Valeu pelo esforço Lindsey

14:18 Net Esportes 3 Comments

O Slalom ela já ganhou duas vezes, o Super Combinado venceu em quatro oportunidades. Apenas seis vitórias é muito pouco para uma gigante de esqui alpino, por isso mesmo é que a americana Lindsey Vonn pode se orgulhar de outros grandes resultados em duas das outras três modalidades de descida desse perigosíssimo esporte de inverno, onde tem 13 triunfos no Super G e outras 20 glórias no Downhill. Tudo talvez tenha começado no Campeonato Mundial de 2007 em Are, na Suécia, mostrando todo seu potencial ao levar duas medalhas de prata nas suas duas descidas favoritas. O momento maior na carreira viria em 2009 no Mundial de Val d'Isère, França, onde conseguiu fazer as duas pratas se transformarem em ouros. Mais tarde tudo ficaria maior, mais gigante, à altura de seu talento.

Lindsey Vonn ganhou três vezes seguidas o título da Copa do Mundo, levou medalha de ouro e bronze respectivamente no Downhill e Super G das Olimpíadas de Inverno em Vancouver 2010. Foi a campeã individual no Downhill, Super G e até no Super Combinado, alcançou um dos maiores reconhecimentos que uma esportista pode ter ao ser condecorada com o prêmio Laureus de melhor atleta do ano e assim não havia como evitar um favoritismo maior no Campeonato Mundial de 2011, em Garmisch-Partenkirchen, Alemanha. Pelo menos o Downhill e o Super G deveriam ser dela como foram em 2009, fato que só havia acontecido antes com Anja Paerson em 2007 e Maria Walliser em 1987. Não havia como ter dúvidas, exceto pelos problemas que sempre atormentaram a vida da grande campeã.

Porque Vonn não ganhou duas medalhas de ouro nas Olimpíadas? Simplesmente porque poucos dias antes sentiu uma lesão. A dor sempre acompanha a esquiadora e ela mesma diz que aprendeu a controlá-la, sempre se superando e fazendo o máximo de esforço para atingir seus objetivos. Seu destino parece sempre ser uma cruzada, a temporada não vem sendo uma des melhores, ela está em segundo lugar na Copa do Mundo atrás da amiga alemã Maria Riesch. A esperança de começar uma arrancada no Campeonato Mundial é grande, principalmente para quem já venceu duas provas antes, principalmente para quem é mais do que favorita para vencer as mesmas duas provas novamente. O problema é que a velha história se repete vez e outra, Vonn cai durante o treinamento semanas antes do tão esperado momento, precisa parar tudo para se recuperar, mas jamais desistir.

No Super Combinado Vonn desce apenas o Downhill, só para sentir a pista, e acaba desclassificada. O Super G vem e a primeira decepção também, apenas um sétimo lugar e vitória da austríaca Elisabeth Görgl. A expectativa de ver a atual tricampeã da Copa do Mundo, a vencedora do prêmio Laureus, a rainha do esqui alpino que conquistou o mundo nos últimos anos é enorme para grande parte dos amantes de esporte de inverno em todo o mundo. No Downhill tinha que dar tudo certo, é sua prova favorita, é onde ela realmente reina e onde ela faz um esforço acima dos seus próprios limites. Ela não quer ficar em um quarto escuro se recuperando de uma queda, ela quer estar la fora lutando. Vonn acaba na segunda colocação, vendo Görgl vencer e fazer o que ela tanto queria, mas pelo menos valeu pelo seu grande esforço de tentar superar os problemas, o verdadeiro espírito de bravura que o esporte tanto precisa.

3 comentários:

Jean Francisco disse...

Gosto muito da forma arrojada de esquiar da Lindsey, mesmo achando que a alemã, Riesch está em um melhor momento, talvez pelas contusões que vem sentindon não sei ao certo. O Esqui alpino também está - diga-se de passagem - legal de se ver!
Abs.
Jean Francisco
esportday.blogspot.com

Net Esportes disse...

Jean, na Copa do Mundo faltam 11 provas e tem seis em que a Vonn é especialista ... eu ainda acredito nela, porém se a Riesch fora campeã o título estará em boas mãos.

Jean Francisco disse...

Pois é Amigo, essa é a alegria do esporte; rivalidades, preferenciais e disputas. Vc tem razão, qual delas for campeã, o título está bem guardado.
Abs,
Jean Francisco
esportday.blogspot.com