Bernie deve ter adorado

18:21 Net Esportes 2 Comments

O dia amanheceu com tempo feio e a pista do circuito Gilles Villeneuve estava molhada, algo que certamente deve ter deixado Bernie Ecclestone muito feliz. O chefão da Fórmula 1 com seus 80 anos de idade e talvez até um pouco longe de sua melhor sanidade mental, chegou a sugerir no começo do ano chuva artificial em algumas corridas, naquela que foi no mínimo uma das mais bizarras idéias que alguém já teva na categoria máxima do automobilismo. Para sua sorte e também para alegria de muitos fãs, a chuva às vezes vem de forma natural mesmo, sendo nesse caso do GP canadense a primeira vez no ano que choveu na Fórmula 1. E quando a água caiu para valer mesmo, o safety car veio para a pista acabando com a festa, sendo que em seguida uma bandeira vermelha interrompeu de vez a alegria de todos.

A bizarra chuva artificial do vovô Ecclestone provavelmente seria uma chuvinha moderada, uma molhada básica na pista só para obrigar todos a correrem com pneu de chuva e se fosse criado o famoso trilho eles molhariam novamente. Isso só pode ser uma brincadeira de mal gosto, quando a água vem do céu com vontade mesmo, quando vem trazer fortes emoções que muitas vezes já foram vistas, até em corridas no Brasil, uma delas vencida por Ayrton Senna inclusive, aí eles resolvem parar tudo, dão bandeira vermelha e acabam com a alegria. A medida preventiva claro é visando total segurança dos pilotos, era realmente impossível guiar o carro em alguns pontos, devido a aquaplanagem. Mas não era isso que Bernie Ecclestone desejava quando teve a peculiar idéia da chuva artificial? Melhor pensar um pouco mais da próxima vez antes de falar tanta besteira.

Pior do que chover tão forte e tão intensamente foi ter chivido desta forma por tanto tempo. A rede de TV aberta brasileira nem retornou com a transmissão na íntegra, preferiu o massante jogo de futebol do campeonato nacional local, o dinheiro falou mais alto e o compromisso com esses patrocinadores foi levado mais em consideração que os outros patrocinadores. Nem a famosa festa no pódio teve direito de passar no famoso canal de televisão, que neste caso preferiu colocar logo no ar um de seus programas mais antigos, mesmo porque com o atraso na corrida ele já havia perdido um certo tempo dentro do seus espaço reservado na grade de programação que às vezes parece ser intocável. Ninguém poderia prever que tudo isso fosse acontecer, assim como na corrida ninguém também sabia que a chuva seria tão forte, pois se a previsão fosse tão perfeita quanto ver o futuro em uma bola de cristal, eles teriam tomado outras decisões.

Se fosse possível saber que haveria bandeira vermelha, Alonso não teria parado nos boxes, e nem mesmo Felipe Massa que ainda assim conseguiu voltar em terceiro lugar. A Ferrari fez um belíssimo treino de classificação, colocou seus carros na segunda e terceira colocações, deu até a impressão que estava se recuperando no ano, mas era apenas uma ilusão. O problema não foram as paradas nos boxes, o problema é que as decisões erradas trazem consequencias ruins, os pilotos também erram, batem e ficam para trás. A verdade mesmo é que a McLaren segue correndo atrás da Red Bull, só que não mais com Hamilton que conseguiu fazer todas as críticas que tinha contra si se tornarem ainda maiores, ficarem definitivamente evidentes por sua vontade excessiva que o leva a fazer muitas besteiras na pista, e sim com seu companheiro Jenson Button, o piloto inglês que conseguiu porque não um grande milagre na ilha de notre dame.

Chuva, safety car, bandeira vermelha, pista seca novamente e o que estava acontecendo após tanto agito e tantas emoções? Nada, pois Sebastian Vettel estava ganhando novamente. Mas nesse domingo muita coisa indicava que finalmente algo um pouco mais diferente iria acontecer, Michael Schumacher chegou a ser segundo colocado, até Kamui Kobayashi andou na segunda colocação. A Ferrari parecendo que havia melhorado, a Renault andando bem novamente, Mark Webber se recuperando e ele, Button, fazendo chover mais do que já havia chovido, pois bateu com o companheiro de equipe, bateu com Alonso, foi punido com drive through e contando as trocas de pneus totalizou nada a menos que seis idas aos boxes. No final da corrida ele vinha que vinha, passou Webber, passou Schumacher e forçou tanto, estava com tanta vontade que conseguiu fazer Vettel errar, assumindo a liderança nas últimas cruvas e vencendo da forma mais improvável que alguém poderia imaginar, a não ser Bernie Ecclestone, no dia que provavelmente parou para imaginar como seria a sua corrida com chuva artifical. (Por: Net Esportes Foto: Getty Images)

2 comentários:

A Globo foi sacana em naum ter passado o final da corrida, era mto mais válido a transmissão... Até pq o Brasileirão está no ínicio ainda e naum tinha nenhum jogo decisivo e do jeito q estava a corrida todos sabiamos q teria mto mais emoção...

Eh foda, acabei perdendo o resto da corrida....

Net Esportes disse...

@Publicidade Esportiva: Pode crer Patrick, maior palhaçada, ainda que as últimas voltas passou, mas perdemos muitas coisas, tudo que o Button fez até chegar ali, o Schumacher andando em segundo, uma pena, muita falta de respeito.