Italiana faz história na China

11:00 Net Esportes 2 Comments

Seus cabelos loiros já foram mais compridos, já foram menos curtos do que são agora, muda muito, mas o que não muda é o seu sorriso quando completa uma prova ou até mesmo a sua simpatia inabalável que é sempre a mesma. Federica Pellegrini é a Rainha da natação italiana, ou seria a princesinha de Roma? Apenas 22 anos e uma história nas piscinas que jamais havia sido escrita antes. Em Atenas 2004 foi medalha de prata, um segundo lugar que em Pequim 2008 se tornou o primeiro, a primeira medalha de ouro olímpica na prova dos 200m livres que já era mais do que merecida, principalmente porque já havia vencido Campeonatos Europeus, já havia mostrado seu talento em Mundiais e no Mundial de Xangai voltou para mostrar a lingua, porque é sua marca registrada quando vence, porque essa vitória foi histórica.

No seu país, em 2009, Federica Pellegrini já havia feito mais do que qualquer italiano pensou que a musa da ntação conseguiria um dia. Foi como a americana Shirley Babashoff em 1975, além da alemã Heike Friedrich em 1986 e a francesa Laure Manaudou no ano de 2007. Todas elas conseguiram vencer na mesma edição do Mundial de Esportes Aquáticos tanto a prova de 200m livres quanto a dos 400m livres. Em Roma 2009 a alemã Britta Steffen venceu os 50m livres e os 100m livres, mas por enquanto essas provas ainda não foram disputadas na China esse ano. Por enquanto só foram realizadas, entre outras, os 400m livres e os 200m livres, as duas especialidades de Pellegrini, as duas provas que a jovem italiana não abriu mão de vencer e onde faturou o ouro em ambas as disputas novamente, um feito que nenhuma outra nadadora havia conseguido em todos os tempos.

Antes de brilhar novamente em Xangau, havia quem não acreditasse que a bela moça poderia chegar onde chegou. Tudo começou após o Mundial de 2009, quando seu técnico Alberto Castagnetti faleceu após um ataque cardíaco fulminante, ele era conhecido como o principal responsável por “domar” o temperamento explosivo de Pellegrini. A italiana não era exatamente "o capeta", mas faz com as mãos o famoso chifre dos rockeiros ou do Heavy Metal para comemorar sua conquista, mas talvez fosse apenas o gesto da personagem "Vorena the Elder", mais popular no seu país. Pelo corpo são mais de dez tatuagens, sendo uma do ex-namorado, que poderia causar polêmica com o sucessor, com quem terminou a pouco tempo, criando mais fatores para abalarem sua performance, que só a deixaram um pouco para trás no começo, para conseguir uma recuperação espetacular no final e dar a volta por cima em todos os problemas.


A glória é italiana, mas os franceses também podem comemorar, afinal o novo técnico Philippe Lucas nasceu no país vizinho. "Fui na fé, acreditei até o final" - disse a nadadora que virou os 50m apenas na sétima colocação. O esforço para deixar a australiana Kylie Palmer para trás valeu a pena, lhe rendeu sua segunda medalha de ouro em Xangai em duas provas que jamais alguém havia vencido duas vezes em dois Mundiais seguidos. O sorriso fácil encanta a todos, a musa vibra como nunca com a sua língua de fora e extravasa toda a sua alegria incontrolável. Agora, além dos revezamento que ainda vai disputar, só lhe resta pensar em Londres 2012, a terceira Olimpíada de sua carreira onde quer brilhar mais do que já brilhou até hoje, onde quer encantar o mundo com sua beleza inquestionável e sua simpatia contagiante que a fazem ser mais uma belíssima e competente sereia das piscinas e da natação mundial.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esse campeonato de natação está sensacional! Agora o que me chamou mais atenção foi os atletas reclamarem do Cielo ter participado do torneio. Polemicas a parte ele deu show!

Net Esportes disse...

@Anônimo: Obrigado pelo comentário.

O pessoal reclamou porque ele foi pego no anti doping e só recebeu uma advertência. A vitória nos 50m borboleta foi show mesmo, mas hoje nos 100m livres infelizmente ele não repetiu o feito de Roma 2009 e ficou apenas em quarto lugar.