Domínio dos Klitschkos continua

09:12 Net Esportes 1 Comments

WBC Heavyweight title holder Vitali Klitschko of Ukraine celebrates after winning his boxing match against U.S. contender Shannon Briggs in the northern city of Hamburg October 16, 2010. REUTERS/Morris Mac Matzen (GERMANY - Tags: SPORT BOXING)
Chris Byrd foi no dia 1º de abril de 2000, então fica fácil pensar que foi uma grande mentira, mas contra Lennox Lewis é absolutamente possível compreender os motivos para se perder uma luta de boxe. Os tempos de Rocky Marciano que venceu 50 vezes consecutivas ficaram para trás, hoje em dia ter sido derrotado apenas duas vezes em cima do ringue (ainda mais nos pesos pesados) é algo para se levar muito em consideração. Quem vê o ucraniano Vitali Klitschko lutando atualmente nem consegue imaginar que ele já tenha sido derrotado alguma vez em sua vida, exceto por Lennox que também perdeu apenas duas vezes e ainda por cima superou seus algozes em revanches posteriores. Pobre Shannon 'The Cannon' Briggs que resolveu desafiar o irmão mais velho dos Klitschko, ele provocou muito e quando subiu no ringue e apanhou pra valer parecia mal saber o que estava fazendo ali.

O sino toca e anuncia a chegada do grande campeão dos pesos pesados pelo Conselho Mundial de Boxe, Vitali Klitschko entra na arena em Hamburgo, na Alemanha, um dos locais que seguirá vendo o melhor do boxe pelo menos enquanto o domínio do leste europeu permanecer. A emoção na voz do locutor oficial Michael Buffer que prolonga a voz cada vez que cita o nome de um dos lutadores deixa o público imenso ainda mais dentro do clima da luta e, enquanto o hino de cada país toca Briggs ainda se mostra confiante, ainda encara Vitali olhando fixamente dentro de seus olhos como repetiria no final de um dos rounds e ainda acha que pode traduzir em porradas tudo o que falou um dia antes e em todas as declarações que deu até ali. Quando a luta começa no entando o que se vê é um domínio absoluto do ucraniano, em um combate onde ele afastou definitivamente o fantasma da aposentadoria que o perseguia.

Uma das coisas que mais chama a atenção no estilo de Vitali Klitschko é sua postura, a guarda baixa e na maioria das vezes o primeiro golpe com o punho esquerdo, quase sempre seguido de um soco com a direita fulminante que varia de direto a cruzado e quase sempre tem endereço certo, bem na cabeça do oponente. Klitschko venceu por unanimidade e realmente venceu cada um dos doze rounds, em especial alguns deles como o sétimo por exemplo foi além de apenas vezes, ele parecia estar destruindo Shannon Briggs que cambaleava de um lado para o outro, em momentos que o juiz poderia facilmente ter interrompido o duelo e declarado no mínimo um nocaute técnico. Mas o norte-americano era firme como um rocha, quase não acertou Vitali mas ficou de pé, resistindo bravamente e perdendo apenas na decisão por pontos dos juizes.
WBC boxing champion Vitali Klitschko (L) of Ukraine lands a punch on Shannon Briggs of the U.S. during their WBC Heavyweight Championship boxing bout in Hamburg October 16, 2010. Klitschko won the fight on points after twelve rounds.  REUTERS/Christian Charisius (GERMANY - Tags: SPORT BOXING)
Natali Klitschko, a sua esposa, além do irmão mais novo Wladimir Klitschko com sua namorada, a atriz Hayden Panettiere, estavam na tribuna de honra vendo tudo de perto. Viram que Vitali não sorri muito antes do combate por estar completamente concentrado e não sorri também depois de vencer, principalmente porque fez de tudo para conseguir mais um nocaute em sua carreira que tem 43 lutas, 41 vitórias e nada a menos que 38 nocautes. O lutador que mantém o domínio dos Klitschko nos pesos pesados sobe em cada corner para agradecer os torcedores e mostrar que ainda está de pé, ainda está em plenas condições de seguir vencendo mesmo que já esteja com 39 anos de idade. Ou ele ou seu irmão que luta em dezembro querem o único cinturão que lhes falta. O cinturão da Associação Mundial de Boxe que está nas mãos de David Haye, um lutador britânico que também espera sua chance para enfrentar Vitali Klitschko, e quem sabe repetir a história do seu compatriota Lennox Lewis, algo que vai ser no mínimo muito difícil. (Fotos: Christian Charisius/Reuters via PicApp)

1 comentários:

André Augusto disse...

Pior que o ucraniano ficou "frustrado", por vencer, mais uma vez, sem nocaute. Um monstro!