Um placar que ninguém quer

18:57 Net Esportes 2 Comments

France's head coach Raymond Domenech is seen on giant screen near the Eiffel Tower in Paris where fans gathered to watch the France vs Uruguay match on the opening day of the 2010 World Cup soccer tournament in South Africa, June 11, 2010.   REUTERS/Gonzalo Fuentes   (FRANCE - Tags: SPORT SOCCER WORLD CUP)
Na Torre Eiffel, em Paris, um telão gigante exibe a imagem do técnico francês Raymond Domenech, com expressão fechada e fazendo cara de poucos amigos, não era para menos, a desacreditada Seleção da França fazia uma péssima estréia na Copa do Mundo da África do Sul, sofria diante do Uruguai, que por sua vez também não conseguia sequer serem melhores que eles em campo, em um jogo sofrido que fez sofrer o torcedor após um início de Mundial tão movimentado e promissor, a vontade de ver o gol no primeiro jogo realizado poucas horas antes era a mesma na segunda e derradeira partida do dia, mas a rede acabou não balançando, e dois campeões mundiais acabaram saindo por baixo no estádio Green Point.

O que Thierry Henry fazia com o calção um pouco abaixado antes de entrar em campo? Assim como Loco Abreu, o francês só teve a oportunidade de entrar no jogo para tocar na bola apenas na segunda etapa da partida, quando a necessidade de fazer gols já era mais desesperada do que pacientemente aguardada, uma cabeçada sem muito perigo após um bom cruzamento e nada mais, aos 43min a bola então acaba batendo na mão junto ao corpo do uruguaio Victorino, e Henry com a maior cara de pau do planeta tem coragem de reclamar de uma forma revoltada com o árbito Yuichi Nishimura pedindo penalti, provavelmente ele nunca colocou a mão na bola para ajudar a fazer um gol que classificou sua equipe para a Copa eliminando a Irlanda.

Se a bola não entra os nervos vão a flor da pele, Henry não usa mais a mão mas também não consegue fazer com pé, nem ele e nem qualquer outro jogador em campo, assim não tem como não perder a cabeça, confusão na lateral de campo ápós entrada de Toulalan em Pereira, e o zagueiro Lugano então chega para tirar satisfações, quase com aquela raiva e olhos arregalados de quando jogava no São Paulo, o clima fica quente mas não chega a ser uma confusão típica sul-americana de Libertadores da América, com excessão das jogadas duras dos uruguaios, Lodeiro da uma entrada violenta no jogador francês e acaba sendo expulso de campo, o primeiro cartão vermelho da Copa logo no primeiro dia de jogos.
France's Thierry Henry recovers from a tackle during a 2010 World Cup Group A soccer match against Uruguay at Green Point stadium in Cape Town June 11, 2010. REUTERS/Charles Platiau  (SOUTH AFRICA - Tags: SPORT SOCCER WORLD CUP)
Os goleiros, que não trabalharam muito, fizeram cada um uma grande defesa no primeiro tempo e cada um uma defesa tranquila no segundo, a maioria dos chutes não iam na direção do gol e colocar a culpa na bola jabulani deve ser mais fácil do que assumir que precisam calibrar a pontaria, zero a zero, o placar que os torcedores que pagam ingressos e muitos que assistem pela TV espalhados por todo o planeta não querem que se repita novamente, principalmente França e Uruguai que no menor dos problemas estão pelo menos empatados em pontos com os outros times do seu Grupo A na Copa, esperando que na próxima vez não seja tão ruim assim, para que pelo menos valha a pena ir até a Torre Eiffel ver o jogo no telão. (Fotos: Gonzalo Fuentes/Reuters e Charles Platiau/Reuters via PicApp)

2 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Jogo altamente decepcionante. Era de esperar mais futebol das duas equipes. E principalmente: mais vontade de vencer. O jogo foi fraco e com raríssimas emoções.

FilipeJMS disse...

O técnico Francês é medroso, vale lembrar a ele que Copa do Mundo é campeonato de tiro curto e que só empate não leva a lugar nenhum!