completado pela compatriota de Vonn, Julia Mancuso, e com o bronze indo Elisabeth Goergl; no dia em que a musa e rainha do Esqui Alpino deu mais um grande show na neve, e mais uma vez seguiu sua rotina de superar as lesões que a perseguem. (Fotos: ZumaPress via PicApp)

3 comentários:

Anônimo disse...

Estou procurando colunistas para um novo portal gratis.
Não é nada financeiro, apenas uma reunião de quem quer fazer um portal bacana mas que não tem dinheiro para isso.
Caso alguém se interesse, mande um e-mail para tudpouco@yahoo.com.br

Kaká disse...

Legal todas essas informações sobre os atletas e esportes. :) bookmarked.

obrigada pela visita lá no blog.

Sabe, talvez haja uma explicação psicológica para essa determinação toda. Não sou discípulo de Freud, Jung ou Riesch (nem entendo nada do que eles escreveram), mas tem um detalhe na infancia e juventude de Lindsey que pode ser uma pista.
O pai dela foi extremamente severo e crítico. Criou ela sem violencia fisica (pelo oq se sabe) até a separação da mãe de Lindsey. Porém sempre demonstrou pouca importancia pelas conquistas da jovem. Relatos dizem q ele demonstrava q faltava sempre muito. Isso pode ter criado uma auto-suficiencia nela. A velha história "vou mostrar do q sou capaz". Tem gente q se anula. Tem gente q se supera.
Hj, ela não tem relacionamento algum com o pai, isso desde q ela se casou com Thomas Vonn, tb esquiador. O pai era totalmente contra. Sera´q ela não queria mostrar q tb aquilo (o casamento) daria certo pra contrariar o pai? A carreira está dando e o casamento parece q tb. Thomas, além de tudo, é o técnico dela.
Devaneios, né? De médico (psicanalista) e louco, todo mundo tem um pouco... rsss

Abração