Nova Chernobyl 25 anos depois

14:12 Net Esportes 3 Comments

Aquele terrível dia foi em 26 de abril do ano de 1986. Na cidade de Gomel, localizada na Bielorrússia, Yuri Sharapov e sua esposa que estava grávida resolvem se mudar para longe, para Nyagan, na Rússia. O motivo era o que fazia todos temerem o tempo todo, era o Acidente nuclear na Usina de Chernobyl, na Ucrânia. Cerca de 200 mil pessoas morreram na ocasião e outras tantas mil sofreram sequelas, mas não a filha de Yuri que nasceu em segurança no seu novo lar. Hoje, 25 anos depois do ocorrido, Maria Sharapova cresceu, se tornou tenista profissional famosa, a atleta mais bem paga do mundo, considerada até uma musa do esporte. Ela poderia falar sobre diversas coisas após sua vitória em Indian Wells, mas o assunto de hoje é o mesmo que ouviu por toda a sua infância.

Quando o Tsunami atingiu a Ilha de Sumatra, na Indonésia em 2004, umas das maiores ajudas monetárias foi oferecida por Maria Sharapova. A tenista ainda se tornou em 2007 uma embaixadora para representar as vítimas de Chernobyl, mesmo não sendo uma vítima direta do desastre de 1986 ela sabe que seus pais viviam muito próximos à usina, e que se eles não tivessem se mudadado para Nyagan, e principalmente para Sochi quando ela completou três anos, as coisas poderiam ter sido muito diferentes. E é por isso que ela quase não responde perguntas sobre sua vitória contra a francesa Aravane Rezai, é por isso que ela entra na sala de coletivas com uma camiseta lembrando o vazamento nuclear em Chernobyl. Justamente porque uma catástrofe semelhante aconteceu novamente.

Não bastava os problemas enromes causados por um terremoto de praticamente 9 graus na escala richter. Não bastava uma Tsunami desvastadora que arrasou diversas cidades causando prejuízos gigantescos. O Japão se afunda ainda mais não só com uma, mas com duas explosões em suas Uninas Nucleares. "Louco, não é? Dá para acreditar em um desastre há 25 anos e agora outro?" - Indaga Sharapova durante a entrevistas sem poder acreditar no drama que muitos estão vivendo, o mesmo drama que seus pais viveram 25 anos atrás. É bem certo ver que o acidente aconteceu em circunstâncias anormais, com terremoto e maremoto, mas mesmo assim o mundo começa a repensar um pouco sobre as questões de segunrança com suas uninas nucleares. Foi preciso dois graves acidentes históricos para começarem a fazer isso.

Por hora o governo japonês e boa parte do planeta evita elevar a grandeza da catástrofe ocorrida em Fukushima. Alguns falam em evacuação de 200 Km, mas talvez devessem estar pensando em mais do que isso. O povo deveria se adiantar e sair dessa região o mais rápido possível, fazer como Yuri Sharapov fez há 25 anos, principalmente se sua esposa estiver grávida. Quem sabe uma história semelhante a de Maria Sharapova não se repita, quem sabe o futuro não reserva algo bom no esporte para uma criança que vai nascer em outro lugar por causa de uma catástrofe como essa. E se fora alguém com o coração tão bom como o de Maria Sharapova melhor ainda, pois ela está sempre disposta a ajudar quem precisa, já merecendo por isso até ser campeã do torneio que todos esqueceram diante da tragédia terrível que aconteceu.

3 comentários:

Jean Francisco disse...

Foi muita coisa de vez. Realmente o governo deveria já está trabalhando uma evacuação mais rápida e evitar futuros problemas.
Abs.
Jean Francisco
esportday.blogspot.com

Lili Vidal =] disse...

Nossa mto legal seu post e o blog tbm!
eh quase um reporter investigativo! rsrs
lol
mto interessante!!!
parabens! bjs
http://lilianevidal61.blogspot.com/

enricows disse...

Muito diferente e interessante o post! Ainda bem que existem pessoas que tem bondade como Maria Sharapova, para ajudar e representar países que necessitam de ajuda. Ela está de parabéns pelo seu talento de tenista. Abraço!
Parabéns pelo blog!

Comente no meu blog também:
http://enricows.blogspot.com/