Um coisa muito bonita de se ver

13:39 Net Esportes 5 Comments

Red Bull Formula One driver Sebastian Vettel of Germany kisses the trophy after winning the Abu Dhabi F1 Grand Prix at Yas Marina circuit in Abu Dhabi November 14, 2010. Vettel became Formula One's youngest world champion on Sunday by winning the season-ending Abu Dhabi Grand Prix.   REUTERS/Ahmed Jadallah (UNITED ARAB EMIRATES - Tags: SPORT MOTOR RACING)
No rádio ele fala com a voz embargada, nesse momento é impossível não conter as lágrimas de alegria que escorrem em seu rosto dentro do capacete. Ser campeão mundial de Fórmula 1 não é para qualquer um, não acontece todos os dias. Ganhar o título da categoria máxima do automobilismo como o mais jovem a ter alcançado o feito então nem se fala, privilégio de Emerson Fittipaldi em 1972, de Fernando Alonso em 2005, de Lewis Hamilton em 2008 e agora em 2010 passa a ser do único alemão além de Michael Schumacher a atingir essa glória. Seu nome é Sebastian Vettel e por mais incrível que possa parecer ele não tinha sequer liderado a tabela de classificação durante toda a temporada, no entanto ganhou cinco corridas e marcou dez pole positions. Tudo porque estava no melhor carro da atualidade, na equipe mais honesta da história talvez, que proporcionou ao mundo uma das coisas mais bonitas de se ver no esporte.

Pobre equipe Ferrari, que manipula resultados das corridas desde a época de Michael Schumacher e Rubens Barrichello. Pobre Fernando Alonso, excelente piloto que está sempre envolvido em polêmicas, como no GP de Cingapura manipulado por seu ex-chefe Flávio Briatore. O mundo fechado da Fórmula 1 é movido principalmente por interesses comercias e muito dinheiro, o caso de espionagem da equipe McLaren é só um exemplo para se ver até onde vai a ambição de ser campeão e poder lucrar mais a cada ano desde 1950. A competição que desperta tanta paixão aos aficcionados por velocidade já despertou também muito ódio, descrédito e quase esteve ameaçada de acabar quando foi proposto teto orçamentário baixo. Mas sempre é possível ver algo de bom em meio a tantas coisas ruins, sempre haverá quem presa pelos princípios do Barão de Coubertin, sempre haverá uma equipe Red Bull da vida para fazer valer mais a competição esportiva livre de manipulações indesejáveis.

O mundo da Fórmula 1 jamais poderá se esquecer de Dietrich Mateschitz, o dono dos enérgicos que dão asas e que coloca dinheiro na equipe que leva o nome da sua empresa. Ele simplesmente ordenou que não deveria haver jogo de equipe e sua vontade foi feita. A Ferrari manipulou na 11ª corrida do ano impedindo uma vitória de Felipe Massa que estaria sendo o melhor cerca de um ano depois do acidente que sofrera em 2009 e que o deixou de fora por um bom tempo. A Red Bull não manipulou na penúltima corrida do ano quando um de seus pilotos poderia ficar a apenas um ponto do líder do campeonato e ainda se negava a manipular até na última corrida do ano, alegando que não se importava em perder o título de pilotos por não querer fazer o jogo de equipes. É simplesmente lindo ver algo dessa magnitude, é de uma honestidade tão enorme, tão acima da compreensão humana que a vida por sua vez da um jeito de recompensar os bons, da um jeito de fazê-los vencedores da forma como eles gostariam mesmo de ser.

