Never say never moments

10:28 Net Esportes 1 Comments

Na temporada de 2010 da NFL o Denver Broncos derrotou o Seattle Seahawks por 31 a 14, além de ter superado também o Tennessee Titans, Kansas City Chiefs por incríveis 49 a 29 e o Houston Texans na semana 16. Foram quatro grandes vitórias, mas foram apenas quatro vitórias em 16 jogos. Definitivamente foi um ano para ser esquecido e jamais comparado às inesquecíveis temporadas de 1997 e 1998 quando venceu o Super Bowl. De bom só a chance de ficar com a primeira escolha no draft, onde surpreendeu a todos esacolhendo o quarterback sensação da NCAA Tim Tebow, apontado para ser apenas a terceira ou quarta escolha. Todos achavam que o Broncos estava equivocado, mas mesmo que algo indique mesmo que erraram, tudo está dando mais do que certo.

Pobre Kyle Orton, a vida não é mesmo fácil. Começa a nova temporada e o Denver Broncos conseguiu derrotar o Cincinnati Bengals na semana dois. O Broncos só conseguiu derrotar o Cincinnati Bengals na semana dois, só isso. Cinco jogos e apenas uma vitória, em 2010 pelo menos haviam sido duas vitórias em cinco jogos, havia mais esperança. A esperança estava após a semana de descanso, após a sexta semana onde o Denver não perdeu porque não entrou em campo. Ele é um novato, veio da NCAA onde as coisas são completamente diferentes do que na NFL, mas alguma coisa precisa ser feita com urgência. Tim Tebow se torna o novo quarterback titular do Denver Broncos, derrotado por 45 a 10 pelo Detroit Lions, mas só o Lions conseguiu vencer o Broncos de Tebow, a única derrota do rooster em oito jogos.

Agora sim a vida em Denver se tornou tão boa quanto a época em que Carmelo Anthony jogava no Nuggets. Agora vida é tão boa quanto a época em que Terrell Davis e John Elway escreveram uma história de sucesso tão feliz quanto a época de Natal que se aproxima e indica o final da temporada regular do futebol americano. Tim Tebow é o nome da reviravolta, mesmo que seus números não sejam convincentes, mesmo que sua eficiência seja sempre colocada à prova, mesmo que Lindsey Vonn negue veementemente que seja a nova namorada do jogador, mesmo que defesa esteja fazendo o seu papel jogando muito e mesmo que algumas vitórias, como a do último domingo, tenham saído graças aos field goals de Matt Prater, que já resolveu muitas outras partidas antes de Tebow chegar, que resolveu contra o Chicago Bears em um verdadeiro momento "nunca diga nunca".

Restavam menos de três minutos para terminar o jogo e o Bronvos perdia por 10 a 0. Tim Tebow então resolveu fazer o que vem fazendo como a nova sensação da NFL e entrou em cena, dando um belo passe para touchdown quando restavam 2min26s para o fim da partida. Restava fazer o que o Saints fez no Super Bowl, restava fazer um onside kick, mas ninguém imaginava perder a bola. Com tão pouco tempo de jogo, bastava a Bears, que perdeu seu quarterback titular e não consegue mais vencer, ajoelhar em quatro jogadas para deixar apenas 20 segundos ao rival. Mas eles tentaram a jogada e saíram do campo, pararam o relógio e deram uma esperança que o Broncos já havia perdido literalmente. Tebow então teve 40 segundos para avançar e colocou sua equipe na marca de 59 jardas do tudo ou nada.

Não há dúvidas que Tim Tebow foi essencial, ele merece ser o principal assunto nas manchetes, merece ser cogitado como novo affair de Lindsey Vonn, mas se não fosse o kicker Matt Prater talvez não fossem sete vitórias em oito jogos. Field Goal de 59 jardas e na prorrogação o Bears perdeu mais uma chance de vencer, dando a Prater a oportunidade de fazer os três pontos decisivos, acertando agora um chute de 51 jardas. Vitória épica, incrível, de virada restando tão pouco tempo para jogar. O Denver Broncos lidera a AFC Oeste, tem tudo para voltar aos playoffs, para esquecer definitivamente a temporada do ano passado e porque não sonhar com o Super Bowl, sonhar com Matt Prater resolvendo as coisas e Tim Tebow ganahndo a fama de salvador. Afinal isto está acontecendo e ninguém pode negar, só resta saber se vai mesmo durar, pois o próximo adversário é o New England Patriots, será que agora poderemos dizer nunca? (Foto: Getty Images)

1 comentários:

Patrick Araújo disse...

Eu acredito que a palavra "Nunca" não existe no mundo do esporte... Essa eh a verdade....