Jovem faz história em Daytona

09:24 Net Esportes 3 Comments

O aniversário foi no sábado, mas a festa foi no domingo. O mundo nunca tinha ouvido falar em Trevor Bayne, jovem que um dia antes da mais importante corrida da NASCAR completou apenas 20 anos de idade. No currículo só uma corrida da Sprint Cup Series disputada na carreira, onde conseguiu a 18ª colocação na Texas 500 do ano passado. Sonhando como sonham os 43 pilotos que alinham para a largada da tradicional Daytona 500, ele entra no mítico e histórico carro número 21 da equipe Wood Brothers Racing. A responsabilidade é imensa e o seu objetivo principal é mais de ajudar alguns outros competidores do que brigar diretamente pela vitória, exceto claro se alguma circunstância permitir que isso possa acontecer.

Para alguns anunciantes dos canais que tiveram o direito de transmissão da corrida deve ter sido ótimo, pois a cada bandeira amarela vinha um intervalo comercial. O "Big One" aconteceu na volta 29, envolvendo nada a menos que 14 carros, era um indício do que estava por vir. No total foram 16 bandeiras amarelas, um recorde negativo que só serviu para prejudicar a estratégia de muitos e ajudar os que não tinham muita esperança. Uma das bandeiras amarelas aconteceu quando faltavam apenas quatro voltas para o final das 200 voltas em mais de quatro horas de prova, e assim a corrida passa a necessitar de pelo menos mais duas voltas. O problema é que houve outro acidente, e assim a interminável Daytona 500 durou mais um pouquinho.

Mais um pouco de adrenalina para milhões de fãs espalhados pelo mundo e lotando o autódromo do Daytona International Speedway. Os carros voando a uma velocidade impressionante no circuito oval e andando sempre colocados uns aos outros, quase sempre de dois em dois fazendo com que dez carros dêem a impressão que são apenas cinco carros um pouco mais compridos do que o normal. Dale Earnhardt, Jr. bateu na volta 202, e não conseguiu fazer história dez anos depois que seu pai morreu na última volta dessa mesma corrida. Ryan Newman ficou para trás, Robby Gordon também assim como Juan Pablo Montoya que nas últimas curvas ainda dava esperança aos colombianos. O dia estava reservado para um novato, o mais jovem a vencer na Daytona 500 em todos os tempos.

"Continuo pensando que estou vivendo um sonho... Estou agradecido pelo trabalho que a minha equipe fez. É inacreditável" - disse Trevor Bayne após a prova, realmente sem saber da magnitude que havia acabado de conseguir, e principalmente do show de pilotagem que deu na última curva quando segurou o veterano Carl Edwards, que veio da sexta posição na relargada para quase conseguir uma vitória que também seria épica. O campeonato da NASCAR começou de forma brilhante, com a Daytona 500, uma das corridas mais emblemáticas do mundo, que teve 74 trocas de liderança entre 22 pilotos, mas que no final viu apenas um dar cavalos de pau na pista e comemorar muito nos braços da equipe, um jovem que provavelmente terá um futuro brilhante pela frente, e que fez sua equipe comemorar uma conquista que não vinha desde 1976, quando ele nem tinha nascido ainda.

3 comentários:

Jean Francisco disse...

Parceiro, confesso que conheço muito pouco da NASCAR, assim, não me arrisco nos comentários, rsrsrsrs. Pelo Post, vale a pena conhecer mais.
Abs.
Jean Francisco
esportday.blogspot.com

Net Esportes disse...

@Jean: Em especial essa prova Jean, a Daytona 500, que é como as 500 milhas de Indianápolis ou o GP de Mônaco na F-1, é como se fosse mais importante que o campeonato inteiro !!!!

Jeh Pagliai disse...

Confesso que, assim como a maioria das mulheres, não percebo nada de carros e nem da NASCAR...

Mas msm assim, gostei bastante do post, super bem escrito!! Parabés...

Beijinhos

---
www.jehjeh.com