Uma noite feliz em um dia triste

14:08 Net Esportes 0 Comments

CINCINNATI - NOVEMBER 08: Terrell Owens  of the Cincinnati Bengals is congratulated in the endzone by Kyle Cook  after scoring a touchdown against the Pittsburgh Steelers at Paul Brown Stadium on November 8, 2010 in Cincinnati, Ohio. (Photo by Matthew Stockman/Getty Images)
Cuidado! Olha o tackle !!!! No Futebol Americano as trombadas são comuns e necessárias em função do jogo, o problema é que as vezes acaba sobrando para quem não tem nada haver com a história. A bola é lançada de maneira primorosa para Terrell Owens (wide receiver contratado pelo Cincinnati Bengals neste ano), ele faz uma belíssima recepção e é touchdown para o time que joga em casa no Paul Brown Stadium. A torcida comemora e todos estariam bem se ele ao invés de cair no chão desse uma trombada espetacular em dos funcionários que estava trabalhando perto da end zone, fora do campo, mas totalmente desligado da partida porque era um segurança, função que o faz ter que se preocupar com outras coisas e ficar de costas para o espetáculo. O pobre homem voa para o chão e vai parar nos pés do companheiro de trabalho em um momento de festa do time que mais tarde apenas iria lamentar.

Ele comemora seis pontos e tem mais motivos para fazer a festa, mesmo porque o touchdown que provocou strike nos seguranças não foi o seu único da noite feliz e triste ao mesmo tempo. Terrell Owens começou sua carreira em 1996 atuando pelo San Francisco 49ers, entre 2004 e 2005 jogou pelo Philadelphia Eagles e nos anos de 2006 até 2008 marcou seus TD´s pelo Dallas Cowboys. A sua característica de nômade prosseguiu no ano passado quando fez uma passgem pelo Buffalo Bills e continuou nesse ano até chegar no Bengals. Dentre todos os times que jogou algo em comum, a qualidade especial em receber passes, principalmente passes que resultam em touchdowns. O jogador chegou a incrível marca de 150 em toda a sua carreira, e isso significa ser o terceiro maior de toda a história em passes recebidos para TD.

Na sua frente agora aparece apenas Randy Moss, que tem três a mais e atualmente joga no Minnesota Vikings, potando com as mesmas chances que ele. Além de Jerry Rice, este sim já aposentado só que com a marca extremamente expressiva de 197 recepções para touchdown. Mesmo estando com 36 anos de idade a esperança de ser pelo menos o segundo maior da história continua, não tem como não comemorar a marca mas a comemoração não pode ser a mais completa possível, o time reagiu no final da partida, a torcida apoiou demais, eles estiveram muito próximos de conseguir o que seria uma virada espetacular e também histórica mas não foi possível desta vez. O Cincinnati Bengals não resistiu e caiu diante do Pittsburgh Steelers pelo placar de 27 a 21 depois de chegar a estar perdendo por 27 a 7.
Cincinnati Bengals' wider receiver Terrell Owens (81) is tackled by Pittsburgh Steelers' Bryant McFadden (20) during the first half of their NFL football game Paul Brown Stadium in Cincinnati, Ohio, November 8, 2010.  REUTERS/John Sommers II (UNITED STATES - Tags: SPORT FOOTBALL)
A reação por si só depois de tanta diferença no placar já seria incrível para o Bengals na noite histórica de Terrell Owens que derrubou até o segurança do estádio. Mas ela também seria histórica de forma negativa para o Steelers que jamais em todos os tempos sofreu uma virada no placar depois de estar vencendo a partida por 20 ou mais pontos anotados. O recorde da equipe que mais vezes ganhou o Super Bowl é tão expressivo que em toda a história só foram derrotados duas vezes depois de estarem vencendo por 10 ou mais pontos até 20 anotados, e ironicamente essas duas derrotas foram justamente para a equipe do Cincinnati Bengals. Uma equipe que com seis derrotas e apenas duas vitórias vai dando adeus ao sonho de chegar nos playoffs, enquanto que o Pittsburgh Steelers por sua vez chega ao contrário, seis vitórias e duas derrotas se mantendo como favorito ao lado de Jets, Patriots, Ravens, Giants e Falcons que estão com a mesma campanha. (Fotos: Matthew Stockman/Getty Images e John Sommers II/Reuters via PicApp)

0 comentários: