As vuvuzelas entram em ação

13:39 Net Esportes 4 Comments

Soccer fans cheer before a friendly match between Brazil and Zimbabwe in Harare
Estádio Nacional de Harare, no Zimbábue, lotado para ver aquela que talvez seja a maior partida em toda a história já realizada por ali, a Seleção local enfrenta o Brasil e até o presidente do país, Robert Mugabe, aparece para cumprimentar cada um dos jogadores, sempre cercado por seus acessores e inúmeros seguranças, usando óculos escuros e nem esboçando reação diferente alguma quando esteve diante das duas estrelas brasileiras mais aclamadas pela torcida, Robinho e Kaká, talvez ele tenha evitado perder tempo falando com os atletas porque a comunicação seria complicada, tudo por conta do barulho ensurdecedor que os torcedores faziam, já que as vuvuzelas entraram em ação.

Ainda não começou a Copa do Mundo e ninguém estava na África do Sul, porém ambos estão muito próximos, um a poucos quilômetros e o outro dentro de uma contagem regressiva entusiasmante, praticamente todas as equipes que disputarão o Mundial estão fazendo jogos amistosos como preparação, e o Brasil não poderia abrir mão desta vantagem, não importa muito que o adversário seja fraco e não tenha nem chegado perto de se classificar para a Copa, o importante é pegar ritmo de jogo, entrar no clima, menos para o zagueiro Juan, poupado de ficar surdo no estádio, e o goleiro Júlio César, substituído ainda no primeiro tempo, dando motivos de sobrar para inúmeras especulações sobre o que aconteceu com ele.

Travou as costas ou teve um problema no tórax? Isso não importa muito, o que importa é que ele muito provavelmente estará em campo no próximo amistoso, marcado para segunda-feira contra a Tanzânia, ou no máximo quando o Brasil fizer sua estréia diante da Coréia do Norte no dia 15 de junho, onde não vai querer levar os sustos que levou quando a equipe do Zimbábue quase abriu o placar levando seu técnico à loucura no banco de reservas, situação que se repetiu mais tarde quando o seu substituto, Gomes, evitou um gol de cabeça na pressão do time local, em um jogo duro pelo menos até os 40min do primeiro tempo, gol de Michel Bastos cobrando falta, placar aberto e ampliado três minutos depois com Robinho.
Bastos of Brazil fights for the ball against Antipas of Zimbabwe during a friendly match in Harare
Kaká se recuperando de lesão e Luís Fabiano sem balançar as redes, um jogo como esse serve para fazer testes e Dunga muda a equipe no segundo tempo, Júlio Baptista e Daniel Alves entram bem e é disso que o Brasil precisava, confiança nos jogadores que estarão no banco de reservas durante a Copa do Mundo, Elano, que é titular, deu números finais ao placar depois de uma jogada muito bem trabalhada, no momento da partida em que o Zimbábue nem oferecia mais risco algum à defesa brasileira, no momento em que a alegre e sempre eufórica torcida africana ainda soprava com muito fôlego suas vuvuzelas, entrando no clima da Copa e fazendo uma grande festa que estão muito acostumados a fazer, assim como perder para o Brasil, algo que também é muito comum para os africanos. (Fotos: Paulo Whitaker/Reuters via PicApp)

4 comentários:

Campo de Jogo disse...

O jogo foi tão sem graça que parece que alguns jogadores nem se esforçaram.
Caso de Lúcio, por exemplo.
Acredito que as falahs defensivas não se repetirão contra a Coréia do Norte.

Vinicius Grissi disse...

Jogo fraco, como era de se esperar.

Mais chato do que alguns momentos do jogo, só a tal da vuvuzela. Como é insuportável ver uma partida inteira com este barulho. Vai ser o grande problema do Mundial.

Patrick Araújo disse...

Não assisti ao jogo, mais como o adversário eh sem expressão nenhuma, eh fato que alguns jogadores naum se esforcem.

Isso eh ruim para uma véspera de Copa, onde a gente ve algumas seleções de renome se enfretando. Eu penso que essa eh a verdadeira preparação.

Mais cada um pensa de um jeito.

FilipeJMS disse...

Vuvuzela é chato pra caramba, vai ser dose aturar essa barulho a Copa toda!!