Sebastian Vettel errou ao longo do ano, pagou muitas vezes o preço de sua imaturidade mas pode se dizer que ele é uma daquelas pessoas que aprendem com os erros. A forma como correu nas quatro últimas corridas do ano provaram que ele poderia ter sido campeão antecipado como muitas vezes foi seu compatriota Schumacher, de quem a poucos anos atrás tinha até um pôster na parede do quarto. Vettel foi campeão porque acabou entendendo a filosofia da sua equipe, que tinha ainda Mark Webber com muita possibilidade de ser campeão também. O australiano queria ter uma prioridade que para muitos parecia sempre ser do alemão, o piloto da terra do canguru foi extremamente competente durante toda a temporada, mas talvez por até a última prova achar que a equipe agiu de forma errada em não lhe dar vantagens acabou desistindo de tentar ficar com o título em Abu Dhabi, a prova disso foi sua apatia extrema tanto na última parte do treino oficial quanto na corrida em Yas Marina.
Red Bull Formula One driver Sebastian Vettel of Germany celebrates his championship win at the Abu Dhabi F1 Grand Prix at Yas Marina circuit in Abu Dhabi November 14, 2010. REUTERS/Steve Crisp (UNITED ARAB EMIRATES - Tags: SPORT MOTOR RACING HEADSHOT IMAGES OF THE DAY)
Webber talvez previu um mal desempenho da Ferrari ou quem sabe tinha certeza que Vettel não iria lhe abrir passagem caso Alonso estivesse em terceiro e ele em segundo. Ao longo da semana essa foi a principal discussão no mundo da Fórmula 1, a corrida no entanto acabou mostrando uma situação contrária, com Webber logo atrás do espanhol precisando ultrapassa-lo para seu companheiro do qual mais dependia ficar com o caneco. Mark Webber não se esforçou mas a equipe Mercedes e a Renault, além da McLaren, deram a ajuda que faltava. O ídolo Schumacher quem diria ajudou muito, colocou o safety car na pista para Vitaly Petrov e Nico Rosberg anteciparem suas paradas e voltarem na frente de Alonso. Só isso já bastava mas ainda entrou em cena Robert Kubica para tranquilizar ainda mais Christian Horner e Adrian Newey. Em um dia que o esporte jamais irá esquecer, um dia onde quem jogou limpo saiu por cima, quem prezou pela competividade além da manipulação sorriu e sorriu com muita vontade, para que todos aprendam de uma vez por todas: vencer é maravilhoso, mas vencer de forma honesta é ainda melhor. (Fotos: Ahmed Jadallah/Reuters e Steve Crisp/Reuters via PicApp)

5 comentários:

Ron Groo disse...

É bonito ver um campeão pela primeira vez, ver como nascem as estrelas. E sabe? Ano passado não tive este sentimento. Curioso.

O pódio foi lindo, os três últimos campeões juntos.

Marcelonso disse...

O titulo está em boas mãos,esse garoto é excepcional.

Muitos o crusificaram ao longo do ano por suas bobagens, mas esquecem que ele tem apenas 23 anos.

Pena que a corrida decisiva tenha sido nesta pista enfadonha.


abs

Leandro disse...

Um belo resultado, uma bela conquista. Vettel fez por merecer o título. Em momento algum deu por perdido o campeonato. Quando todos filosofavam se ele abriria ou não para Webber passar e ficar com o título, o garoto batia o pé no chão dizendo que ainda estava na briga.
Venceu o talento, a perseverança e a honestidade, o jogo limpo.

Luiz Paulo Knop disse...

Continuo falando como já disse outras vezes em meu blog: Vettel será um dos maiores da história! E digo isso não é de hoje.

O que mais gostei foi ver o Galvão ter que narrar o título dele, até então vivia falando que era imaturo e errava muito... no final teve engolir o alemão voador!!

Net Esportes disse...

@Groo: Ano passado não empolgou muito porque o Button garantiu tudo no começo do ano e não teve mais emoção até o final.

@Marcelo: Eu crucifiquei inclusive, mas suas últimas cinco provas foram impecáveis. Mereceu mesmo.

@Leandro: O Webber abriu mão enquanto que o Vettel e o Hamilton foram para o tudo ou nada. Final da F-1 foi brilhante esse ano.

@Luis: No Brasil estava triste aguentar o Galvão torcendo para o Alonso. Se a Red Bull continuar forte o Vettel pode ganhar muitos títulos sem dúvida.