Agora é vez da África do Sul

22:15 Net Esportes 0 Comments

July 19, 2010 - 06192049 date 18 07 2010 Copyright imago BPI Louis of South Africa Kisses The Claret Jug After Winning The 139th Open Championship AT St Andrews PUBLICATIONxNOTxINxUKxFRAxNEDxESPxSWExPOLxCHNxJPN men Golf PGA Tour The Open Championship British St Andrews Portrait Victory Winner Objects Award Ceremony Vdig 2010 vertical Highlight premiumd Golf.
Ele é um jogador de golfe branco e está sempre andando ao lado do seu caddie negro. O completamente desconhecido Louis Oosthuizen jamais dispensa a ajuda do muito menos famoso ainda Zack Rasego. Suas histórias de vida e a união de ambos após o fim do Apartheid poderia passar mais uma vez desapercebida perante os olhos do grande público desse peculiar esporte de tacos e bolinhas. Mas o destino quis que justamente no mesmo dia em que Nelson Mandela estivesse comemorando o seu aniversário na África do Sul, seu conterrâneo também estivesse festejando a maior conquista de toda a sua carreira em algum lugar não muito longe dali, com o troféu de um dos quatro maiores torneios de golfe do planeta.

Parece até que foi ontem mas já fazem dez anos. No ano 2000 o número um do mundo Tiger Woods conseguiu a incrível marca de 19 tacadas abaixo do par quando levantou um dos seus três troféus de campeão do British Open. Não por acaso ele estava jogando no sagrado campo de Old Course em St. Andrews, na Escócia. O lugar mítico parece fazer a mágica acontecer porque o próprio Woods em 2005 fez 14 tacadas abaixo do par. Mas os grandes momentos são sempre a cada dez anos pois em 1990 foi a vez de Nick Faldo fazer história com incríveis 18 tacadas abaixo do par e agora em 2010 o grande momento da África do Sul após a Copa do Mundo, com Louis Oosthuizen gravando seu nome após a 139ª edição desta competição, batendo 16 tacadas a menos que o par do campo.

As vuvuzelas já não tocam mais. A bolinha do golfe não é nenhuma jabulani. Mick Jagger não estava presente mas se estivesse provavelmente estaria torcendo para Tiger Woods. Nem o polvo Paul apostaria no golfista número um do mundo que não conseguiu mais do que três tacadas abaixo do par. A Espanha de Sergio Garcia, o vigésimo colocado com -4, ainda comemora o título da Copa do Mundo de futebol. Mas hoje o dia era de festa para a África do Sul que não teve muitas chances na competição que organizou com tantos méritos. O povo que sofreu por tantos anos vê aquele que talvez seja até um sucessor de Ernie Els, o sul-africano que foi campeão deste torneio no ano de 2002, ou talvez tenha apenas se deparado com uma grande zebra, aquele animal típico das savanas africanas.
ST ANDREWS, SCOTLAND - JULY 18: Louis Oosthuizen of South Africa celebrates his seven-stroke victory with his caddie Zack Rasego in the final round of the 139th Open Championship on the Old Course, St Andrews on July 18, 2010 in St Andrews, Scotland. (Photo by Harry How/Getty Images)
Ninguém consegue explicar como Oosthuizen obeteve 16 tacadas abaixo do par em uma semana de tanto frio, ventos e até chuva alternada com momentos de sol que fizeram naquele pequeno pedaço de terra escocês. Isso é tão complicado de se explicar como ver jogador e caddie se comunicando em africâner. Sem falar no jovem Rory McIlroy que fez história no primeiro dia, ou Paul Casey que parecia ter entrado na briga no penúltimo dia sem falar em Phil Mickelson, que estava mal, se recuperou e depois decaiu novamente. Ver um sul-africano ganhando um título no Reino Unido bem no dia do aniversário de Nelson Mandela é uma daquelas coisas que ninguém sabe explicar como acontecem mas adora vê-las acontecendo e contemplar momentos assim eternamente - "É incrível!", definiou o próprio jogador visivelmente emocionado no final de tudo. (Fotos: ZumaPress e Harry How/Getty Images via PicApp)

0 comentários: