Cem anos e nada para comemorar

16:19 Net Esportes 0 Comments

Apenas uma vitória nos seis primeiros jogos, tudo bem, o time estava jogando fora de casa no Comerica Park contra o Tigers e no Rogers Centre contra o Toronto Blue Jays. As coisas muito provavelmente vão melhorar quando em Fenway Park o Boston Red Sox jogar. Afinal o seu lendário estádio completa 100 anos de existência em 2012, é a segunda casa dos torcedores apaixonados, é onde o time vence três jogos seguidos contra o Tamba Bay Rays e se recupera na tabela. A alegria voltou? Sim, mas infelizmente não durou, pois nos cinco jogos seguintes foram mais cinco derrotas, sendo a última delas extremamente vexatória. O mais antigo palco de jogos ainda em atividade completou 100 anos de existência na última sexta-feira, porém o Boston Red Sox não teve nada para comemorar.

A saudade que fica é daquele 20 de abril de 1912. A grande inauguração de Fenway Park que recebeu o duelo entre o Boston Red Sox e o New York Yankees que naquela época ainda se chamava New York Highlanders. Eles não perdiam a cabeça e sim o jogo, que terminou em 7 a 6 para os donos da casa recém inaugurada em 11 entradas. Depois disso Babe Ruth foi vendido para até então adversário comum e assim surgiu umas das maiores rivalidades do esporte. O Red Sox enfrentou 86 anos de jejum e o Yankees se tornou o maior vencedor de World Series de todos os tempos. Eles não se tornaram apenas rivais, eles literalmente se odeio como os Mezenga e os Berdinazzi. Então porque não fazer um Red Sox contra Yankees no dia dos 100 anos do estádio? E eles fizeram.

Se pelo menos Ted Williams ainda jogasse aqui. Em 28 de setembro de 1960 ele fez um home run na última vez que teve o bastão na mão jogando em Fenway Park. É dele também o único home run feito em uma distância de 500 pés neste estádio, onde um acento foi pintado de vermelho no local onde a bola caiu só para comemorar o feito. E se Roger Clemens ainda fosse o arremessador do Boston Red Sox. Como naquele dia 29 de abril de 1986 quando a equipe da Nova Inglaterra recebeu o Seattle Mariners e simplesmente eliminou 20 rebatedores em nove entradas por strikeout. Um feito como esse só foi igualado 20 anos depois, pelo próprio Clemens, que no total conseguiu 100 vitórias no Fenway Park. Mas eles já se foram, assim como Johnny Traquina, Carl Yastrzemski e tantos outros que deixaram apenas saudades.

O time de hoje em dia não é tão ruim, mas os acontecimentos notáveis que o estádio teve em 100 anos de história merecem muito mais atenção do que o duelo contra o Yankees no dia do centenário. Lutas de boxe, jogos de futebol americano, jogo de futebol em 1968 quando Pelé liderou o Santos para uma vitória de 7 a 1 contra o Beacons Boston. Shows de Bruce Springsteen, BB King, Ray Charles The Police, Neil Diamond e Stevie Wonder. O avô de John F. Kennedy dando inicio à tradição de fazer o primeiro arremesso simbólico antes de cada jogo. Um jogo de basquete em 1954 com o Harlem Globetrotters e George Mikan. Jogo de hóquei no gelo da NHL no dia 1º de janeiro, o famoso Winter Classic que contou com Boston Bruins enfrentando o Philadelphia Flyers. Esses e tantos outros fatos marcantes, tantos quanto jogar contra o Yankees no dia do centenário.

O dia em si estava belíssimo. Eles jogam no meio de uma sexta-feira ensolarada e o estádio fica completamente lotado. O Fenway Park tem essa característica mesmo, chegou a bater o recorde de 718 jogos consecutivos com lotação máxima. Cerca de 200 jogadores lendários entram em campo, Terry Francona é ovacionado e tudo parecia caminhar bem, mas Ivan Nova joga bem o o Yankees vence por 6 a 2. No dia do centenário do estádio uma derrota para o maior rival, se pelo menos eles ainda fossem o Highlanders. Só que o pesadêlo não acabou por aí, tinha mais para o sábado. Mais festa pelos 100 anos do estádio e mais motivos para não comemorar nada. O Boston Red Sox vencia pelo placar de 9 a 0, isso é uma vantagem incrível no beisebol, só que eles conseguiram perder por 15 a 9. Por sorte choveu no domingo e o terceiro duelo acabou sendo adiado.

Não é todo dia que um estádio completa 100 anos de existência. Ainda mais um estádio com tantas histórias para contar. Um estádio com um "monstro verde", que é o muro verde extremamente alto que impede home runs por ali. Um estádio que muitas vezes é visto como ultrapassado, mas por outro lado é nostálgico e acomchegante para os fãs que vão ali apenas interessandos no jogo e não no conforto pleno. Eles querem ouvir “Sweet Caroline” e se você não entende isso precisa ver o filme  “Amor em Jogo” (“Fever Pitch”). Eles só querem ver o Boston Red Sox vencendo, principalmente contra o Yankees. Isso não foi possível dessa vez, bem no dia do centenário, mas pelo menos eles foram manchetes, bem diferente da época da inauguração onde só se falava do naufágio do Titanic. Que venham mais cem anos pela frente, com reformas e adaptações, mas não a construção de outro estádio. E principalmente que hajam mais motivos para se comemorar, pois por enquanto esse ano está difícil. (Foto: Elsa/Getty Images)

0 comentários: