Esse negócio do gol fora de casa

19:27 Net Esportes 2 Comments

O futebol muitas vezes tem uma certa relutância em aderir à novas regras, como rever uma jogada mais polêmica através de um televisor à beira do gramado e assim evitar erros graves. É possível entender porque não fazem isso, já que causaria um grande atraso no andamento das partidas. Mas por que não colocar um chip na bola para saber se foi gol ou não? O pior de tudo é que por outro lado vivem inventando regras bizarras com o já banido "gol de ouro", por exemplo. Esse tal gol que colocava um fim nas prorrogações servia simplesmente para evitar que a decisão fosse para as cobranças de pênaltis. Hoje em dia, tentando não só evitar os pênltis, mas também a prorrogação, existe a vantagem de se fazer o gol fora de casa, mas será que essa vantagem é mesmo uma vantagem justa na decisão em duas partidas?

Não resta qualquer dúvida que a  Champions League seja disparado o melhor campeonato de clubes deste planeta, mas a começar pelos sorteios nas oitavas-de-final e quartas-de-final eles pecam demais em seu sistema de disputa. Depois de todos os confrontos, inclusive os de grupo, serem em duas partidas, a final é em apenas uma. Não existe qualquer vantagem para quem consegue um bom desempenho na primeira fase, primeiro devido ao sorteio que pode não colocar o melhor classificado contra o pior classificado e depois porque o time que teve melhor campanha "apenas" faz a segunda partida até a semifinal no seu estádio. Quando se coloca em jogo a tal regra do já famoso gol fora de casa, jogar a primeira partida nos seus domínios passa a ser muito mais vantajoso. Desde que se consiga a vitória é claro.

E conseguir vencer não é difícil. O Chelsea fez 1 a 0 no Barcelona jogando no Stamford Bridge, em Londres. Já o Bayern Munich marcou 2 a 1 contra o Real Madrid atuando no Allianz Arena, em Munique. Assim as duas equipes que tiveram uma primeira fase muito melhor que seus rivais, Barcelona marcou 16 pontos contra 11 time inglês enquanto que o Real fez incríveis 18 pontos contra 13 dos alemães, precisavam vencer por 2 a 0 e 1 a 0 respectivamente jogando em casa. Jogar em casa com apoio total dos seus torcedores era a única vantagem que os times de melhor campanha tinham na semifinal de uma Champions League. Será que esse pessoal que pensou naquele negócio de gol de ouro e nesse negócio de gol fora de casa nunca levou em consideração dar ao time que vem jogando melhor em todo campeonato a vatagem do empate para evitar prorrogação e pênalti? E por que prorrogação e pênalti é tão ruim?

Quando o Barcelona abriu 2 a 0 contra a equipe do Chelsea parecia que a fatura estava liquidada. Era o que o time catalão precisava para ir à final novamente. Eles não esperavam, no entanto, um momento tão iluminado de Ramires (alô Mano Menezes), que marcou um golaço e mudou completamente a história. Gol fora de casa vale mais do que ter a vantagem da fazer o segundo jogo em casa. O Barça passou a precisar desesperadamente de mais um gol e Messi ainda perdeu um pênalti. Um time que teve uma campanha na primeira fase muito melhor do que a do rival, que venceu o Bayer Leverkusen por 7 a 1, que passou pelo Milan de forma contundente, não merece ir para final ganhando de 2 a 1 em casa? Só porque tomou esse gol em seu estádio? No mínimo disputar uma prorrogação e pênaltis. Pelo menos, para não dizer que o empate na somatória dos jogos já o fazia merecer ir em frente pelo que fez na fase de grupos.

Se não bastasse o Barcelona ainda tomou mais um gol e o resultado conseguido pela situação criada de forma não merecida acabou sendo mais justo para a classificação do Chelsea. Mas o Real Madrid conseguiu um sofrimento ainda maior, fechando com chave de ouro a decepcção espanhola que começa esquecer a glória da Copa. Os madrilenhos precisavam de apenas 1 a 0 e fizeram 2 a 0 com Cristiano Ronaldo. E um gol muda tudo, um gol fora de casa, de pênalti, de Robben, para mudar a história. A equipe do Real passou a precisar de mais um gol enquanto que o Bayern da mesma forma também precisava de apenas mais um, e continuaria precisando de apenas mais um mesmo que sofresse um. Tudo por causa da vantagem do gol fora de casa, o time que tinha a vantagem de jogar em casa estava totalmente em desvatagem na partida. E nem assim foi posssível evitar a prorrogação e os pênaltis.

Entendo que fazer gol fora de casa é muito mais complicado, merece ser mais valorizado, mas como os times que fizeram uma campanha melhor não podem ter a vantagem de dois resultados iguais ou inversos como era o que estava acontecendo com Real e Bayern? Assim tanto Barcelona quanto Real Madrid estariam classificados, e merecidamente. Mas se é ruim deste ponto de vista, pode ser ainda pior, pois na prorrogação a regra não muda. Na prorrogação o Bayern continuou precisando de apenas um gol mesmo que tomasse um e o Real de dois caso sofresse um. Ninguém marcou, Cristiano Ronaldo e Kaká perderam pênalti, Mourinho e sua arrogância foram embora na semifinal pela quarta vez, o Real pela segunda seguida sob o comando do português e assim Chelsea e Bayern Munich farão a grande final dos times desfalcados na Champions League. Só que será apenas uma partida, sem essa tola vantagem do gol fora de casa, porque nesse caso só o time inglês poderá fazer gol fora de casa. (Foto: AP)

2 comentários:

Patrick disse...

Realmente a Fifa ter tirado o Gol de Ouro foi uma sacanagem, era mto bom, maior emoção...

Acredito que essa regra de gol fora aumenta mais a emoção do jogo, eu gosto dessa maneira de campeonato...

Em relação ao sorteio, relamente eu tbm naum acho justo, o time teria que ter mais vantagens, como o empate talvez, ou dois resultados iguais, e enfrentaria o time de melhor campanha com o de pior, algo assim...

Foram dois jogos bons, acredito que o time alemão leve o caneco...

Luiz Paulo Knop disse...

Nunca fui fã dessa regra do Gol de Ouro e com relação ao gol fora de casa, acho que com ela é mais vantagem jogar a primeira em casa.

Na Champions ainda tem um fator que é diferente das demais: essa regra vale para a prorrogação também!!!

Por exemplo... se Barça x Chelsea termina 1x0 e vai pra prorrogação. Vamos imaginar que o Chelsea fizesse 1 gol... o Barcelona teria que marcar 2 pra classificar! Caso contrário estaria fora...

Uma outra coisa que falou e não gosto é a divisão das fases seguintes. Gosto da idéia implantada pela Conmebol e acho que deveria ser seguida nos outros continentes: 1º x 16º e pronto!

Luiz Paulo Knop
www.resenhaesportiva.com