Desde 1916 comendo hot dog

15:06 Net Esportes 2 Comments

De um lado o East River e do outro o Hudson River, para ir até Staten Island pelo Upper New York Bay só de ferry, sorte que a travessia não custa nada. Manhattan é toda cercada por águas, mas não tem praia, se algém quiser ir à praia em Nova York tem que ir até Coney Island, um dos mais famosos pontos turísticos do Brooklin com o seu inconfundível parque de diversões. Pelas linhas laranja ou amarela do metrô se chega até a Avenida Stillwell, onde no seu encontro com a Avenida Surf, bem na esquina, está localizado o lendário restaurante Nathans Famous, famoso principalmente por sua maior especialidade: o cachorro-quente. Quem mora ou viaja até Nova York nunca pensa em ir à praia, mas jamais pode deixar de comer um hot dog, talvez dois, quem sabe três? Se for parar para contar vai acabar virando competição de quem come mais.

Tudo começou em 1916, quando o polonês Nathan Handwerker instalou em Coney Island um carrinho de cachorro-quente com uma receita de sua esposa Ida. A qualidade e sabor inconfundível do melhor hot dog de Nova York fez a fama de Nathan, principalmente entre as celebridades que sempre frequentaram seu restaurante. Muitos dizem que por ali já passaram Al Capone, Franklin Roosevelt, Nelson Rockefeller quando era governador, além de Barbra Streisand, Jacqueline Kennedy e o jogador de beisebol Joe DiMaggio. As lendas contam também que as disputas, na época para ver quem comia mais salsichas, tembém começou em 1916, onde o intuito era provar quem era mais americano, talvez porque fossem todos eles poloneses. Hoje comer cachorros-quentes virou um verdadeiro esporte, uma grande competição, com trasmissão ao vivo da ESPN e até polêmica nos bastidores da liga criada em torno da disputa eletrizante.

A data da competição foi escolhida à dedo, 4 de julho, o dia da indepêndencia americana. Nathan Handwerker morreu em 1974, mas se estivesse vivo iria adorar ver sua competição hoje em dia, só não ia gostar muito de saber que a rede de restaurantes foi vendida pela família em 1987. Até 2008 eram 12 minutos para ver quem conseguia comer mais cachorros-quentes, hoje o tempo é de apenas dez minitos e a briga é literalmente de cachorro grande. Seria ótimo ver Takeru Kobayashi enfrentando Joey Chestnut, mas o japonês se recusou a assinar um contrato com a Major League Eat e foi proibido de competir na famosa disputa da Nathans Famous. Desse jeito não tem ninguém para frear o americano boca de tubarão e estômago de elefante que faturou nada a menos do que o seu quinto título seguido de maior comedor de hot dogs do mundo.

Milhares de pessoas nas ruas e mais outras tantas por todo o país aproveitando o feriado e vendo Chestnut devorar 62 cachorros-quentes em apenas dez minutos. Dessa vez ele pareceu ter sofrido um pouco mais, respira fundo no final do desafio e vê Sonya Thomas se juntar a ele na primeira edição 100% feminina, onde a primeira campeã da história comeu 40 hot dogs. Um pouco longe dali, Kobayashi tentou chamar a atenção no topo de um prédio em Manhattan com o Chrysler Building na paisagem de fundo. Em um telão a transmissão do desafio do Ntahan´s e durante o mesmo tempo seu vôo solo em busca do recorde de 69 hot dogs engolidos em dez minutos, um a mais do que o recorde de Joey Chestnut estabelecido no Nathans em 2009. Um vídeo no Youtube provaria a façanha, mas fora de uma competição oficial a nova marca não poderia jamais se reconhecida.

Joey Chestnut festeja com seu cinturão de boxeador mais um nocaute em Takeru Kobayashi, um oponente que para ele pensa que é Kobe Bryant por não querer assinar o contrato. O americano vai além, diz que o feito do japonês no mesmo dia da competição não passou de um treino, longe da atmosfera de uma disputa com juízes imparciais e todo o público vibrando é bem diferente, em treino ele mesmo diz já ter comido 71 hot dogs em dez minutos. Polêmicas à parte, a verdade é que Nathan Handwerker fez a história, fez seus hot dogs ficarem famosos em todo o mundo e sua competição se tornar um grande sucesso, se tornar até um evento esportivo reconhecido e transmitido ao vivo por um dos maiores canais de TV do planeta. Joey Chestnut agradece por tudo, principalmente pela ausência de Kobayashi e aproveita para embolsar mais U$ 10 mil dólares de prêmio pela façanha. (Por: Net Esportes Foto: Reuters)

2 comentários:

Ron Groo disse...

Heheheh, a gente morre e não vê tudo.

Net Esportes disse...

@Ron Groo: Pode crer Groo, aliás no ano passado eu registrei também, mas nem sabia que tinha toda uma história, que tinha o restaurante no lugar da competição desde 1916 e tudo mais ..... sensacional, vivendo e aprendendo!